MENU

5 de fevereiro de 2015 - 16:11Mundial de Endurance

Mais do que o esperado: Mundial de Endurance vem com 35 carros!

unnamed (3)

Trinta e cinco carros para o Mundial de Endurance 2015: é… o ACO superou as mais otimistas expectativas, e as pessimistas também

RIO DE JANEIRO – Durante os últimos dias, li no Facebook e em outros lugares que o Mundial de Endurance (FIA WEC) não poderia comportar mais do que 32 carros a tempo inteiro para a temporada 2015, por questões de logística nas provas fora da Europa. Para o transporte dos bólidos e equipamentos, os organizadores alugam quatro aviões, que comportam oito carros cada. É o que diziam.

E pelo visto o ACO e a FIA vão ter que providenciar outro avião, mesmo que menor: foram anunciados 35 carros “full season” para a quarta temporada do WEC, superando todas as mais otimistas expectativas. Até que a tarefa do comitê de seleção, liderado por Sir Lindsay Owen Jones foi facilitada. Imaginem se a SMP Racing mantém os planos anteriormente engendrados e alinha seus dois BR01 Nissan na classe LMP2? Ia dar bulha, na certa, até porque o limite segundo o CEO Gérard Neveu é de 36 carros para um ano inteiro – isso enquanto Le Mans comportar 56 carros no grid e há planos futuros de aumentar o plantel para pelo menos 60.

Por categorias, o total está assim dividido: onze protótipos LMP1 – oito deles de equipes oficiais de fábrica, com a adesão da Nissan; dez carros na LMP2, que volta a apresentar um grid digno em comparação a 2014; e sete autos tanto na LMGTE-PRO quanto na LMGTE-AM. Três brasileiros estão confirmados na temporada toda: Lucas Di Grassi pela Audi (LMP1), Fernando Rees pela Aston Martin (LMGTE-PRO) e o novato Pipo Derani, que comporá no carro #28 da G-Drive Racing (LMP2) um trio só de latinos, com o colombiano Gustavo Yacaman e o mexicano Ricardo Gonzalez.

A LMGTE-AM foi a primeira a ser anunciada, e com novidade logo de cara: a volta da Larbre Competition e do Corvette C7-R ao campeonato. Além do time de Jack Lecomte, participarão as Ferrari F458 Italia GTE de AF Corse e SMP Racing, os Aston Martin Vantage GTE do construtor britânico e dois Porsche 991 RSR inscritos pela Proton Competition, sendo um deles em parceria com a equipe do galã estadunidense Patrick Dempsey. A outra vem com financiamento dos Emirados Árabes Unidos.

Na LMGTE-PRO, a única surpresa foi a Aston Martin aumentando seu plantel para três carros, com a adesão da Young Driver ao programa, num carro 100% formado por dinamarqueses (Nicki Thiim, Marco Sörensen e Christoffer Nygaard). A AF Corse segue representando a Ferrari e Olaf Manthey continua lado a lado com a Porsche. Os companheiros de Fernando Rees a bordo do #99 ainda não foram anunciados.

15830104173_3e4e7ec32e_h

É num Ligier JS P2 Nissan igualzinho ao da ilustração que o brasileiro Pipo Derani estreia em 2015 no WEC, ao lado do mexicano Rodolfo Gonzalez e do colombiano Gustavo Yacaman, numa equipe 100% latina

O plantel da LMP2 é disparado o que apresenta mais novidades. Pela terceira vez seguida, uma equipe campeã não se apresenta para defender seu título. A exemplo da Starworks, vencedora em 2012 e da OAK Racing, vitoriosa em 2013, a SMP Racing debandou do certame – anúncio este feito praticamente de última hora (embora a lista do WEC tenha sido fechada no dia 30 do mês passado). Mesmo assim, ninguém pode se queixar de quantidade – e muito menos de qualidade. São sete equipes diferentes envolvidas, seis chassis diferentes, três fabricantes de motor e dois fornecedores de pneus.

As novidades vêm de todos os cantos, a começar pela escuderia Tequila Patrón ESM com dois carros, a G-Drive investindo pesado também com dois carros, o regresso da OAK Racing e as estreias do Team SARD-Morand e da Signatech-Alpine. Faltou falar da Strakka Racing, confirmada para a última temporada e que, por conta dos mais diversos problemas, sequer conseguiu estrear o aguardado Dome S103 com motor Nissan. Para esse ano, a concorrência é pesada, com os dois novos HPD ARX-04b, o prometido Oreca 05, os remodelados Morgan EVO, o Alpine A450b e o competitivo Ligier JS P2.

Já a LMP1 terá o maior grid do ano e um dos melhores desde a criação do WEC. Serão onze bólidos, graças à estreia da Nissan com seu inovador e chocante protótipo Nissan GT-R LM Nismo. A montadora japonesa, inclusive, tratou de anunciar mais dois pilotos na confirmação de sua inscrição: o britânico Harry Tincknell, de 23 anos, chamou bastante a atenção por sua temporada espetacular a bordo do Zytek (agora Gibson) do Team Jota Sport no ELMS ano passado e foi guindado à turma de cima. O outro confirmado não é bem uma novidade, já era até esperado: Olivier Pla, 33 anos, traz toda a experiência a bordo dos carros de OAK Racing e G-Drive Racing, chegando finalmente ao posto de piloto oficial de fábrica em 2015.

Como era de se esperar, mudou a numeração dos Audi: os protótipos dos quatro anéis virão com os números #7 e #8 – e este último será o carro de Lucas Di Grassi, junto a Loïc Duval e Oliver Jarvis. Também a Porsche vai com outra numeração para 2015: #17 para o carro de Mark Webber/Brendon Hartley/Timo Bernhard e #18 para Marc Lieb/Neel Jani/Romain Dumas. A Toyota, logicamente, vai com os números #1 e #2 em seus TS040 Hybrid.

O campeonato começa pra valer dentro de 65 dias. Mas a grande maioria dos carros já poderá ser vista em ação no Prólogo do WEC, marcado para Paul Ricard nos dias 27 e 28 de março.

A lista completa dos inscritos do Mundial de Endurance 2015 está aqui

Compartilhar

9 comentários

  1. geraldo101 disse:

    Muito bom ver o campeonato saudável e crescendo!

  2. Isidio Cristovão disse:

    Espetacular realmente, com brasileiros para quem só assiste se tiver brasileiro envolvido, várias fábricas e modelos diferentes. Só ficou o gostinho de quero mais pelo BR01 da SMP que só vai para Le Mans e pelo fato do Viper ficar na reserva, Do mais vai ser muito bom e conto com a melhora significativa da AUDI.

  3. Carlos Alvim disse:

    Muito Bom ver a WEC cada vez mais saudável e atraindo mais aficionados, Rodrigo! Esperava. contudo, ver mais Brazucas relacionados! Bem, sigo na torcida! Abraços!

  4. Jarno Saratt disse:

    Rá! Era exatamente como eu queria, um grid com 35 carros.
    Acertei em cheio, né Rodrigo?

  5. Joao disse:

    Esse Rodolfo González é muito braçao. Vai estragar a equipe.

  6. Fernando Lima disse:

    Para os que ainda duvidam, está ai, o maior e melhor campeonato de automobilismo do mundo.
    Sobre o retorno da categoria ao Brasil, vi que as categorias nacionais (Stock e Truck) programaram as etapas de Interlagos somente para dezembro…isso indica que de fato a grande reforma vai acontecer e assim o WEC pode realmente voltar ao Brasil ano que vem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *