MENU

6 de abril de 2015 - 12:00Blancpain GT World Challenge Europe

A primeira do BMW Team Brasil

timthumb

Maxime Martin e Dirk Müller deram ao BMW Team Brasil seu primeiro triunfo no Blancpain Sprint Series (Foto: Blancpain GT Series/Divulgação)

RIO DE JANEIRO – A equipe BMW Team Brasil conquistou, após dois anos, sua primeira vitória no exterior. Os reservas de luxo Dirk Müller e Maxime Martin levaram com muito mérito a corrida principal do Blancpain Sprint Series disputada nesta segunda-feira no circuito Paul Armagnac, em Nogaro. Um triunfo muito esperado e desejado pela equipe inteira, principalmente por Antonio Hermann e Washington Bezerra, que acreditaram ser possível montar uma estrutura competitiva e disputar de igual pra igual com times já estabelecidos em território europeu.

Não foi uma vitória tranquila como poderia supor a primeira metade da disputa, em que Maxime Martin se impôs diante dos Audi R8 LMS Ultra do Belgian Audi Club Team WRT. Após a janela de substituição de pilotos e pneus, em que o carro #77 passou a ser conduzido por Dirk Müller, as coisas ficaram bem mais difíceis. O Audi #2 guiado por Enzo Ide voltou à frente após seu pit stop e foi superado numa manobra ousada do alemão da BMW, que até a última volta foi pressionado pelo monegasco Stéphane Ortelli, terminando as 41 voltas e os 60 minutos de prova com uma vantagem de apenas 0″368 de segundo. Um calor tremendo, mas valeu!

Christopher Mies/Enzo Ide terminaram em 3º lugar, com boa vantagem para o Bentley Continental GT3 de Vincent Abril/Maximilian Bühk, na estreia do carro pela equipe HTP Motorsport. A única Ferrari F458, guiada por Norbert Siedler/Marco Seefried, completou em quinto, com o Audi R8 LMS Ultra de James Nash/Frank Stippler fechando os seis primeiros colocados.

Assim como Müller/Martin substituíram a Valdeno Brito e Átila Abreu na BMW Z4 #77, os irmãos Ricardo e Rodrigo Sperafico participaram da prova no carro #0 que terá Cacá Bueno e Sérgio Jimenez para o restante do campeonato. Os gêmeos de Toledo lutaram até o fim para terminar na zona de pontos, ultrapassando no fim a Mercedes-Benz SLS AMG GT3 de Bernd Schneider/Alexei Karachev para somar o pontinho do 10º lugar.

Nas subclasses Pro-Am e Silver Cup, levaram a melhor as duplas Aleksei Vasiliev/Christophe Bouchut, na outra Mercedes-Benz da GT Russian Team e dos irmãos dinamarqueses Anders e Thomas Fjördbach, com o Audi R8 LMS Ultra da ISR.

A classificação do campeonato após a etapa de Nogaro ficou assim:

1. Dirk Müller/Maxime Martin – 31 pontos
2. Stéphane Ortelli/Stéphane Richelmi – 27
3. Enzo Ide/Christopher Mies – 19
4. Norbert Siedler/Marco Seefried – 13
5. Vincent Abril/Maximilian Bükh – 12
6. Frank Stippler/James Nash – 8
7. Filip Salaquarda/Marco Bonanomi – 7
8. Niki Mayr-Melnhof/Markus Winkelhock – 4
9. Bernd Schneider/Alexei Karachev e Christophe Bouchut/Aleksei Vasiliev – 2
11. Ricardo Sperafico/Rodrigo Sperafico – 1

14 comentários

  1. Luís Felipe Bezerra disse:

    Parabéns para todos, especialmente para o meu pai. Tristeza a Tv não ter mostrado o pódio que foi lindo com os mecânicos cantando o hino. Acredito que esta vitória foi a primeira de uma equipe de estrutura totalmente brasileira no exterior.

  2. Fernando Lima disse:

    Infelizmente, por conta do feriado de páscoa na França, mas dia normal para os demais, não vi a corrida. A equipe bateu na trave algumas vezes e Hermann entende do negócio. Então a vitória foi muito merecida, e outro fato interessante é que a vitória vem exatamente do carro que não foi conduzido por brasileiros. Fico imaginando o aperto no coração do Valdeno e do Átila, que tiveram uma corrida bem conturbada ontem na Stock em Ribeirão Preto. O Átila ainda salvou um pódio na segunda corrida.

    • Fernando Kesnault disse:

      amigo, sem querer ser chato e sendo…se fosse com a dupla de brasileiros nao teriam vencido, simples assim, pois o Maxime Martin é um dos melhores pilotos belgas de turismo e GT da atualidade e junto com o Dirk Muller e um bom carro, tornou a tarefa, digamos, mais amena para a vitoria. Parbens à dupla.

  3. junio messias disse:

    alguem ai se lembra da corrida da indy onde o mike conowai(piloto da toyota wec) pilotou o carro de uma piloto brasileira q so andava no fundão,nas maos dele foi 1vitoria e um 4 ou quinto lugares com aquela carroça, fazendo_se muito mais q a piloto titular,se eu fosse o tonhao herman mantinha essa dupla ai e arrumava porche pra dupla brasileira, mattar porque o porshe nao e muito utilizado nesta categoria e porque e um carro ruim ?

    • Rodrigo Mattar disse:

      O que o Mike Conway tem a ver com o seu raciocínio?

      • Marcos Ferreira disse:

        Rodrigo, esse é o tipico pensamento pessimista de brasileiro. Que brasileiro não presta, só serve para andar na frente de outros brasileiros, etc… Só por que a equipe não venceu em 2 anos com brasileiros e agora colocam 2 estrangeiros e vencem, brasileiro não presta…. Pensamento tupiniquim…

      • Rodrigo Mattar disse:

        Quem disse isso?

      • junio messias disse:

        e muito simples mestre mattar dupla de hoje fez oq chamamos aqui no interior de,eles sabem onde as cabras malham .

    • Fernando Kesnault disse:

      talvez RM que a dupla Muller/Martin está melhor preparada para a competição e tentar novas vitorias e quem sabe disputar o titulo, que a dupla brasileira inscrita.

  4. Fernando Lima disse:

    Prezados, fui eu quem começou a “cantar essa bola”. Apenas mencionei o fato pela coincidência, e não pela falta de qualidade dos pilotos Brasileiros…O Valdeno é um bicampeão de GT3 no Brasil e nada tem a provar…o Atila também é excelente piloto e o #77 estava incrível também na corrida de classificação do domingo, que assisti pela tv. Se fossem os pilotos brasileiros acredito que venceria da mesma forma e, se não puderam estar a bordo do #77 para a primeira vitória do Team Brazil devemos “agradecer” à Vicar.

  5. Renato disse:

    Que bobeira, os caras na terceira ou quarta corrida quase já venceram com o Jimenez. Não sabem o que falam e falam besteira.

    Só não falaram mais merda porque o carro é brasileiro, se fosse estrangeiro diriam que brasileiro não tem capacidade de construir um carro,

    • antonio ferreira disse:

      olha so um engraçadinho pacheco falante,
      1.o jimenez faz dupla com o caca,carro:0
      2.ninguem ai citou eles
      3.eu num sabia q a bmw z4 gt3 fabricado na alemanha e um carro brasileiro
      4.aprenda a assistir corridas ,nao existe quase : e ou nao e

      • Renato disse:

        Tava demorando um lambe botas de gringo aparecer (discípulo gomista q só sabe repetir o termo pacheco), vamos lá:

        1- Jimenez é da mesma equipe brasileira seu engraçadinho, apenas pilota um outro carro (é uma equipe, mas vc nem deve acompanhar a categoria)
        2- Sim, o nome dele foi citado no penúltimo paragrafo, e sim se sugeriu nos comentários que o piloto brasileiro não tem capacidade de vencer.
        3- O motor não é nacional, mas todo o expertise e corpo de técnicos envolvidos são brasileiros e formados no país, o que não é pouca coisa, se você soubesse de corridas não citaria esse argumento infantil do motor;
        4 – Com vc que não vou conseguir aprender msm, tamanha ignorância. Apenas mais um repetidor do termo “pacheco” e nada mais.

  6. antonio carlos disse:

    ate agora roberta miranda ce so pacheco,pacheco,pacheco e num disso a q veio ninguem disse q os brasileros sao ruins so conseguem extrair 80% do carro e nada mais se quiserem ganhar terao q extrair 100%

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *