MENU

19 de abril de 2015 - 14:53WTCC

Domínio da Citroën na terra das 1001 noites

FIA WTCC Marrakech, Morocco 17-19 April 2015

O francês Yvan Muller conquistou sua primeira vitória este ano no WTCC, após um jejum de 14 corridas, que durava desde a etapa da Bélgica, em Spa

RIO DE JANEIRO (atualizado segunda-feira, 13h31) – A Citroën não se cansa de humilhar as rivais no Mundial de Carros de Turismo. O domínio do construtor francês, que vem desde seu ano de estreia no WTCC, continua a toda em 2015 neste início de campeonato. Na etapa do Marrocos, nas ruas de Marrakech, ficou bem ruim para Honda, Chevrolet e Lada. Todas foram inapelavelmente batidas pelos C-Elysée inscritos, principalmente na primeira bateria.

Pela primeira vez na história, a Citroën conquistou TODOS os cinco primeiros lugares numa prova da categoria. Venceu o atual campeão e pole position, o argentino José María López, com Ma Qing Hua em segundo, Sébastien Loeb em terceiro, Mehdi Bennani em quarto e Yvan Muller em quinto – porém, bem mais atrás que todos os outros colegas de marca. O 6º colocado e melhor não-Citroën da primeira corrida da rodada foi o português Tiago Monteiro, seguido por Gabriele Tarquini no outro Honda oficial, Norbert Michelisz, Stefano D’Aste e Rob Huff – beneficiado pela penalização de 30″ sofrida por Tom Chilton. A corrida, inclusive, teve 17 carros apenas, porque o sérvio Dusan Borkovic não largou.

Na corrida #2, cujo grid foi definido com a inversão dos dez primeiros do Q2, Yvan Muller tirou partido da pole para vencer sua primeira corrida na temporada. O veterano piloto francês não esteve confortável na pista apesar da liderança do início ao fim. “É sempre complicado ter alguém com nove títulos mundiais nos seus calcanhares”, afirmou – referindo-se a Sébastien Loeb, que chegou em segundo a apenas 0″552 do colega de equipe.

Pechito López recuperou-se bem: foi de 10º para terceiro, beneficiado por alguns incidentes que custaram a quatro pilotos várias penalizações – 30″ de acréscimo de tempo para Norbert Michelisz, Hugo Valente, Mehdi Bennani e Tom Chilton. Mas não conseguiu acompanhar o ritmo dos dois primeiros e contentou-se com o pódio e a permanência na liderança do campeonato.

A Lada pôde comemorar o 7º lugar com James Thompson, o melhor resultado dos Vesta neste início de campeonato. Mas teve que passar pelo constrangimento de ver os outros dois Vesta autoeliminados por uma colisão em que Mikhail Kozloviskiy, de volta após se ausentar na etapa de abertura em Termas de Río Hondo, na Argentina, bateu no carro de Rob Huff.

O resultado da corrida #1 foi este:

1 – José María López (Citroen C-Elysée) – Citroen – 14 voltas em 24’31”802
2 – Ma Qing Hua (Citroen C-Elysée) – Citroen – 0”942
3 – Sébastien Loeb (Citroen C-Elysée) – Citroen – 4”492
4 – Mehdi Bennani (Citroen C-Elysée) – SLR – 5”405
5 – Yvan Muller (Citroen C-Elysée) – Citroen – 21”617
6 – Tiago Monteiro (Honda Civic) – Honda Jas – 22”986
7 – Gabriele Tarquini (Honda Civic) – Honda Jas – 23”410
8 – Norbert Michelisz (Honda Civic) – Zengo – 24”799
9 – Stefano D’Aste (Chevrolet Cruze) – Munnich – 26”904
10 – Rob Huff (Lada Vesta) – Lada – 35″044

Este foi o resultado da corrida #2:

1 – Yvan Muller (Citroen C-Elysée) – Citroen – 14 voltas em 24’22″255
2 – Sébastien Loeb (Citroen C-Elysée) – Citroen – 0″552
3 – José Maria López (Citroen C-Elysée) – Citroen – 18″113
4 – Tom Chilton (Chevrolet Cruze) – Roal – 22″754
5 – Gabriele Tarquini (Honda Civic) – Honda Jas – 39″496
6 – Stefano D’Aste (Chevrolet Cruze) – Munnich – 40″215
7- James Thompson (Lada Vesta) – Lada – 54″634
8 – John Filippi (Chevrolet Cruze) – Campos – 55″245
9 – Hugo Valente (Chevrolet Cruze) – Campos – 56″490
10 – Norbert Michelisz (Honda Civic) – Zengo – 57″477

Classificação do campeonato:

1. José María López – 93 pontos
2. Sébastien Loeb – 76
3. Yvan Muller – 57
4. Ma Qing Hua e Gabriele Tarquini – 38
6. Tiago Monteiro – 36
7. Mehdi Bennani – 26
8. Tom Chilton – 21
9. Norbert Michelisz – 18
10. Stefano D’Aste – 12
11. James Thompson – 6
12. Hugo Valente e John Filippi – 4
14. Rickard Rydell – 3
15. Grégoire Demoustier e Rob Huff – 1 ponto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *