MENU

17 de maio de 2015 - 20:22Automobilismo Internacional

Os Senhores do Ring

Audi-Ring

Com as rodas fora do chão: o novo Audi guiado por Christopher Mies/Laurens Vanthoor/Edward Sandström/Nico Müller venceu a edição 2015 das 24h de Nürburgring

RIO DE JANEIRO – Na estreia da nova versão do R8 LMS Ultra, a Audi fez o que lhe é de costume: venceu uma prova de Endurance, bem ao seu estilo. Deixou os adversários saborearem o gosto da pole position, do predomínio inicial e depois a resistência costumeira dos quatrargólicos fez o resto. É certo que o triunfo não veio com a Phoenix Racing, campeã da prova em 2014, mas uma equipe cada vez mais importante no seio do construtor de Ingolstadt fez o seu papel e levou a quadriculada. O carro #28 do Belgian Audi Club Team WRT revezado por Christopher Mies/Edward Sandström/Nico Müller/Laurens Vanthoor assumiu a dianteira justamente após um acidente do #1 que defendia o título conquistado ano passado, e não mais foi incomodado até o fim da corrida, encerrada com 156 voltas, perfazendo 4.022 km percorridos.

200 mil espectadores se espalharam num clima como sempre festivo pelo Nordscheleife para assistir à corrida que contou com a participação de 150 carros na largada, e presenciaram assim a primeira vitória de um time de fora da Alemanha, o que não acontecia havia 20 anos. De qualquer forma, mesmo que o Audi quebrasse, a 2ª colocação também foi de outra escuderia da Bélgica. A Marc VDS chegou perto do triunfo, liderou com seus dois carros mas no fim das contas, o #25 de Maxime Martin/Markus Palttala/Lucas Luhr/Richard Westbrook não teve fôlego para discutir a vitória com a equipe rival, perdendo a disputa por pouco mais de 40 segundos, o que dada a extensão da pista com seus pouco mais de 25 km, é muito pouco.

O outro carro, o #26 de Augusto Farfus/Nicky Catsburg/Dirk Adorf/Dirk Müller chegou em quarto lugar após sofrer alguns contratempos, entre eles um princípio de incêndio num dos pit stops. Considerando os problemas, o resultado não deixa de ser positivo. O piloto brasileiro, inclusive, mostrou sua aptidão à pista ao cravar a pole position no treino que definiu os 30 mais rápidos, na véspera. Entre as duas BMWs, ficou o Porsche do Team Falken Europe, graças a um desempenho fantástico de Wolf Henzler/Peter Dumbreck/Martin Ragginger/Alexandre Imperatori. A Black Falcon salvou sua honra com a 5ª posição ocupada pela Mercedes-Benz #5 de Jaap Van Lagen/Yelmer Buurman/Abdulaziz Al Faisal/Hubert Haupt.

Se nenhuma equipe da casa venceu, os carros “made in Germany” fizeram bonito no top 10 final. Oito deles eram produto nacional. Só o Bentley #11 da HTP Motorsport, em 8º lugar e o Nissan GT-R Nismo GT3 oficial de fábrica número #35 fizeram frente aos alemães. Os Aston Martin Vantage tiveram problemas e o melhor deles ficou apenas em décimo-sexto lugar.

2 comentários

  1. Eder disse:

    Chegada mais apertada da história. E a melhor volta foi mais rápida que a do ano passado, mesmo com limite de velocidade.

  2. Gustavo disse:

    Provas de longa duração têm se mostrado um verdadeiro espetáculo para quem gosta de carros e corridas.
    Num circuito lendário como o de Nürburgring, nem se fala…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *