MENU

17 de maio de 2015 - 20:55European Le Mans Series

Thiriet vence absoluta em Imola

Dunlop_ELMS_Imola2015-03

A trinca formada por Pierre Thiriet, Ludovic Badey e Tristan Gommendy conquistou a primeira vitória do novo Oreca 05 Coupé nas provas de Endurance neste ano

RIO DE JANEIRO – Campeã da prova em 2013, a Thiriet by TDS Racing voltou a dar o ar da graça na edição deste ano das 4 Horas de Imola, 2ª rodada do European Le Mans Series. O carro #46 guiado por Pierre Thiriet/Ludovic Badey/Tristan Gommendy galgou posições vindo da 10ª posição do grid de largada e emergiu antes da metade do tempo previsto de corrida para a liderança, deixando o primeiro lugar eventualmente por conta dos pits obrigatórios para trocas de pneus e pilotos, bem como reabastecimento de combustível. Dessa forma, o novo protótipo Oreca 05 Coupé, que estreou em Silverstone no fim de semana paralelo entre WEC e ELMS conquistou sua primeira vitória.

De saída, parecia que não iria ser assim: o Gibson 015S #38 do Team Jota, pole position, largou muito bem com Harry Tincknell a bordo e o surpreendente Mark Patterson, no Oreca 03R #48 da Murphy Prototypes, resistiu muito bem à pressão de vários adversários nos primeiros minutos de disputa. Pierre Thiriet, que largou no #46, rapidamente avançou em meio aos adversários e logo assumiu o 2º lugar. O primeiro Safety Car, acionado em decorrência de excesso de sujeira na saída da chicane Villeneuve, começou a beneficiar os franceses em detrimento da liderança dos britânicos. E quando os adversários necessitaram de um pit extra para trocar a lateral esquerda da seção dianteira do seu protótipo, a Thiriet não foi mais incomodada de fato. Já ao fim da 2ª hora, Badey despontava na dianteira e depois de um turno impecável, Gommendy assumiu o volante do bólido para receber a quadriculada após 138 voltas.

Não só Mark Patterson andou bem: Michael Lyons e Nathanaël Berthon conservaram o ritmo e levaram o carro da equipe de Greg Murphy a um excelente 2º lugar, pouco mais de 12 segundos atrás dos vencedores. O #38 de Simon Dolan/Harry Tincknell/Felipe Albuquerque acabaria, posteriormente, penalizado com acréscimo de tempo de 90 segundos porque um dos mecânicos do time não estava calçando suas luvas num procedimento de parada de boxes. Pela falta de atenção e de segurança, a equipe foi punida, mas isto não afetou o resultado final.

Vencedor na abertura da temporada em Silverstone, o Gibson 015S #41 da Greaves Motorsport desta vez não teve chances: um pit stop mais longo e a pouca colaboração do retardatário Julien Schell, que ignorou as bandeiras azuis, arruinaram a corrida do trio formado por Gary Hirsch/Björn Wirdheim/Jon Lancaster, que acabaram uma volta atrás e em quarto, logo à frente do Ligier JS P2 Judd da Krohn Racing. Em seu turno de pilotagem, Oswaldo Negri chegou a ocupar o segundo posto – mas, para nenhuma surpresa, o ritmo piorou quando o patrão Tracy W. Krohn entrou a bordo. Apesar da falta de velocidade, o resultado não pode ser considerado tão ruim assim.

Os novos BR01 Nissan da SMP Racing, embora muito bonitos e bem acabados, tiveram uma corrida bastante atribulada. Enquanto o #27 perdeu muitas voltas nos boxes em decorrência de um vazamento de combustível, deixando o protótipo fora da lista dos classificados ao fim da disputa, o #37 ainda chegou ao final em 8º na geral, a seis voltas do vencedor – não sem antes perder tempo em razão de uma rodada já nos instantes finais da corrida. A equipe de Boris Rotemberg ficou satisfeita com o resultado, mas com a impressão de que terá muito trabalho pela frente.

Na LMP3, a falta de confiabilidade novamente afligiu as equipes desta divisão. Os novos Ginetta-Juno Nissan são interessantes, mas frágeis. E conseguiram, numa pista como a de Imola, ser superados pelos melhores LMGTE inscritos. Vencedor em Silverstone, o Team LNT fracassou desta vez na Itália: nenhum dos dois carros chegou ao final. A Scuderia Villorba Corse, que estreou seu protótipo com Roberto Lacorte/Giorgio Sernagiotto também não teve a mesma sorte. Entre mortos e feridos, a menos machucada foi a RLR/University of Bolton, que com o carro guiado por Rob Garofall/Morten Dons chegou em 20ª na geral, 12 voltas atrasada. E a vitória sorriu ao time britânico, com os espanhóis da SVK by SpeedFactory em segundo e a Lanan Racing, também penalizada por infrações ao regulamento, em terceiro. O carro #11 de Alex Craven/Mark Shulzhistkiy perdeu três voltas, mas isto não invalidou o pódio conquistado ao fim da disputa.

A divisão LMGTE viu o predomínio de carros conduzidos por pilotos da casa ao fim da disputa. Após um revezamento frenético na liderança da classe, venceu a Ferrari F458 #56 da AT Racing, com os Talkanitsa pai e filho, mais o italiano Alessandro Pier Guidi, que superou no final o Porsche de Marco Mapelli/Christian Ried/Richard Lietz e a Ferrari de Mikkel Mac/Andrea Rizzoli/Johnny Laursen. A Marc VDS se intrometeu em grande parte da disputa nessa briga, mas chegou em 4º com o trio Henry Hassid/Andy Priaulx/Jesse Krohn a menos de meio segundo do 3º colocado da classe. Duncan Cameron/Matt Griffin/Aaron Scott fecharam os cinco primeiros com outra Ferrari – a #55 da AF Corse. Pole da categoria, a #51 de Peter Ashley Mann/Raffaele Gianmaria/Matteo Cressoni acabou relegada ao 7º lugar na quadriculada.

Já na GTC, a equipe de Amato Ferrari deitou e rolou: 1-2-3 das F458 GT3, com triunfo do #62 de Stuart Hall/Francesco Castellacci/Rino Mastronardi, que chegaram em 16º na geral e com uma volta de avanço sobre Marco Cioci/Giorgio Roda/Ilya Melnikov. Os portugueses Francisco Guedes e Filipe Barreiros, mais o dinamarquês Mads Rasmussen, comemoraram bastante o pódio conquistado com a terceira posição, enquanto a BMW de Franck Perera/Eric Dermont/Dino Lunardi, com problemas mecânicos, limitou-se a receber a quadriculada completando o número mínimo de voltas para ter direito a pontos no campeonato. O Aston Martin Vantage GT3 da Massive Motorsport, que ficou muito tempo parado nos boxes, cruzou a meta de chegada mas não pontuará, pois completou apenas 84 voltas na corrida.

A maioria dos times do ELMS vai se preparar para a disputa da 83ª edição das 24 Horas de Le Mans, já que a próxima etapa será apenas em julho, no dia 12, no circuito austríaco Red Bull Ring, em Spielberg.

Compartilhar

1 comentário

  1. Gustavo Oliveira disse:

    Muito bonito o carro da SMP mesmo. Vale lembrar que quando a Lotus Cars ensaiou uma retomada em 2010 – chegando a anunciar 5 modelos novos – o Paolo Catone foi anunciado como projetista de um futuro LMP2, pelo jeito seria algo bem parecido com o BR01.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *