MENU

5 de agosto de 2015 - 17:35Fórmula 3, Instantâneos, Memorabilia

Arquivo F3 Sul-Americana (7)

11811462_968256036530760_1242848909382093722_n

RIO DE JANEIRO - Este é o exato instante em que Néstor Gabriel Furlán recebe a bandeirada da etapa final do Campeonato Sul-Americano de Fórmula 3 no ano de 1989, um dos mais ‘pegados’ do início da trajetória da categoria e que marcou uma intensa rivalidade entre o piloto que corria com o Dallara Alfa Romeo da equipe Sommi-Zanón e o brasileiro Leonel Friedrich, a bordo de um Reynard Volkswagen da INI Competición.

A temporada teve grandes corridas e muita controvérsia. A desclassificação de Vital Machado, 2º colocado na etapa de Jacarepaguá, numa performance espetacular, foi uma delas. Outra grande atração foi a estreia de Christian Fittipaldi numa categoria internacional, com direito a dois triunfos em Interlagos e Curitiba – este último dando o título brasileiro ao piloto, então com 18 anos de idade. Mas Friedrich foi o principal piloto brasileiro no certame: com vitórias em Bahia Blanca, Buenos Aires (na 7ª etapa), El Zonda e Tarumã, o “Pelado” (Careca, em espanhol) engrossou o caldo para cima de Furlán, que triunfara em Cascavel, Goiânia, Rio de Janeiro e Las Vizcachas.

Os dois chegaram à última prova, disputada por 19 pilotos no total, no dia 17 de dezembro daquele ano com condições plenas de levar o caneco. Mas, como sói, os argentinos fizeram o jogo deles e se saíram bem. Furlán venceu a corrida e conquistou com méritos o título, embora os métodos não tenham sido dos mais ortodoxos (1988 e 1993 que o digam).

Foto mais uma vez cortesia do Renato Granito, roubartilhada do Facebook.

Se não me engano, a classificação final do campeonato foi esta:

1. Néstor Gabriel Furlán – 57 pontos; 2. Leonel Friedrich – 54; 3. Christian Fittipaldi – 41; 4. Guillermo Kissling – 38; 5. Cézar “Bocão” Pegoraro – 21; 6. Pedro Muffato – 16; 7. Alencar Júnior – 14; 8. Néstor Gurini – 10; 9. José Luiz Di Palma – 9; 10. Augusto Cesário – 8; 11. Luis Belloso e Jorge Muraglia – 6; 13. Elio Seikel – 5; 14. Ricardo Risatti – 4; 15. Renato Russo, Neto Jochamowitz e Djalma Fogaça – 3; 18. Afonso Rangel e Vital Machado – 1.

Ao todo, 34 pilotos disputaram pelo menos uma corrida naquela temporada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>