Encerramento do ELMS com 30 carros e novidades no Estoril

E
Paul-Loup Chatin (FRA) / Nelson Panciatici (FRA) / Oliver Webb (GBR) drivers of car #36 SIGNATECH ALPINE  (FRA) Alpine A450b - Nissan  Race at Circuito Estoril - Cascais - Portugal
Assim como em 2014, as 4h do Estoril encerram a temporada do European Le Mans Series, com muitos títulos ainda em jogo (Foto: Richard Washbrooke/ACO)

RIO DE JANEIRO – Marcada para o próximo dia 18, a última etapa do European Le Mans Series (ELMS) acontece no Autódromo do Estoril, em Portugal. Tal como aconteceu no ano passado, é bom lembrar. Os nossos patrícios prometem lotar as dependências do tradicional circuito europeu para assistir à decisão do campeonato, exceto na classe LMP3, que em seu primeiro ano conheceu por antecipação os seus primeiros vitoriosos – os britânicos Charlie Robertson e Chris Hoy, antigo medalhista olímpico no Ciclismo.

De acordo com a prévia divulgada hoje pelos organizadores, um total de 30 carros é aguardado. São 10 protótipos da divisão LMP2, cinco da LMP3, nove carros da classe LMGTE e seis da GTC. A divisão é exata entre protótipos e modelos Grã-Turismo: quinze para cada.

Lista de inscritos das 4h do Estoril

Com mais uma ausência da Ibanez Racing, o total de carros da divisão principal se reduz para uma dezena, mas mesmo assim o contingente é muito forte. São nove equipes inscritas, seis modelos diferentes de chassis e cinco construtores no plantel para a prova do Estoril, na batalha pelo titulo.

Entre os pilotos, a trinca da Jota Sport formada pelos britânicos Harry Tincknell e Simon Dolan, além do ídolo local Filipe Albuquerque (cuja presença vai atrair muitos torcedores, não duvidem) lidera a classificação com 76 pontos – exatamente um a mais que o trio da Greaves, que herdou a vitória em Paul Ricard: Björn Wirdheim/Jon Lancaster/Gary Hirsch têm em comum com os líderes o mesmo equipamento – chassi Gibson 015S e motores Nissan.

Com 66 pontos, Pierre Thiriet e Ludo Badey chegam à etapa final com um novo companheiro de equipe: Tristan Gommendy anunciou sua retirada da Thiriet by TDS Racing há poucos dias e seu substituto será ninguém menos que Nicolas Lapierre, francês de larga experiência no WEC com a equipe Toyota e atualmente “emprestado” à KCMG Racing no Mundial de Endurance. Por conhecer muito bem o chassi Oreca 05 do time de Xavier Combet, será uma aquisição e tanto para a prova de encerramento do ELMS.

Outro astro do evento será Olivier Pla, novamente compondo o trio do #40 da Krohn Racing com o patrão-piloto Tracy W. Krohn e o fiel escudeiro Nic Jönsson. Única equipe da LMP2 com dois carros, a AF Racing quer repetir o pódio da última etapa e terminar bem o campeonato. Mais uma vez, Viktor Shaitar, líder do WEC na classe LMGTE-AM, dividirá o protótipo BR01 Nissan número #21 com os compatriotas Mikhail Aleshin e Kyrill Ladygin.

Os demais times serão a Murphy Prototypes com seu Oreca 03R Spyder, a portuguesa Algarve Pro Racing em seu Ligier JS P2, a francesa (com bandeira alemã) Pegasus Racing e a filipina Eurasia Motorsport. Estas duas últimas escuderias não confirmaram ainda os companheiros dos pilotos já anunciados – no caso Léo Roussel/David Cheng no Morgan #29 e Pu Jun Jin/Nico Pieter de Bruijn no Oreca #33.

Na LMP3, cujo campeonato já está definido, a briga é pelo vice: Konstantin Calko e Dainius Matijosaitis somam 45 pontos. Rob Garofall, o mais próximo perseguidor, não vai sair da casa dos 40 pontos, pois sua equipe retirou-se do campeonato mesmo após ter ganho a prova de Imola. Assim, a briga também conta com os italianos Roberto Lacorte/Giorgio Sernagiotto, com 36 pontos e o francês Gaëtan Paletou, que tem 33. Lembro que são 26 pontos em jogo – 25 da vitória e mais um pela pole position, portanto a batalha está em aberto entre esses pilotos.

A novidade é a estreia de um outro carro que não o Ginetta-Juno: a Graff Racing, equipe francesa, vai fazer seu debute no ELMS com um Ligier JS P3. Inscrito com o numeral #9, o bólido será guiado por Éric Troulliet/Gary Findlay/Thomas Accary. A equipe tinha planos de disputar as 24h de Le Mans e consequentemente o ELMS em 2015 (mas na classe LMP2). Com a negativa do ACO, o time teve que rever seus planos e expectativas para o futuro.

O panorama da LMGTE para as 4h do Estoril tem o trio formado por Andrea Rizzoli/Johnny Laursen/Mikkel Mac Jensen a ocupar uma sólida liderança no campeonato com 73 pontos, dezenove a mais que a trinca da Marc VDS Racing formada por Henry Hassid/Jesse Krohn/Andy Priaulx. Com 51 pontos, Aaron Scott/Duncan Cameron/Matt Griffin têm chances remotas e Christian Ried, 4º colocado com 50 pontos, também está no páreo, assim como Robert Smith, que soma 49. As possibilidades mais improváveis são do trio formado por Aliaksandr Talkanitsa (pai e filho) e Alessandro Pier Guidi: a tripulação da AT Racing tem 47 pontos e só será campeã se atingir a pontuação máxima e os líderes do campeonato zerarem no evento do Estoril – o que é, convenhamos, pouco provável.

Mas há equipes que acreditam na virada: James Calado, por exemplo, foi recrutado pela JMW Motorsport para ajudar Robert Smith e Rory Butcher na Ferrari #66. Richard Lietz e Sebastian Asch vão colaborar no Porsche 991 RSR #88 da Proton Competition. E até a Aston Martin Racing, mesmo sem ter disputado o campeonato inteiro, coloca na pista um modelo de 2014 para Jonathan Adam/Andrew Howard participarem da última etapa do ELMS.

A LMGTC tem no comando da classificação a trinca formada por Franck Perera/Dino Lunardi/Éric Dermont, somando 82 pontos após quatro etapas. Mas ainda há gente sonhando em reverter o quadro: Francesco Castellacci e Stuart Hall estão a treze dos líderes e querem o título. Eles são os únicos que podem atrapalhar os franceses da BMW Z4 GT3 e terão a ajuda de Thomas Flöhr na última prova do ano.

A participação portuguesa nas 4h do Estoril não se resumirá apenas e tão somente a Filipe Albuquerque: Francisco Barreiros e Filipe Guedes vão disputar a prova com uma Ferrari da classe GTC com o dinamarquês Mads Rasmussen. A Massive Motorsport não será, desta vez, a única equipe a alinhar o Aston Martin V12 Vantage: a britânica TF Sport fará sua estreia no certame, tendo como atração do carro #77 o rápido neozelandês Richie Stanaway.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

Adicione um Comentário

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames