MENU

28 de novembro de 2015 - 23:01Automobilismo Nacional

500 Milhas de Londrina: final emocionante e bicampeonato para sul-matogrossenses

2015-12-MRX-NCRacing--002-site

A festa da equipe NC Racing pela vitória emocionante que rendeu a Nilson e José Roberto Ribeiro o bicampeonato das 500 Milhas de Londrina (Foto: Vanderley Soares/Divulgação)

LONDRINA – Em final emocionante – o mais apertado de toda a história, registre-se – nas 500 Milhas de Londrina, encerradas no tempo máximo de 7 horas, deu Mato Grosso do Sul contra o Rio Grande do Sul: o protótipo MRX Duratec 2,4 litros de Nilson Cintra Ribeiro/José Roberto Ribeiro (pai e filho) derrotou o MC Tubarão IX de Tiel Andrade/Paulo Souza ao fim de 244 voltas, por apenas 3″010 de vantagem.

Ninguém economizou no fim da corrida, tanto que o #65 terminou com seus pneus (de chuva) no bagaço. Mesmo com o tempo seco após a quarta hora em Londrina, não fez calor à noite e a pista continuou imprópria para pneus lisos. Num último esforço, Tiel ainda tentou se aproximar de José Roberto Ribeiro e fez voltas de dois a quatro segundos mais rápidas que o rival. Mas faltou fôlego nos minutos finais e a batalha foi ganha pelos antigos campeões da prova, que já haviam sido vitoriosos em Londrina há três anos.

O terceiro lugar na geral, após uma excelente corrida, foi do Spyder VW 2 litros de Sérgio Pistilli/Alberto Pezzetti/Walter Pinheiro, ganhando na categoria III. Após vários problemas, outro Spyder – guiado por Roberto Dal Pont/Luiz Carlos Abbade ainda terminou em quarto na geral e venceu na classe II. O multitarefas Beto Borghesi – que além de piloto é um dos organizadores do evento junto a Daniel Procópio e Aloysio Moreira – completou a disputa num honroso quinto lugar ao lado do tio Luciano, que exibe um fôlego invejável aos 79 (isso mesmo!) anos de idade.

Os guris do Rio Grande – Franco Pasquale, Rodrigo Bacher e Júlio Martini – pegaram o 6º lugar na geral e a terceira na categoria III, recuperando das últimas posições após problemas técnicos no início da corrida. Destaque também para a BMW que chegou em sétimo e para os dois “Fucas” com motor AP inscritos na classe VII que conquistaram excelentes resultados na geral – nono e décimo, respectivamente.

De um total de 32 carros que viram a bandeira verde mais cedo, às 16h de Brasília, dezenove bólidos viram a quadriculada já na escuridão e com a luz dos faróis. Todos, é claro, vencedores – dentro do bom e velho espírito da Endurance.

O resultado final das 500 Milhas de Londrina:

1º #65 Nilson Cintra/José Roberto Ribeiro
Protótipo MRX Duratec
244 voltas em 7h01min20seg523

2º #5 Tiel Andrade/Paulo Souza
Protótipo MC Tubarão IX Duratec
244 voltas em 7h01min23seg533

3º #151 Sérgio Pistilli/Walter Pinheiro/Alberto Pezzetti
Protótipo Spyder VW 2.0
242 voltas

4º #10 Roberto Dal Pont/Luiz Carlos Abbade
Protótipo Spyder VW
227 voltas

5º #26 Beto Borghesi/Luciano Borghesi
Protótipo Spyder VW
223 voltas

6º #78 Franco Pasquale/Júlio Martini/Rodrigo Bacher
Protótipo MC Tubarão VIII
221 voltas

7º #19 Rui Machado Filho/Jorge Machado
BMW M5
216 voltas

8º #51 Pedro Pimenta/Thiago Klein/Odair “Paraguay” Santos
Protótipo Spyder VW
215 voltas

9º #0 Marcelo Miranda/João Miranda
Speed Fusca AP
214 voltas

10º #50 Guto Garcia/Claudemir Moises/Julio Cesar Saravy
Speed Fusca AP
214 voltas

Compartilhar

2 comentários

  1. Francisco Muniz disse:

    Prezado Rodrigo, o Roberto Dal Pont da quarta colocação é o antigo piloto da Vemag, do tempo de Marinho e Bird ? Obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *