MENU

2 de novembro de 2015 - 12:39Automobilismo Nacional, Opinião

Três anos e… nada

10408950_10201231460546596_871163092014849392_n

RIO DE JANEIRO – No último dia 28 de outubro, chegamos a três anos sem que o Rio de Janeiro tenha um autódromo. Como sempre, parabéns aos envolvidos.

Três anos e… nada.

Nada de novo autódromo, nada de novo no front. Nada.

É o que resta. Nada.

Nada mais falarei a respeito. Por que? Porque não quero mais lutar sozinho. Quem estava na trincheira, desistiu. Até o amigo André Buriti, a quem conheci justamente na luta pela preservação e permanência do circuito de Jacarepaguá, jogou a toalha. Ele tem mais o que fazer. E eu também.

Raul Seixas dizia o seguinte: “Um sonho que se sonha só é apenas um sonho. Um sonho que se sonha junto é realidade.”

Não dá pra sonhar com a volta de uma pista a esta cidade ou a este estado, porque não dá para acreditar em ninguém.

Ou dá?

O “Movimento Pró-Autódromo” queimou seu filme tirando fotos – postadas nas redes sociais – com o secretário estadual de esportes, o abjeto Marco Antônio Cabral, filho do não menos abjeto ex-governador Sergio Cabral. Afora que não aceita críticas à postura do grupo nas redes sociais. Vão se aliar ao inimigo? Não concordo.

O vereador que se dizia “defensor do automobilismo” fez água durante um tempo no facebook, veio aqui – educadamente, é verdade – rebater as críticas que lhe fiz quando o chamei de oportunista, propôs conversar e sumiu.

Calou-se.

Estou de saco cheio de fanfarronices e falácias. Não tem ninguém que venha dizer “vamos fazer”. É só promessa, historinha, conto do vigário, da carochinha. Chega! Cansei de dar murro em ponta de faca.

Todo mundo deixou isso acontecer. A imprensa tem sua parcela de culpa. A CBA cagou em cima do esporte, de quem depende dele e dos fãs cariocas. Carlos Arthur Nuzman é culpado. Cesar Maia, idem. Eduardo Paes, também. E também os pilotos, salvo exceções honrosas, jamais usaram do poder da palavra para falar alguma coisa a favor de Jacarepaguá. Lamentar não basta. Não houve ação. Nenhuma.

O Rio perdeu a Fórmula 1, a Fórmula Indy e a MotoGP, num espaço de pouco mais de uma década.

É assustador.

Já pensaram que, se Jacarepaguá não tivesse ido abaixo, teríamos corridas não só em duas rodas como também do WEC e do WTCC, afora a visita de todas as categorias nacionais? E os Regionais continuariam existindo, oferecendo oportunidade de surgimento de novos pilotos e também fortalecendo o mercado de preparadores e mecânicos?

Ninguém pensou nisso. Agora é tarde.

7040_1041079459255883_7861707669388495682_n

País de merda, esse Brasil. O automobilismo teve oito títulos mundiais de F1, outro no World Sportscar Championship, mais um na Fórmula E, afora vitórias e campeonatos conquistados nos EUA, Europa e Japão. Aí, para tristeza de quem gosta de automobilismo, o esporte mais popular é o do 7 x 1.

Gol da Alemanha.

Povo de merda, esse brasileiro, que só gosta de vencedores. E aceita qualquer coisa passivamente. Os Jogos Olímpicos vão quebrar o país e o Rio de Janeiro.

Gol da Alemanha.

42 comentários

  1. Roberto Borges disse:

    Caro Rodrigo,
    sua irritação e indignação certamente são compartilhadas por muitos.
    Nessas perdas enumeradas por você, que tanto o automobilismo como o Rio tiveram, certamente pode colocar a perda de dinheiro relacionada ao turismo. Essas categorias trazem muita gente, de dentro e de fora do país. Além disso, a exposição da cidade é considerável, para o mundo todo. O Rio não é só carnaval.
    Uma lástima!

  2. AC disse:

    Herança maldita do FHC!

  3. Fernando Kesnault disse:

    Assim como a Copa d Mundo quebrou esse país além das corrupçoes pela construção inutil de arenas por aí…..e o povo besta e sem instrução nao ve isso porque a globosta nao fala pois ela tem culpa no cartorio e esta nesse golpe de corrupção da fifa de forma bem ativa e fica caladinha…..

  4. Antonio Seabra disse:

    Rodrigo,

    Entendo e compartilho da tua indignação. País de merda, políticos de merda, e povo idem, posto que merece e se iguala aos políticos a quem elege. E imprensa de merda (com raríssimas exceções), que se cala, e assim fazendo se alia aqueles que montaram essa grande “negociata”, que sabe-se que vai encher – ou já encheu – as burras daqueles que a promoveram.
    Era preciso acabar com o autódromo, como se não houvessem outras áreas livres nas proximidades, para se construir os aparelhos olímpicos ???
    O que mais me impressiona, além da cara de pau de todos os políticos safados que se envolveram, todos os nominados por você e mais alguns, é o silencio da “grande imprensa”. Não vi uma linha escrita sobre o assunto nos grandes jornais, nada foi dito pelos mais importantes colunistas do esporte que militam nesses jornais, nada !!! Ou seja, o assunto parece estar “blindado” pelas gigantes da comunicação, tais como sistema Globo, sistema Bandeirantes, e que tais.

    E automobilismo de merda, esse nosso, também !!! Que os órgãos dirigentes não façam a sua parte, já era de se esperar, Mas onde estão nossos pilotos, da F1, da Stock Car, da F3, nossos ex-Campeões do mundo, com todo o prestigio internacional que tem, que nada ou muito pouco se manifestam, não se alinharam numa cruzada para salvar o autódromo.

    Na Itália, latina e bagunçada como o Brasil, as associações de pilotos e os clubes de automobilismo, as escuderias, as fabricas, se uniram e não deixaram derrubar a bancada inclinada de Monza, hoje não mais utilizada, mas que faz parte da historia !!! Não se pode esperar atitude similar num pais como o nosso, que não tem caráter !!!

    Merecemos os políticos que temos, merecemos a vergonha de passar por um Lava Jato que, no final, não vai levar a nada, porque TODOS, de todos os lados, de todas as correntes, roubam, roubaram e vão continuar roubando: estão lá para se dar bem.

    Outro dia, ao embarcar no Santos Dumont, num voo para Brasilia, vi o Sr. Nuzman acompanhado de um grupo de estrangeiros. Senti nojo de ver a subserviência dele. todo sorrisos, para com a cúpula do COI, a quem acompanhava, na visita a Capital, pensando todo o tempo que ele fora um dos artífices da grande negociata que foi destruição do autódromo. Sentaram-se 2 gringos na fileira a minha frente, com o Sr. Nuzman, e outros 2 ao meu lado. Na primeira oportunidade puxei assunto com o “Secretario sei lá do que” do COI – ele me deu um cartão de visitas – e aproveitando-me do fato que ele era suiço-frances, explorei ao máximo o meu pouco conhecimento da língua – viva o Professor Saintives, do Colegio São Bento – para separar a conversa, já que o grupo estava conversando em ingles. E desanquei o pau na construção do parque olímpico, por sobre a destruição de um circuito internacional classe A , com promessas não cumpridas e interesses escusos, na exploração da super-valorização imobiliária do local. Ele pareceu mostrar algum interesse no assunto, e já que ele me contou, com toda a pompa, que iam para uma audiência com a Presidente do Brasil, sugeri que tocasse no assunto da construção do novo autódromo. Sabia que ele não iria se envolver, mas…tentei,

    A tarde, no voo de retorno, surpresa, o grupo todo estava no mesmo voo que eu. Na sala de embarque, perguntei como tinha sido a reunião com a Presidente. Ele, meio desapontado, contou que a Dilma não os recebeu. Bom, pelo menos sai dali rindo, das caras de babacas do Nuzman e dos gringos….já não havia mais sorrisos em profusão.

    Mas nada disso vai trazer o nosso autódromo de volta. Cada vez que passo de avião sobre a Barra, com céu claro, e vejo o que foi feito do autódromo, fico mais decepcionado com o nosso povo, com os nossos políticos, e até comigo mesmo, por ter sido incapaz de fazer algo de positivo em prol de proteger aquela pista. Não era o traçado dos meus sonhos, não tinha subidas e descidas, as curvas eram desenhadas a compasso, sem muitas variações de raio, não era um “circuito de pilotos”, que priorizasse o “braço” sobre a maquina. Mas era uma boa pista, internacional, com toneladas de historia escrita com borracha sobre o asfalto. Era histórica. E era o que tínhamos.

    No final, toda esse historia foi apagada pela incompetencia, pela ganancia e pela falta de escrupulos de nossos politicos, pela inepcia dos nossos dirigentes esportivos, pela falta de associações de pilotos atuantes, pelo silencio conivente dos nossos meios de comunicação, pelo silencio covarde dos nossos jornalistas – já disse, com raríssimas exceções – e pela indiferença de nossos pilotos profissionais, e de nossas equipes de corridas..

    Você Rodrigo, foi a UNICA voz que, continuamente, constantemente, rotineiramente, bradou aos quatro ventos a tua indignação, Outros se manifestaram, Flavio, Joca, e outros blogs e sites de automobilismo – mas apenas aqueles, digamos, da “imprensa independente” – mas não com a tua veemência e perseverança. Você foi um D. Quixote que ousou desfiar o moinho, mesmo sabendo que não iria vence-lo.
    E, se capitulou, a partir de agora, eu so posso te elogiar pela tua coragem e persistência: Parabéns por essa cruzada ingloria, pelo menos você tentou !!!!

    Curitiba está ai mesmo, para mostrar a repetição do filme….

    Abraços

    Antonio

  5. Alessandro Neri disse:

    Parabéns parabéns pelo post. Assino tudo embaixo. País de Merda. Povinho de Merda. Republiqueta de bananas mesmo. Essa bosta de paîs nasceu errado e vai terminar errado.

  6. Danilo disse:

    Concordo em 100% com a matéria, por isso nem cabe mais palavras.
    Gosto sempre de comparar, a Argentina mesmo em situação financeira ruim possui mais autodromos do que aqui, tudo bem que lá não há mais f1 por falta de grana, mas existem excelentes autodromos como em Termas, La Pampa….alias lá tem moto gp, wtcc, WRC, gozado né??? ahhh…..e tem o bi campeão do wtcc pechito lopez.
    Nossa politicagem e falta de patriotismo colocam tudo no lixo.

  7. luigi disse:

    Eu sempre me pergunto ; por que uma Olimpíada no país ,onde só futebol é priorizado,os atletas com índices Olímpicos normalmente os obtiveram com esforço próprio e sem nenhuma assistência de algum entidade governamental (muitas vezes ,até prejudicada por estas) e quase todos os atletas de referência no país ,estão no minimo em sua segunda Olimpíada,eu acredito que será um evento só para premiar os “espertos” que se beneficiarão com o sem fim de obras inacabadas más sempre super faturadas.
    E no país do futebol ,pátria de chuteiras foi o vexatório 7 X 1 para o país dos prêmios NOBEL (89 em ciências exatas ) o que será nos esportes Olímpicos onde a tradição é ver sempre nas finais “Gringo Ganhar o Ouro”.
    O Rio pela sua importância como estado não poderia ficar sem um autódromo decente (pelo amor de Deus ,sem um Til k h dromo ,se assim for ,melhor ficar sem .Fico imaginando ; se houvesse um gato gigantesco ,quando ele em suas andanças pelo mundo se deparasse com um Til k h dromo ,certamente jogaria terra em cima).

  8. Geraldo Flávio Chaves disse:

    Parabéns Rodrigo pelo post.
    Olha não tenho nada contra os nossos atletas olímpicos que lutam no dia-a-dia em locais desapropriados para treinos, sem patrocínios, sem apoio e são ainda cobrados por medalhas. Isto que vou dizer é utópico, mas seria bom de mais se nenhum brasileiro conquistasse uma medalha se quer para este país. Este país é uma vergonha em todos os sentidos. Todos os grande eventos feitos a partir de 2.007 estão envoltos em suspeitas. E como disse o Neri, um país que nasceu errado, só pode terminar errado.

  9. André Buriti disse:

    Caro amigo, compreendo, assim como muitos, a sua frustração e tristeza com tudo isso.
    Infelizmente vivemos num país de bananas governados por pessoas sem escrúpulos, o que fazer? Nada.
    O que posso intuir do momento e fazendo uma projeção razoável é que daqui a um ou dois anos teremos uma pista na cidade, uma pista de rua para a F-E, provavelmente no Aterro do Flamengo, afinal de contas é um brasileiro o atual detentor do título da categoria e nela estão mais alguns pilotos brasileiros, é o máximo que a cidade do Rio de Janeiro pode almejar, um palco de eventos. Esqueçam automobilismo regional, ele só voltará existir no dia que tivermos uma estrutura como a que vi no Sul, de pequenas pista de terra aplainada onde o regulamento é rígido e os carros quase standart. Ou se eventualmente um mecenas resolver construir algo fora da capital, fugindo assim dos altos custos do terreno e de todos os problemas inerentes às grandes cidades, como segurança, infra-estrutura de transportes e por aí vai.
    Quanto à Deodoro ainda não vejo perspectiva dele vir a ser construído, com o recrudescimento da violencia urbana, consequencia da falencia do modelo de UPP´s implantadas no Rio, aquela região onde pretendem construir a pista se torna um verdadeiro barril de pólvora (c0m e sem duplo sentido), pois não há como dar segurança a pessoas de alto poder aquisitivo e equipamentos caríssimos encravados no lugar de menor IDH de toda a cidade, é pedir para arrumar problema.
    Enfim, a cada dia que passa fico convencido que a destruição do autódromo não foi culpa de uma única pessoa, isso seria até fácil, apesar de que não estou perdoando nenhum dos envolvidos, mas as coisas só acontecem quando há um ambiente favorável, e ele não se criou da noite para o dia, desde 2002 quando começaram os primeiros rumores tudo concorreu para a destruição da pista, desde o fim da PPE, modelo de gestão de um equipamento público complexo como o autódromo, até o fechamento definitivo de seus portões, assistimos passo a passo como não só a pista foi sendo abandonada, como também sua memória foi apagada da memória da cidade.
    Daqui a alguns anos, talvez décadas, a verdadeira história seja contada, de como uma cidade foi vendida como mercadoria, transformada em salão de festas, e de como sua população se transformou de prioridade a estorvo no caminho dos grandes negócios e do turismo.

    • Elthon Charles disse:

      Texto maravilhoso do amigo A. Buriti, faço minhas suas palavras. Fui ao plenário dos Vereadores e acho complicada a situação e duvidosa as intenções lá vista e ouvidas . Como para mim nunca costumo jogar a toalha acreditei no que escutei e ajudono que for possível para termos uma pista.

  10. Pedro José Tavares da Silva disse:

    Perfeito! O movimento “Pró-Autódromo”, na minha opinião, errou e se desmoralizou ao aceitar posar ao lado de políticos que se beneficiaram da demolição, ao aceitar apoio de instituições que deveriam, por obrigação e honra, ter lutado contra a demolição. Instituições que poderiam, ao menos, ter buscado unir pilotos, equipes, preparadores, fãs do esporte a motor, e mobilizar passeatas, carreatas, fazer “barulho”, mostrando à população do Estado e do país quais eram os reais interesses dos políticos: entregar o terreno aos empreiteiros que pagaram as contas de suas campanhas políticas. A entrega do terreno do Autódromo foi o retorno financeiro dado aos empresários que financiaram campanhas. Mas a grande mídia NUNCA abordou o tema dessa maneira. Me considero um órfão do Autódromo, mas não por ser frequentador das arquibancadas em provas da Stock, ou da F-Truck, ou F1. Eu tinha equipe, haviam pessoas trabalhando na minha equipe, eu investi bastante dinheiro, tempo, e planos para seguir participando das provas do Campeonato Regional de Marcas e Pilotos. Todo mês estávamos lá, movimentando os boxes e a pista. Muitos cariocas não sabiam que o circuito era utilizado mensalmente, as provas dos regionais não eram divulgadas. Afinal, fazia parte do plano fazer com que a população pensasse que aquela era uma instalação abandonada, mal aproveitada, um “elefante branco”. Somos um povo de merda…

  11. Jose Afonso Sanches disse:

    Penso que, se o Brasil não é sério, o Rio é ainda pior, Rodrigo.
    O que pensar de uma cidade que se diz “metrópole” quando sequer tem uma estrutura decente de transportes?

  12. CONCORDO RODRIGO, OS ATORES PRINCIPAIS SE LIXARAM PARA O FIM DESSE AUTODROMO, ALGUNS COM FORÇA PARA DE REPENTE INTERFERIR NESSE PROCESSO. MAS O PODER DA GRANA FALOU MAIS ALTO. EU FUI VÁRIAS VEZES EM DIVERSAS CORRIDAS VOU SENTIR FALTA , IMAGINO PILOTOS, VOCE E VÁRIAS PESSOAS MAIS LIGADAS AO AUTOMOBILISMO. INFELIZMENTE NESSE PAIS E NO RESTO DO MUNDO, O PODER DO DINHEIRO FALOU MAIS ALTO.

  13. Rodrigo, tu é o cara e sabes pelo meus outros comentários aqui sobre este assunto que é exatamente isso que penso.

    Porém, a causa raiz disso tudo é a GLOBO.

    A Globo tem a maior audiência, é a mais vista pela população, seja de qual classe for.

    Só pensem de onde vem as campanhas de ” a velocidade mata no trânsito” ou as reportagens sobre a violência no trânsito dando idéia ou relacionando isso ao automobilismo.

    A Globo é a culpada pela ditadura que vivemos. Não a ditadura onde cada um pode ser livre ou não ter privados os seus direitos.

    Quem encabeçou a campanha de desarmamento dos cidadãos? GLOBO… arma é do mal, mata pessoas, é a causa da violência… compraram votação e um circo todo e os bandidos que roubavam armas da população continuam e estão mais poderosos ainda… INCRÍVEL NÃO? E quem vive da fabricação e comércio de armas e munição? Demitiu funcionários e faliu?

    Automobilismo é violência no trânsito. Então não aparece na TV e quando aparece é 30 segundos mal mostrados…

    Ou seja, quem manda nesta merda de País, onde é o único do mundo com eleições eletrônicas, configuráveis ou já decididas e só fazem um bando de bocó ir apertar botão num dia, obrigatoriamente ( DITADURA obrigando a votar ), é a GLOBO e os safados de Brasília… QUERO VER A CPI DA GLOBO OU DA MÍDIA… ISSO QUERO VER ACONTECER…

    VOTO OBRIGATÓRIO = CAGADA GERAL

    Tudo que se faz na obrigação, mandado por alguém e a contra gosto, se faz de qualquer jeito, tanto faz, etc…

    A velha história de reclamar que a pizza está demorando e o cara por ter ser apressado ou estar cobrando a entrega, recebe a pizza cuspida, por que o outro que deveria fazer o serviço foi mandado fazer mais rápido…

    INFELIZMENTE NÃO ACERTO A MEGA SENA… MAS UM DIA RODRIGO, ISSO VAI ACONTECER E TU VAI SER O PRIMEIRO CARA QUE CHAMAREI PRA COMPOR A NOVA ORDEM DO AUTOMOBILISMO BRASILEIRO.

    OU ALGUÉM PODE IMPEDIR QUE EXISTA UMA CONCORRENTE DA CBA, TIPO NASCAR X FIA…

  14. roque baroni disse:

    Sou piloto de arrancada e cheguei ao rio de janeiro. Um ano antes de seu fim. Vi a muita gente falando,mas nada de agir..
    Viram as coisas acontecendo e ficaram passivos.qdo a coisa aconteceu foram levar faixas para a pista. Políticos não tem sentimentos, não tem sensibilidade..todos são covardes,filhos da puta..nenhum se sensibiliza com faixas..passaram por do MP, acordos etc..faltou alguém de,coragem paraassumir uma liderança. Agora é tarde.cadê que ninguém se mobiliza para levar os,carros de corrida e fechar a entrada da obra? Cadê os pilotos que não fecham a entrada da prefeitura, cadê os,pilotos e lideranças que,não invadem a cba. Medindo de ser preso? Petiscos de merda, povo de merda e PILOTOS DE MERDA

  15. Elthon Charles disse:

    Eu acredito em algo acontecendo para que venhamos há ter um circuito. Não sei como, mais nós cariocas não vamos ficar sem pista para competições automobilísticas, nossos JOVENS estão morrendo nas Av da vida, em nossa cidade fora os que lá se mantiam os seus, famílias investimentos e etc foram de ralo. Eu ACREDITO!!!

  16. Elthon Charles disse:

    E deixo aqui meu total agradecimentos há vocês e principalmente há você Rodrigo! Sou espectador assíduo da NASCAR e sempre deixo meus palpites ao vivo e comentários. Vocês são nota 10 ! Tiro o chapéu para essa equipe de comentaristas da NASCAR. Abraços S. Lagos e seus!!!!!!

  17. Alvaro Ferreira disse:

    Tudo já foi dito. Tem hora que cansa ser brasileiro, cansa ser carioca.

  18. Alex disse:

    Vocês aí no Rio ainda reclamam de barriga cheia…E aqui em São Paulo, que se reelegeu em primeiro turno, com maioria esmagadora e pela enésima vez, um governador que é um verdadeiro bandido?

  19. Fernando Lima disse:

    Sobre o texto, nada a acrescentar, apenas perguntar onde posso assinar…
    Mas é admirável a iniciativa de ira além do “pais de merda”, afinal um pais é feito de seu povo, um povo de merda, que aceita tudo passivamente, que xinga a presidente da república porque considera seu partido (o único) corrupto mas bate palmas para um presidente da câmara de deputados comprovadamente corrupto pelo ministério público da Suíça ( porque se depender do nosso…)…
    Apesar do texto ser direcionado especificamente à situação do finado autódromo do Rio, é bem provável que São Paulo vá para o mesmo caminho, quando a F1 firmar contrato com mais algum pais caça-níquel do Oriente Médio e rifar Interlagos do calendário…talvez aconteça em dois anos, no máximo…e, quer saber?? O Brasil colhe exatamente o que planta, em diversos aspectos: Nada!!

  20. Fernando Lima disse:

    Apenas para complementar, Mattar mais dois episódios entre o final do ano passado e início deste resumem bem a imagem que o Brasil vende como organizador de eventos de automobilismo: O WEC, que nunca mais deverá retornar ao Brasil ( e com razão…) por conta de tamanha desorganização que foi a última 6h de São Paulo, a ponto do CEO da categoria se manifestar publicamente de maneira categórica, além é claro, dos problemas do promotor com seus fornecedores desde a primeira edição da prova, e o absurdo caso da Brasília Indy 300, que teve o contrato cancelado por recomendação do Ministério Público do DF por conta de irregularidades nos valores do contrato…além da já conhecida situação político-financeira da praça escolhida pelo promotor, fora o prazo, evidentemente curto entre as “obra” e a suposta realização da corrida…de quebra, matou mais um autódromo.

  21. leonardo sampaio e santos disse:

    https://www.youtube.com/watch?v=07w9K2XR3f0
    eis por que nunca acreditei que o autodromo pudesse ser salvo e por que jamais teriamos outro

  22. eduardo disse:

    bom dia.

    não podemos esquecer que o canal fox também esta partindo para o lado da bosta, não transmitiu a nascar 1/11/15, uma das melhores corridas da temporada, sei que você não tem a ver com isso, mas chuta a bunda de alguém por nós.

    obrigado

  23. Douglas Ricardo disse:

    Rodrigo, as Olimpíadas não quebrarão o País!
    A Copa do Mundo, com todas as suas maracutaias, já o fez!
    Não contem comigo, na frente da TV, aplaudindo o esporte brazuca durante as Olimpíadas; prefiro cuidar do meu negócio enfrentando o legado da “MAROLINHA”!
    Abraço!

  24. alcindo disse:

    De acordo judicial não cabe recurso, quem assinou a quebra do acordo? ouve-se uma serie de colocações, citando varios proceres do automobilismo, não seria hora de buscar a verdade e, judicialmente os citarmos.

  25. Gustavo disse:

    Rodrigo,

    Relembrar é viver, e os dois artigos abaixo dão alguma luz sobre o fim do Autódromo de Jacarepaguá.

    http://www1.folha.uol.com.br/esporte/2012/05/1088030-cba-e-rio-apelam-a-ministra-por-crise-com-jacarepagua.shtml

    http://www1.folha.uol.com.br/esporte/2012/05/1088423-rio-e-cba-selam-paz-por-jacarepagua-e-obras-de-novo-autodromo-comecam-em-2013.shtml

    Com a palavra as pessoas citadas nos artigos: os senhores Cleyton Pinteiro, Eduardo Paes, Luiz Fernandes, Regis Fichtner, Ricardo Leyser, Djalma Neves, e as senhoras Gleisi Hoffmann e Mirian Blechior.

  26. Continuando a contagem:

    Jacarapaguá – exterminado
    Brasilia – extrema unção
    Interlagos – CTI, coma profundo e eutanásia em andamento
    Curitiba – Na fila do sus, ou no Corredor da Morte.

    Próximos deverão ser algum de Matogrosso ou algum do Nordeste. No Mato Grosso vão apelar para a contaminação ambiental e o desconforto dos bixinhos com o barulho, além de destoar com a paisagem…

    No Nordeste vão apelar que é pra fazer rezort, para turistas virem putanhar por aqui e traficar de tudo…

    Uma coisa digo pra vocês, e já falei isso aqui:

    AQUI NO RS ISSO VAI SER CORRIDO A BALA, FACÃO E MUITA PORRADA.

    Aqui Eu estou perto, no máximo 200 km de distância.

    No dia que surgir uma onda promovida por alguns viadinhos e pela imprensa burra para fechar algum dos nossos 4 autódromos, aí coloco meu carro atravessado na entrada e bem acintado com cabos de aço nas colunas… isso se não tocar fogo em cada portão de acesso e ficar de prontidão com um cardãn na mão pra sentar nas paletas do primeiro vadio que aparecer…

    Vou preso, mas muitos mais irão e aí sim o Brasil vai conhecer o que é manifestação e confronto por um ideal…

    Sem mais…

  27. Raphael disse:

    Não só as Olimpíadas irão quebrar o país, acho que a Copa já quebrou!! Vamos e já estamos pagando a conta!
    Show o desabafo Rodrigo! Foi meio tipo Valentino Rossi chutando o Marc Márquez!! kkkk

  28. João Ferreira disse:

    É uma pena mesmo, se vacilar, o GP do Rio de Janeiro volta, mas com um circuito capenga em volta da cidade olímpica, em Jacarepaguá mesmo.

    Vai ser uma lindeza…um relaxo…e dinheiro vai….

    Vamos continuar a exercer o único poder que o brasileiro tem, de fato, o poder da indignação.

  29. Cláudio Cardoso disse:

    As últimas corridas em Jacarepaguá que me lembro de assistir pela TV foram lastimáveis. O traçado sendo encurtado a cada evento, em meio as obras que iam mutilando a pista aos poucos.
    Eu que sou um apaixonado por velocidade desde a infância, quase vi o autódromo de minha cidade, Goiânia, ter o mesmo triste fim quando o nosso “querido” Governador aventou a ideia de vender o terreno para construção de um condomínio. Porém, sua investida foi sem sucesso, pois a área é fruto de doação de um dos fundadores da cidade, e caso a finalidade seja outra que não o autódromo, o Estado deve devolver o terreno à família. Graças a essa cláusula, hoje ainda temos aqui um local onde podemos ter o prazer de curtir a velocidade.
    Por isso, prezado Rodrigo Mattar, coaduno com sua indignação em ver uma das mais tradicionais praças do esporte a motor, com tantas histórias, como foi Jacarepaguá, morrer nas mãos de políticos asquerosos e hipócritas.

  30. Annibal Magalhães disse:

    Acredito que faltou criatividade, poderiam ter reformulado o local e mantido a pista com o parque olimpico, como se vê em Sochi, no GP da Rússia.

  31. Wilton disse:

    O texto é preciso! Estive em Jacarepaguá há cerca de 2 anos e presenciei o crime, a destruição! Deu vontade de chorar…
    Me restou pegar um pedaço do asfalto e guardar…
    Sou do interior de SP e já ouvi inúmeros boatos de um novo autódromo em diversas cidades (Itu, Cabreúva, Campinas, Indaiatuba)… nesses momentos saco meu nariz de palhaço do bolso e dou até piruetas!!!

  32. Matheus disse:

    Texto perfeito !!!

  33. Ricardo Soares disse:

    Acho que é o meu primeiro “comentário”; mas, APLAUDO DE PÉ, e assino embaixo, toda a colocação feita, Rodrigo. Como carioca, mas até independente do “fator espacial”, a perda desa praça esportiva, em prol de um factóide criado (e consentido pelos “idiotas úteis” – não desculpe-me pelo termo), representa bem o que se tem tornado exemplo nessa atual corja ascendente política aqui no nosso país. Obrigado pelo comentário; porém sinto (mas entendo), o “abandonar da trincheira”. Que os que fizeram, fiquem no esquecimento dos outros, para fazerem mais depois… Não veja como crítica negativa, mas como consternação… Abraços !!!

  34. Kleber Nunes disse:

    O Autódromo de Brasília está aí jogado às traças. Esta semana o Correio Braziliense soltou essa nota:

    http://blogs.correiobraziliense.com.br/cbpoder/2015/11/05/mp-entra-com-acao-penal-por-irregularidades-na-reforma-do-autodromo.

    O que me diz Rodrigo Mattar dessa notícia?

  35. Kadu Nogueira disse:

    As Olimpíadas vão quebrar o país e o RJ? E a Copa do Mundo, fez o que?

    Esse país vem sendo saqueado há décadas. Essa crise de agora nada mais é do que a colheita do que foi plantado ano após ano, governo após governo.

    A solução para o Brasil é um asteróide em Brasília.

  36. Nino Achcar disse:

    – Meu apoio ao texto do Rodrigo Mattar !

    – O prefeito Paes, devido aos seus interesses pessoais, desconsiderou e desprezou todas as possibilidades de rendas anuais e possivelmente contínuas para a cidade do Rio, sendo o Magnífico e diverso Autódromo Internacional do Rio (em Jacarepaguá que agora é “acochambradamente chamada “de “Barra”) utilizado (no mínimo) para realização de três conhecidos eventos internacionais de esporte-motor que têem mídia de interesse mundial, toda a exposição decorrente, movimentos no local e cidade decorrentes dos eventos em si.
    – Desconsiderou e desprezou tambem a possibilidade de fazer marcante e provavelmente determinante história, se tivesse, ao manter o autódromo carioca, decidido em acatar e aproveitar o excelente e premiado plano de urbanização executado pela UFF (Universidade Federal Fluminense) e com a colaboração da UFRJ para a batalhadora, mobilizada e do bem, comunidade da Vila Autódromo.
    – Esta urbanização seria algo exemplar e referencial na realidade deste país, já tão e cada vez mais favelizado !

    • Rodrigo Mattar disse:

      Mas há que se dizer, Nino, que o grande responsável por transformar a região conhecida como Camorim em Barra, pela mudança de zoneamento a fins de IPTU foi o antecessor e influência política do atual alcaide, Cesar Epitácio Maia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *