MENU

31 de janeiro de 2016 - 20:45IMSA

Derani Patrón

MOTORSPORT : ROLEX 24 HOURS - WEATHERTECH SPORTSCAR CHAMPIONSHIP - ROUND 1 - DAYTONA BEACH (USA) 01/27-31/2016

Pipo Derani: o grande nome das 24h de Daytona e do histórico triunfo da Tequila Patrón ESM na Flórida (Foto: Sportscar365.com)

RIO DE JANEIRO – Foi uma vitória histórica em todos os sentidos: o triunfo da Tequila Patrón ESM foi o primeiro da história do time nas 24h de Daytona e igualmente o primeiro para um protótipo LMP2 – quebrando uma hegemonia de anos dos Daytona Prototypes, que fizeram sua última aparição na pista dentro da configuração atual – e o primeiro da história da Honda na prova que já tem mais de 54 anos de existência. E tudo isso, graças a um brasileiro.

Resultado extra-oficial das 24h de Daytona

Com uma atuação soberba no circuito da Flórida, mostrando velocidade e maturidade para um jovem de 22 anos apenas, Pipo Derani foi o “Man of the Race”. Guiou muito em seus turnos de pilotagem, desde o início, comandando a corrida e também liderando com maestria após superar o Corvette DP #10 da Wayne Taylor Racing, seu principal adversário nas últimas três horas de disputa. Os patrões Ed Brown e Scott Sharp não poderiam estar mais felizes com a performance do seu novo pupilo.

E pela primeira vez, vimos dois pilotos do país em 1-2 no pódio. Se Derani ajudou o #2 a chegar na frente, Rubens Barrichello deu uma boa parcela de contribuição para o resultado positivo do #10, embora não tenha guiado na fase final da prova. O piloto cumpriu dois turnos de pilotagem, suficientes para não comprometer o carro – que chegou ao final com problemas. Tão sérios ao ponto de deixar o veterano Max Angelelli intoxicado pelos gases do escapamento, que causava uma forte vibração no protótipo. O piloto foi hospitalizado, mas passa bem.

12622284_950355425051288_7494663365732820725_o

Christian Fittipaldi poderia ter conquistado sua 3ª vitória em Daytona e Scott Pruett queria quebrar o recorde de vitórias da história das 24h: o #5 da Action Express Racing acabou em quarto (Foto: José Mário Dias)

Quem também poderia ter ido ao pódio, com chances de chegar à 3ª vitória na pista inclusive, foi Christian Fittipaldi. O #5 da Action Express Racing liderava quando enfrentou um problema num eixo traseiro, que levou o Corvette DP para a garagem. O carro perdeu cinco voltas e o quarteto que tinha ainda João Barbosa, Filipe Albuquerque e Scott Pruett (sonhando em desempatar o maior número de vitórias na história – cinco, recorde que divide com Hurley Haywood) acabou mesmo em 4º lugar.

O #02 do quarteto ganhador no ano passado teve uma série de problemas, embora o carro tenha até liderado. Tony Kanaan estava a bordo quando precisou levar o Ford EcoBoost Riley DP à garagem com problemas de freios. Depois, Kyle Larson bateu pouco antes da 22ª hora de prova. O resultado foi até certo ponto decepcionante: 13º na geral e sétimo na categoria. Já o Ligier JS P2 HPD de Oswaldo Negri e seus parceiros John Pew, Olivier Pla e AJ Allmendinger foi vítima de um sério problema mecãnico com “Ozz” ao volante. Um desapontamento só e ele foi o único brasileiro a não terminar a disputa.

Outro destaque das 24h de Daytona foi a surpreendente performance do DeltaWing, pelo menos com Katherine Legge ao volante. Quando a corrida chegou ao período noturno, com Andy Meyrick a bordo, o estranho protótipo que chegou a liderar a corrida bateu violentamente no #8 da Starworks que estava parado na tomada da curva 1. O acidente acabou com a corrida do #0 e o carro da classe Prototype Challenge, embora danificado, sobreviveu e chegou ao final.

20161312153185_gtlm_II

A imagem acima diz tudo: final épico na GTLM com 0″034 separando o vencedor do 2º colocado, numa batalha eletrizante (Foto: Reprodução/Grande Prêmio)

Na classe GTLM, final épico envolvendo os dois Corvette C7-R guiados no fim da disputa por Oliver Gavin e Antonio Garcia. O espanhol bem que tentou, mas desta vez foi o britânico, dividindo a pilotagem com Tommy Milner e Marcel Fässler que chegou à frente. Detalhe: por meros 0″034 de segundo, após 722 voltas e 24h de disputa. Garcia, no trecho final, ainda sacou do bolso do macacão uma volta excepcional em 1’44″014, a mais rápida da categoria e novo recorde da pista para a classe.

Dagys_2016_11661

Dos novos GTLM, a Ferrari F488 GTE conseguiu a melhor colocação na categoria: 4º lugar, no carro que teve a bordo Daniel Serra, inscrito pela Scuderia Corsa (Foto: Sportscar365.com)

O Porsche #912 de Earl Bamber/Michael Christensen/Fred Makowiecki perdeu o fôlego no turno final e acabou em 3º lugar, salvando a corrida da equipe oficial de fábrica do construtor alemão, já que o #911 teve problemas mecânicos e perdeu muitas voltas na garagem. Entre os novos carros que estrearam nas 24h de Daytona, a Ferrari F488 GTE se destacou: a Scuderia Corsa fez sua primeira corrida na GTLM e logo conseguiu um excelente quarto lugar na categoria, 10º lugar na geral, num bom trabalho da tripulação que tinha Daniel Serra entre os pilotos, além de Alessandro Pier Guidi, Memo Rojas e Alexandre Prémat.

Já a BMW M6 GTLM sobreviveu também à exigência da disputa e terminou em 5º, na mesma volta dos vencedores. Augusto Farfus, mais Bill Auberlen, Bruno Spengler e Dirk Werner fizeram um bom trabalho, a despeito do problema mecânico que tirou o #100 da disputa. Em contrapartida, o novo Ford GT foi um poço de problemas e os dois carros, embora tenham mostrado alguma velocidade, tiveram diversos problemas de eletrônica, de câmbio, vários pneus furados e até portas se abrindo sozinhas. O #66 de Joey Hand/Dirk Müller/Sebastién Bourdais sofreu menos, já que perdeu 46 voltas e terminou a prova em 7º na classe, 31º na geral. O #67 de Ryan Briscoe/Richard Westbrook/Stefan Mücke foi mais “zicado” e acabou em nono lugar na categoria, a 176 voltas do vencedor da corrida.

unnamed

Os Senhores dos Anéis atacam novamente: triunfo para a Magnus Racing e o Audi de Marco Seefried/Rene Rast/Andy Lally/John Potter na divisão GTD (Foto: Audi Media Center/Divulgação)

A GTD, com a estreia de muitos carros novos, teve um recorde histórico: sete marcas diferentes nas sete primeiras colocações, num final dramático. Alguns pilotos tiveram que salvar combustível e Marc Basseng, que chegou a levar o #28 da Konrad Motorsport à liderança, não conseguiu. Perdeu a vitória e o pódio, chegando na quinta posição. Salvando o que dava, a Magnus Racing levou o troféu de campeã da prova na sua categoria, com a insuspeita regularidade do Audi R8 LMS geração 2. Rene Rast/Marco Seefried/Andy Lally/John Potter ficaram com o primeiro lugar, menos de quatro segundos à frente do Porsche da Black Swan Racing, que fez ótima corrida graças a Patrick Long/Tim Pappas/Nicky Catsburg/Andy Pilgrim.

Vencedora da corrida ano passado, a Riley Motorsports salvou o 3º lugar com o Viper #93, seguida do Aston Martin oficial de fábrica, do Lambo Huracán que quase venceu (e tinha Ricardo Divila na engenharia), secundado pela nova BMW M6 GT3 e pela velha Ferrari F458 GT3 da Scuderia Corsa, que salvou um resultado bem razoável na estreia da dinamarquesa Christina Nielsen pela equipe de Giacomo Mattioli.

A classe PC, mais uma vez mostrando sua pouca competitividade em provas longas, premiou quem teve menos problemas. Ganhou o #85 da JDC/Miller Motorsports, tripulado por Kenton Koch/Chris Miller/Stephen Simpson/Misha Goikhberg. A PR1/Mathiasen, que venceu ano passado, chegou a ficar nove voltas atrás dos ponteiros, mas recuperou cinco com as bandeiras amarelas e com um problema do líder, chegando em 2º com Tom Kimber-Smith/Robert Alon/José Gutierrez/Nicholas Boulle. A BAR1, pole position da classe nos treinos, salvou o pódio com o #20 de Marc Drumwright/Ricardo Vera/Brendan Gaughan/Tomy Drissi/Johnny Mowlem. Já a bicampeã do IWSC, a CORE Autosport, despediu-se rapidinho da corrida, desistindo após 5h17min com graves problemas mecânicos em seu carro.

Parabéns aos pilotos brasileiros que deram show na Flórida e conquistaram a quarta vitória de representantes do país nos últimos cinco anos, sendo esta a terceira consecutiva. E ainda tem quem ache que a Endurance não é uma porta aberta para todas as gerações de pilotos.

Expliquem isso agora, haters.

Compartilhar

24 comentários

  1. Eduardo S. Aranha disse:

    Excelente análise, Rodrigo Mattar. Foi, sem dúvida, uma das mais emocionantes corridas de Endurance dos últimos anos. Até a última meia hora de corrida, nada estava definido nas categorias de ponta. Pela disputa na fase final da corrida, os dois covertões deveriam ter recebido o troféu de primeiro lugar na categoria! Parabéns ao desempenho dos pilotos brasileiros, demonstrando alta qualidade. Ao meu ver, enterra-se, definitivamente, o que se dizia nas décadas de 70 e 80. Que os pilotos brasileiros não eram bons em provas de longa duração.

  2. Victor de Mattos disse:

    Grande corrida!!! Excelente cobertura da Fox…. com cerca de 6 a 7 de transmissão ao vivo!!!!! Parabéns Rodrigo pelos excelentes e divertidos comentários, principalmente em relação ao Delta Wing… rsrsrs
    Dobradinha brasileira na Geral e dobradinha dos Vettes na GTLM, a principal classe do endurance mundial… Em relacao ao chororô dos “porscheiros” no totó dado pelo Gavin no Porsche 912, fico com a opinião do Mattar e acrescento que a punição deveria ser ao carro alemão, pois poderia estragar a belíssima foto final proporcionada pelos V8 Chevrolet rsrsrsrs … Os Corvette s deram uma aula de performance e estratégia, e principalmente DURABILIDADE MECÂNICA, coisa que não se viu na concorrência… falando nisso, que tragédia a reestreia dos Ford GT…

  3. Bandeira disse:

    Rodrigo, parabéns pelo texto e pelos comentários na TV. Realmente o seu trabalho demonstra que você adora o que faz. Quanto à uma nova vitória de um brasileiro nesta prova, e da maneira como foi, mostra que ainda tem uma luz no fim do túnel, que o automobilismo internacional não é só fórmula (Um ou Indy), e que as corridas de endurance podem sim ser muito legais de assistir. Ainda mais com você e o Sérgio na TV. Parabéns mais uma vez.

  4. Isidio Cristóvão disse:

    Bela e disputada prova que acompanhei no começo claro no Foxsports 2 e depois via APP quando vi em alguns momentos 1-2-3 com pilotos BR. Mais belas máquinas e disputadas também na GTLM torcendo pelo M6 de Farfus e pra encerrar o comentário o surpreendente Delta Wing com rítimo alucinante.

  5. Fernando Lima disse:

    A corrida foi excelente e o resultado não poderia ser melhor, ao menos para mim que nunca escondi que prefiro os LMP2 aos DP’s. Esse “moleque” realmente guiou demais, rápido e consistente e parece que o conjunto Ligier Js/Honda encaixou…será que a ESM ainda pensa naquele HPD novo?
    Na GTLM, decepção total com os novos Ford GT, que não fizeram frente a nenhum dos concorrentes…precisa melhorar muito se quiser ganhar alguma coisa…referente aos demais, vi sempre boas disputas e claramente será a mais competitiva e empolgante das classes. Caso os Ford GT “entrem” na disputa, ficará ainda melhor.
    GTD também cheia de carros novos e lindíssimos…
    Para quem achava que o campeonato não iria dar certo…melhor rever os conceitos.

  6. Marchi disse:

    Corrida espetacular! Transmissão excelente com o profissionalismo levado a sério. Um exemplo para uma certa rede de TV que narra como se estivessem de bermuda em um churrasco com os amigos no Domingo (todos bêbados).

  7. Acompanhei pelo FOX2 e depois pela internet aovivo até voltar no FOX2.

    Rodrigo Mattar é o cara !

    Meu comentário é:

    ” Gostaria muito de ver um NASCAR Sprintcup andando alí. Pena que não tem categoria que se enquadre… ”

    Alguém palpita sobre o que um Sprintcup faria por alí ?

    hehehehehhhehhehehhe

  8. Jorge Barros disse:

    Rodrigo parabéns pra vc e o Sérgio, foi impressionante o tempo de transmissão da Fox2. Uma das corridas mais belas que ja vi ao vivo, tomara que Le Mans seja igualmente bem transmitida, sei que você consegue convencer os caras aí da Fox a nos darem esse presente. Assisti tudo olho na tela constante!

  9. Roberto Borges disse:

    Caro Rodrigo, excelente transmissão, seus comentários são sempre muito técnicos e apropriados. Por favor, mande os parabéns também para o Sérgio Lago.
    Espero que a Fox consiga transmitir as 12 h de Sebring também. Show do canal em encarar os eventos previstos.
    Ah, corrida muito boa, espetáculo do Pipo!
    Novamente, meus parabéns pelos comentários.

  10. Carlos Pereira disse:

    Bela corrida. Assisti boa parte pelo site oficial da IMSA.
    Cada dia mais me apaixono pela provas de longa duração.
    Parabéns ao brasileiros que conquistaram grandes resultados.

  11. Gustavo Oliveira disse:

    Corrida perfeita, vitória de um LMP soberbamente liderado por um brasileiro! Derani promete muito no endurance.

  12. Leonardo Silva Conrado disse:

    Sensacional a corrida do Pipo Derani, dominou completamente a parte final da corrida, e o final de todas as divisões das 24h de Daytona, foram sensacionais, principalmente na disputa entre os Corvettes. Parabéns também pela transmissão pelo Fox Sports, Rodrigo Mattar e Sérgio Lago.

  13. Antonio Vidal disse:

    Ainda bem…voltamos a viver…as “carreras” estão de volta….parabéns a toda a equipe FOX SPORTS que acredita e que nos compartilha provas e transmissões memoráveis.
    Parabéns a dupla Rodrigo Mattar( pó de arroz com rodas cobertas) e Sergio Lago com seu retumbante carioquês “…protótipo MAISZZZDA…” foi demais….
    Uma corrida sensacional vencida por um grande e novo talento brasileiro, PIPO DERANI deu show (já imaginaram este garoto ser contratado pela PORSCHE para correr o FIA WEC e vencer em LE MANS em 2017).
    Todas as categorias deram um show de competitividade do começo ao fim, mas mesmo diante da “patriotada” dos comissários gringos em favor da Corvette no final da prova, no geral, foi uma das melhores provas de endurance que assisti, graças a FOX SPORTS.
    Contrariando o Sr. Rodrigo Mattar, que acha normal um “toquizinho” em provas de turismo, pergunto então ao comentarista referência no esporte o seguinte: e se fosse a última volta da prova?…e se depois de 23 horas e 58 minutos de corrida, toda equipe PORSCHE ou qualquer outra competidora visse todo seu esforço ser jogado no lixo por conta de um toquizinho?…assista novamente o vídeo…perceba que NÃO havia espaço para a CORVETTE colocar por dentro naquela curva….errou o vencedor da prova…e deveria sim ser punido…mais uma vez, parabéns a FOX SPORTS e seus dois profissionais pela transmissão.

    • Rodrigo Mattar disse:

      Não havia espaço? Melhor o senhor trocar seus óculos. Ou, no caso, fazer um exame de vista. Toque NORMAL. Em todas as categorias de turismo tem isso. Ou você desconhece que o toque é um artifício usado em competições do gênero desde que o mundo é mundo?

      A Porsche reclamou? Não. Então ponto. Assunto encerrado.

      • Antonio Vidal disse:

        Então Rodrigo Mattar, você deve ter comentado outra prova…repito: Não havia espaço!…outro detalhe: a preferência da tangência sempre será do carro que está à frente de outro competidor….finalizo com outro detalhe: na época que andava e disputava provas de kart, categoria berço de todas as outras categorias( O Sr. já disputou alguma prova ou campeonato de kart?) este tipo de manobra era passível sim de punição….nesta época eu não usava óculos….concordo com VICTOR DE MATTOS quanto ao seu comentário sobre a “questão de tempo” em se realizar a ultrapassagem….mais uma vez, parabéns aos profissionais envolvidos na transmissão, todos eles, os que usam e não usam, óculos….

      • Rodrigo Mattar disse:

        A discussão é infundada. A Porsche nem recorreu. Caso encerrado.

    • Victor de Mattos disse:

      Era questão de tempo a ultrapassagem, ele só agilizou, pra se livrar de um carro mais lento e sem “sprint final” que era o caso do Porsche… aconselho você a assistir o final da prova de laguna seca, em 2009 pra ver o aconteceu… mas não se preocupe, logo a imsa da um jeito no regulamento pra beneficiar os alemães, com foi a temporada passada…

  14. Antonio Manuel da Silva disse:

    A corrida foi sensacional e, à dupla que a transmitiu pela Fox e a esta só temos que dar os parabéns, pois todos foram profissionais ao extremo.
    Que venham mais transmissões como esta e, estamos aguardando a NASCAR.

  15. Ricardo.divila disse:

    Mais um fim de semana desperdicado na minha vida. Corrida interessantissima e minha 70sima corrida de 24 horas. Depois de uma acirradissama briga de 24h ficamos em quinto quando a bomba de recuperacao de gasolina direita falhou, dando cortes de pressao no banking na ultima volta exigindo um splash and dash.

    Depois da corrida vimos que nao tinhamos pescado os ultimos tres litros….

    Excelente corrida do jovem Pipo Derani, e o heroi da equipe e tem o respeito de um professional tarimbado no meio.

    • Vinicius disse:

      Desperdício?!?!?!?!?

      Caro sr. Divila, sou mecânico de uma categoria GT3 aqui no Brasil. Se tem um motivo de honra para nós, mais do que pilotos, são os engenheiros e “mecas” brazucas envolvidos no MotorSport mundial e disputando vitória de maneira sólida e consistente. Em Dubai vcs deram show, e em Daytona novamente. A vitória é questão de tempo…. Vitória maior vc já possui: trabalhar nas mais consagradas corridas pelo mundo. Quem me dera conseguir sair daqui do Brasil para Miami e ter a honra de trabalhar com um brazuca do seu gabarito. Parabéns pelo seu trabalho, nem sempre recompensado na linha de chegada, mas não tira o seu mérito.

    • Vinicius disse:

      Caro sr. Divila, sou mecânico aqui no Brasil da principal categoria GT3 e posso afirmar que para nós seu fim de semana não foi um desperdício. Desde Dubai vcs vem dando muito trabalho pros concorrentes e a vitória é questão de tempo. Quem dera eu ter uma oportunidade dessa em Daytona. Parabéns pelo seu trabalho, e pela corrida. MotorSport nem sempre é recompensado na linha de chegada, mas saiba que admiro seu trabalho. Good job!

  16. Vinicius disse:

    Kkkkkkk sorry Mattar! Deu pau aqui no meu celular,graças a excelente Internet 4G de nosso país! Bom se foi brincadeira então tá valendo! E espero que vcs possam exibir a etapa de Sebring, foi uma ótima transmissão!
    Obrigado!

  17. andre lima disse:

    Ótima prova e grande vitória do Derani; no domingo voltei a ver pelo site da categoria por volta do meio dia… e vi o moleque acelerando como gente grande e assumindo a ponta com uma linda ultrapassagem em cima do Christian, depois já pela Fox 2, vibrei quando os “velhinhos” da Patron perceberam que era só deixar o carro na mão do garoto para levarem o caneco pra casa. É engraçado o automobilismo… nos monopostos o Derani era um piloto comum, igual a maioria que infestam as categorias de todo mundo, mas no endurance parece que se encontrou, e se continuar nessa evolução durante a temporada do FIA WEC, não tenho a menor duvida que no ano que vem vai estar na P1 em uma equipe oficial como Porsche, Audi ou Toyota.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *