MENU

7 de março de 2016 - 07:1924 Horas de Le Mans, Mundial de Endurance

Nelsinho no WEC e de volta a Le Mans!

Cc4up-NUEAAtenG

RIO DE JANEIRO – Mais cedo que de costume, meu celular disparou o toque genérico de mensagem (que pode ser de e-mail, Facebook ou Twitter e até todos os três juntos). Resolvi levantar e conferir o que os meus instintos diziam para conferir: meu amigo Pedro Migão trouxe a grande notícia da segunda-feira. Nelsinho Piquet vai disputar mais uma vez as 24h de Le Mans, prova na qual já competiu há 10 anos, quando terminou em 9º lugar na geral – quarto na divisão LMGT1 – com um Grã-Turismo Aston Martin DBR9 do Team Modena, formando trio com David Brabham e Antonio Garcia.

Desta vez, Piquet terá a seu lado outro sobrenome famoso e outro piloto que, além do brasileiro, esteve na Fórmula 1. Ele comporá um dos trios da Rebellion Racing com ninguém menos que Nicolas Prost e Nick Heidfeld, substituindo Mathias Beche, que estará a serviço da Thiriet by TDS Racing na classe LMP2.

O acordo foi assinado não só para as 24h de Le Mans como também para as duas provas anteriores do FIA WEC. Assim, Nelsinho estará a bordo do protótipo Rebellion R-One LMP1 com motor AER P60 2,4 litros V6 Turbo nas 6h de Silverstone e de Spa-Francorchamps, nos meses de abril e maio. A página oficial da equipe confirmou que Nelsinho também estará no Prólogo do Mundial de Endurance em Paul Ricard, para efetuar os primeiros treinos e conhecer melhor o seu novo ‘brinquedo’.

“Estamos muito contentes em acolher Nelson Piquet Jr. na a equipe Rebellion Racing”, comentou o team manager Bart Hayden. “Como campeão da Fórmula E, Nelson correu contra Nico e Nick, mas agora os três vão formar parceria num carro da equipe, e estamos confiantes de que eles serão fortes companheiros. Le Mans exige o melhor nível de preparação, por isso também estamos contentes em anunciar que Nelson estará conosco na Rebellion Racing no Prólogo e nas duas primeiras rodadas do Campeonato Mundial FIA Endurance em Silverstone e Spa. Estamos apenas algumas semanas de distância do Prólogo e estão todos ansiosos para o início da nova temporada”, afiançou.

“Estou muito feliz por fazer parte da Rebellion Racing em várias corridas desta temporada, incluindo, naturalmente, as 24h Le Mans”, comentou Nelsinho no comunicado oficial do time suíço. “Le Mans é um dos eventos mais especiais do mundo do esporte a motor e eu adorei quando eu corri lá em 2006. Foi um dos pontos altos da minha carreira e eu tinha como meta voltar a Le Mans novamente. Eu não poderia estar mais feliz do que estar fazendo isso com uma equipe tão boa e, juntamente com Nico [Prost] e Nick [Heidfeld] como os meus companheiros de equipe. Eu mal posso esperar para entrar no carro em Paul Ricard no final deste mês para começar a nossa preparação.”

Para quem acompanha o WEC e para os iniciados, a Rebellion é hoje a quarta força da classe LMP1 no WEC, perdendo apenas para os três times oficiais de fábrica – Audi, Porsche e Toyota. Seu carro, construído em parceria com a Oreca, teve o mérito de ser um dos mais velozes no speedtrap em Le Mans no ano passado. Por vezes, em 2015, os dois bólidos tiveram alguns problemas de falta de confiabilidade, mas a equipe sabe trabalhar bem para detectar os pontos fracos e resolvê-los. O que se espera é que os helvéticos tenham menos dificuldades, já que a transição para o motor AER demorou e o carro com a nova configuração mecânica só estreou mesmo nas 24h de Le Mans. O carro também é relativamente novo em termos de desenvolvimento: menos de dois anos de uso.

Outro detalhe que o Nelsinho vai gostar de saber: o carro tem o dorsal #12. É o mesmo com que o pai, o velho Nelsão, foi campeão na Fórmula Super Vê no Brasil em 1976.

Com isso, o “cordão” brasileiro no WEC sobe – pelo menos até Le Mans – para cinco pilotos e seis já estão confirmados em Sarthe: Nelsinho, Di Grassi, Pipo Derani, Bruno Senna, Ozz Negri e Fernando Rees. Algo me diz que vem mais gente e que será o plantel mais forte de brasileiros na história das 24h de Le Mans.

Bem-vindo ao WEC, Nelsinho. Tomara que você aproveite, curta e não queira mais sair desse negócio.

Compartilhar

11 comentários

  1. Alexandre Quintão disse:

    Excelente notícia para nós, amantes do automobilismo e fãs de Nelsinho Piquet o melhor piloto brasileiro dos últimos 20 anos.
    A você, Rodrigo Mattar, os meus parabéns pelo instinto jornalístico. Seu amor ao automobilismo é admirável e o seu talento, competência e dedicação profissional são inigualáveis.
    Abraço!

    • Gabriel Medina, O outro disse:

      Nelsinho é excelente piloto, mas melhor dos últimos 20 anos não. Gil de Ferran, Cristiano da Matta, Tony Kanaam, Helio Castro Neves, Rubens Barrichelo e, principalmente, Felipe Massa tem muito mais currículo.

      Sim, sei que foi campeão da FE e sim, não acho a categoria nada do que dizem.

  2. Pedro Migão disse:

    Mattar, alguma chance de ele acabar fazendo a temporada completa?

    • Rodrigo Mattar disse:

      Não sei. A princípio o acordo é para três corridas.

      • Alexandre Quintão disse:

        Me permitam intrometer. Quanto à possibilidade do Nelsinho Piquet participar da temporada completa do WEC é improvável. Haja vista, que o contrato com a Nextev TCR o impediu, por exemplo, de disputar, como ele gostaria, a temporada completa do Red Bull GRC.

  3. Rafael Alves disse:

    É uma ótima notícia sem dúvida. Mas poderia ser melhor ainda se Prost não fosse seu companheiro, é muito ruim. Heidfeld é consistente e não compromete mas a presença de Prost já me tira a empolgação de ver um bom resultado desta equipe.

  4. RomuloSonic disse:

    Que grande notícia Rodrigo!
    Tempos atrás eu escrevi no Twitter que adoraria ver Nico Prost, Bruno Senna e Nelsinho no mesmo carro, para disputar LeMans, seria um baita marketing!

    Bem… Ficou Prost e Piquet juntos naquele que é o carro mais lindo do WEC, na minha modesta opinião!

    Assim como você, faço votos para que Nelsinho fique em definitivo no WEC e que a Rebellion um dia tenha um powertrain híbrido para brigar ainda mais pra frente!

  5. Luciano disse:

    O número 12 foi usado também por Nelson pai, ao vencer os 1000 km de Nurburgring 1981 de BMW M1 ao lado de Hans Joachim Stuck.

  6. Fernando Lima disse:

    Excelente notícia para o Brasil, pois Nelsinho tem qualidades suficientes para o posto…e o plantel de brasileiros em Le Mans ainda deverá contar com Antônio Pizzonia, que deve correr de LMP2.

  7. Pdr Rms disse:

    Impressionante como o Prost filho é a cara do pai. Infelizmente para ele, as semelhanças param por ai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *