Direto do túnel do tempo (350)

D

audi_r8_1999

RIO DE JANEIRO – A história da Audi no Endurance teve seu ponto final no último sábado. No dia 19 de novembro, os quatrargólicos despediram-se em grande estilo das pistas, com a vitória na última etapa do WEC – as 6h do Bahrein.

Mas é bom lembrar como e quando tudo começou.

No ano de 1999, a marca entrava de vez nas competições de longa duração. A Audi voltava ao cenário das grandes corridas praticamente seis décadas depois do período de dominação da Auto Union, de quem a casa de Ingolstadt herdou o símbolo dos quatro anéis entrelaçados.

O bólido à esquerda da foto estreou primeiro: era o Audi R8R, projeto de Tony Southgate, construído na Itália pela Dallara com motor V8 3,6 litros dotado de dupla turbina Garrett e alinhado pelo Audi Sport Team Joest. Começava aí uma simbiose poucas vezes vista na Endurance contemporânea, depois do término da parceria do time de Wald-Michelbach com a Porsche.

O carro da direita é o R8C, um protótipo coupé fechado, na época chamado de GTP. Tinha a mesma mecânica do protótipo Spyder e foi alinhado pelo Audi Sport UK na disputa das 24h de Le Mans. O carro foi concebido por Peter Elleray – o mesmo que desenharia o vitorioso Bentley EXP Speed 8 anos depois – e montado pela Racing Technology Norfolk (RTN), mas foi um fracasso.

Já o R8R, além de começar com um pódio nas 12h de Sebring graças a Michele Alboreto/Dindo Capello/Stefan Johansson – que terminaram a prova em 3º lugar, ainda repetiu o mesmo resultado em Sarthe, com Didier Theys/Frank Biela/Emanuele Pirro.

O resto, todo mundo sabe: a marca conquistou 107 vitórias em provas de longa duração e 13 titulos nas 24h de Le Mans a partir do ano seguinte.

Há 17 anos, direto do túnel do tempo.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

6 Comentários

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames