MENU

9 de março de 2017 - 16:40Fórmula 2

A Fórmula 2 está de volta

HERO

RIO DE JANEIRO – É oficial: a FIA e a Fórmula 1, sob a administração do Liberty Media, se acertaram e finalmente a GP2 Series troca de nome após 12 anos. A sucessora da antiga Fórmula 3000 herda o nome Fórmula 2, que foi usado num “revival” entre os anos de 2009 e 2012, com carros construídos pela Williams e com motores Audi Turbo 1,8 litro preparados pela Mountune. Uma coisa é certa: todo mundo ficou com saudades da boa e velha F-2 que se iniciou em 1948 e pereceu em 1984, já que a “nova” categoria não deu muito certo.

A mudança de nome da GP2 Series para Fórmula 2 – um plano que vinha sendo estudado desde 2015 – tinha um empecilho: Bernie Ecclestone era frontalmente contra a proposta da FIA. Mas o grupo de Chase Carey, que agora controla a categoria máxima do automobilismo internacional, não apresentou qualquer tipo de oposição. Além do mais, o Liberty Media tinha adquirido no pacote o direito de organizar a GP2, ou melhor, a Fórmula 2.

“Racionalizar o caminho para a F1 tem sido uma das grandes metas da FIA no meu tempo aqui, e a designação de uma nova F2 vai atingir essa meta. Claro que estamos numa fase inicial de desenvolvimento do campeonato, mas acho que existe muito escopo para desenvolvimento”, falou o presidente Jean Todt.

“O Conselho Mundial de Automobilismo aprovou a criação da FIA F2 a partir de 2017. A FIA chegou a um acordo com o Grupo F1 com respeito à transição da categoria GP2 para F2, e o campeonato terá todas as datas, menos uma, atreladas ao calendário da F1”, disse o comunicado.

A novidade qualifica ainda mais a Fórmula 2 dentro dos critérios da FIA que oferecem a Superlicença aos pilotos que desejam correr na Fórmula 1. Os três primeiros colocados na classificação final de 2017 passam a ganhar 40 pontos na “carteira” e não só o campeão e o vice. A pontuação entre o 4º e o 10º posto ao fim do campeonato será a seguinte: 30-20-10-8-6-4-3.

Compartilhar

10 comentários

  1. Robertom disse:

    Rodrigo, e a GP3? Continua a se chamar GP3? Imagino que não pode simplesmente virar F3…

  2. João Ferreira disse:

    Pois, desde que mudaram as regras da pontuação da superlicença, sabia que algo ia mudar, só não sabia quando, a GP2 mudar para F2, distribuindo mais pontos, força pilotos mais novos a disputá-la, assim diminuirá a influência de categorias como a World Series V8 e Formula 3 Europeia no peso das escolhas dos pilotos para a Formula 1.

  3. Claudio disse:

    Tomara que a mudança não venha apenas no nome. A categoria já carece de uma renovação desde 2014, o carro atual é o mesmo desde 2011 (cada geração deveria durar 3 anos), o abismo hoje entre esse carro e um F1 é muito grande, esse ano a diferença deve girar em torno de 7 a 9 seguindos por volta, e para piorar, os custos são enormes, provável que esse ano tenha somente 20 pilotos no grid com a saída da Carlin, muito pouco para uma categoria de base.
    Apesar de tudo, é uma categoria legal, revela alguns ótimos pilotos, mas essa defasagem existente com relação à F1, aliada a outros fatores, faz com que muitos não alcancem a categoria acima

  4. TARCISIO FRASCINO FONSECA disse:

    O ideal é que fosse como era até 1984: varias opções de chassis, o que talvez trouxesse novos fabricantes ( e servindo como vestibular para a Fórmula UM).
    Na Fórmula Dois antiga predominavam motores Ford Cosworth e BMW. Uma disputinha de motores seria mais animador.
    Mas enfim. como diriam os vulcanos, “Vida longa e próspera”

    • Rodrigo Mattar disse:

      Tarcísio, a gênese da F2 era a variedade de construtores. Mesmo já nos anos de crise, conto March, Ralt, AGS, Minardi, Spirit, Maurer e Toleman – sete marcas diferentes. A Honda usou a F2 como laboratório para seus motores, a BMW dominou a categoria por muito tempo. Brian Hart também veio da F2 para a F1. Falta essa simbiose entre a base e a categoria máxima. A Fórmula 1 se tornou proibitiva para os pequenos construtores e a GP2 Series vinha pelo mesmo caminho – e não à toa vem perdendo várias equipes, sendo a última delas a Carlin.

      • TARCISIO FRASCINO FONSECA disse:

        Lembro-me das corridas de Fórmula Dois em Interlagos no ano de 1972.
        Assisti as duas primeiras etapas pela TV
        José Carlos Pace, Emerson Fittipaldi, Mike Hailwood, Tim Schenken, Ronnie Peterson, etc.
        Carros: Lotus, Brabham, March e Chevron.
        Pneu Firestone ou Pneu Goodyear.
        Link da primeria etapa: http://www.formula2.net/F272_29.htm

  5. Daniel Dalence disse:

    Infelizmente tanto a GP2 (agora F2) quanto a GP3 estão morrendo. A F2 com míseros 20 carros no grid e a GP3 com 22 (isso se a Koiranen não desistir). Poderiam ambas absorver a moribunda Formula 3,5 V8.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *