MENU

27 de junho de 2017 - 23:40Motovelocidade

Gallina Vecchia!

valentino-rossi-assen-2017-mym_250617_78i5328

Gallina vecchia dà buon brodo: Valentino Rossi continua, aos 38 anos, impressionando pela forma e de como ainda conquista vitórias como a do último domingo, em Assen

RIO DE JANEIRO (Panela velha é que faz comida boa…) - Aos trinta e oito anos de idade, Valentino Rossi continua fazendo e acontecendo.

E a história do Mundial de Motovelocidade continua se reescrevendo em páginas vivas de tom amarelo, a cor que simboliza The Doctor e sua legião de fãs que, ensandecidos, lotam os circuitos mundo afora e reverenciam a lenda viva.

Nada mais simbólico que ver o italiano subir de novo ao topo do pódio – pela 115ª vez na carreira, que já chega à vigésima-segunda temporada, pasmem! – na pista que é aclamada como a Catedral do esporte em duas rodas. Assen perdeu muito de seu desafio com as reformas que tiraram no barato uns 2 km da pista. Mas o circuito Van Drenthe ainda é um daqueles que separa os homens dos meninos.

E olha que não faltou trabalho ao piloto da Yamaha. A chuva, sempre presente no GP da Holanda, traiu Maverick Viñales. O pole Johann Zarco foi devidamente enquadrado pelo maior de todos. E a luta pela vitória… que coisa linda! Que pega espetacular entre Vale, Marc Márquez, Andrea Dovizioso e este improvável Danilo Petrucci, doido para alcançar um triunfo que seria a zebra da MotoGP contemporânea, a maior surpresa da década, quiçá do século.

Mas os Deuses que apontaram para Valentino e disseram: “Você é o cara!” foram sábios. A moto azul de indefectível numeral #46 rasgou os últimos metros de Assen diante de um público em êxtase, urrando nas arquibancadas.

Nada mais bonito. Nada mais emblemático do que ver o maior, o melhor, mostrando quem é quem.

Digo e repito: se não fossem aqueles anos de Ducati, o recorde de Giacomo Agostini – outro gênio, que devemos inclusive reverenciar, pois ainda está no mundo dos vivos – já teria sido reduzido a pó.

Foi a 10ª vitória de Rossi só em Assen. E com os 25 pontos, mais o fato de Viñales não ter marcado nada, a luta pelo título segue acirrada. O líder agora é – quem diria – Andrea Dovizioso, com 115 pontos, quatro adiante do Maveco. Rossi é o terceiro com 108 e Márquez é o quarto com 104.

Ainda faltam 10 corridas.

Qual será o desfecho dessa vez?

3 comentários

  1. Milton Eller disse:

    Sabias palavras Rodrigo,

    Realmente os anos de Ducati atrapalharam mas, o que Rossi fez e anda faz pelo esporte de duas rodas é sensacional , sorte nossa que podemos ver e rever corridas como esta.

  2. Claudio disse:

    Esse ano tanto corridas como campeonato estão sensacionais, melhor ainda que no ano passado, quando a essa altura já era claro que Márquez levaria. Tantos pilotos bons no grid, somados a alta competitividade e a maneira aleatória de como as forças estão dispostas a cada corrida tornam o desfecho imprevisível. Repito aquilo que comentei antes do início da temporada. Vai ficar com o título aquele que melhor lidar com os finais de semana ruins e conseguir permanecer em cima da moto.

  3. Danir disse:

    Ver o doutor pilotar é algo especial. Toda aquela garotada com um talento incrível, e o “Velhino” ensinando como se deve pilotar uma moto.. Um nome que se subir vai fazer uma carreira vencedora e o Romano Fenati, Tem garra, talento e habilidade para se tornar um ponto de referência. Apesar do mal gênio segundo dizem. Espero que suba para a GP 2 em 2018, para chegar mais rápido à Moto GP. Bem lembrado que Giacomo Agostini e Valentino Rossi, formam a nata do talento na moto velocidade. Falar bem deles é chover no molhado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>