MENU

20 de março de 2018 - 18:55Automobilismo Internacional

Fisichella e Fässler são as grandes atrações da abertura do Australiano de GT em Melbourne

Australian-GT-Melbourne-2017-Start-2

O CAMS Australian GT volta à ação em 2018 com atrações no grid: a presença de Marcel Fässler num Audi e de Giancarlo Fisichella a bordo de uma Ferrari, dão status à rodada quádrupla que é uma das preliminares do GP da Austrália de Fórmula 1 em Melbourne

RIO DE JANEIRO – Vai começar o CAMS Australian GT como uma das preliminares – de luxo – da abertura do Campeonato Mundial de Fórmula 1 neste fim de semana no Albert Park, em Melbourne. O evento marca também a primeira de um total de oito provas previstas para os modelos de Grã-Turismo, com várias atrações na lista de entradas, incluindo um antigo vencedor do GP da Austrália.

Esse antigo vencedor é ninguém menos que o italiano Giancarlo Fisichella: aos 45 anos, o “Fisico” vai disputar a rodada inaugural do CAMS Australian GT na Ferrari 488 GT3 #88 da Maranello Motorsport ao lado de Peter Edwards. Mas ele não é o único nome de peso confirmado, já que o suíço Marcel Fässler estreia no carro #1 do campeão Geoff Emery, como o substituto do sul-africano Kelvin Van der Linde.

Serão quatro corridas de tiro curto – máximo de 25 minutos de duração – a ser disputadas após a realização de dois treinos classificatórios, dividindo as duplas em pilotos de graduação Pro e os demais de graduação inferior na outra sessão. O primeiro treino define o grid das provas #1 e #3, enquanto o outro vai apontar o pelotão das provas #2 e #4.

Já na quinta-feira (da Austrália) haverá corrida. Às 4h da manhã, pelo horário de Brasilia, teremos a prova inaugural da rodada quádrupla, com duração de 11 voltas. A prova #2 é quinta-feira para nós, brasileiros e sexta-feira – para eles – no horário de 20h45, no total com 10 voltas. As demais corridas – novamente com 11 e 10 voltas cada – são às 22h de Brasília na sexta e no sábado para nós. Lá na Austrália serão disputadas a partir do meio-dia, sábado e domingo.

Um total de 30 carros estão confirmados no evento, sendo 13 da classe principal – a GT3, com mais quatro GT4 e os demais 13 são da classe Trophy, que permite modelos mais antigos, inclusive o Camaro, cujo desenvolvimento foi encerrado em favor do Callaway C7.R GT3. Sendo assim, onze marcas diferentes estão representadas: Audi, Ferrari, Mercedes-AMG, Porsche, Lamborghini, McLaren, Camaro, Ginetta, Aston Martin e KTM.

1 comentário

  1. Fernando Silva disse:

    Toda vez que leio algum post sobre categorias GT3 me dá uma dor no coração ao lembrar que tivemos uma categoria muito bacana no Brasil que mostrou potencial até mesmo para roubar da Stock Car o status de melhor evento automobilístico do pais (quem assistiu in loco na época sabe do que estou falando…), e que praticamente se autodestruiu por motivos até hoje muito mal explicados.
    Competições de GT3 são receita fácil de sucesso pela variedade de tipos de construção dos carros, as marcas, basta ver as séries Blancpain na Europa, campeonato que já teve chancela da FIA (SRO – FIA GT1/GT3), ou a classe GTD do IMSA, que hoje nada deve ás demais em termos de variedade e competitividade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *