MENU

27 de março de 2018 - 23:34Supercars Series

Supercars: quatro vencedores diferentes em Melbourne

DSC_8795-800x533

Foram quatro os vencedores diferentes no último fim de semana em Melbourne, nas provas preliminares dos Supercars para o GP da Austrália de Fórmula 1. Mas o Larry Perkins Trophy (com o próprio o ofertando no pódio) ficou mesmo com o sete vezes campeão da categoria, Jamie Whincup

RIO DE JANEIRO – Após anos fazendo parte do GP da Austrália de Fórmula 1 como evento hors-concours, ou seja, sem valer pontos, os pilotos do Supercars Series, o mais importante campeonato de automobilismo da Austrália, foram à pista do Albert Park no último fim de semana para a disputa de quatro baterias de tiro curto, com dois treinos de classificação: o primeiro definiu a ordem de largada para as provas #1 e #3, enquanto o segundo formou o grid das provas #2 e #4.

Os eventos também tiveram formato diferenciado. As corridas ímpares em Melbourne foram mais longas, com 25 voltas no total. As pares foram de tiro curto, com apenas onze voltas cada.

A surpresa foi que, diferentemente da Adelaide 500, houve vencedores diferentes – quatro no total. O que não foi empecilho para Shane Van Gisbergen, que fez a “varrida” na primeira prova, permanecer como líder do campeonato.

Dois de seus perseguidores mais próximos na pontuação ganharam em Melbourne: o vice-campeão de 2017 Scott McLaughlin rumou da pole para o triunfo na prova #1, abrindo os trabalhos do fim de semana. O segundo evento da rodada foi no sábado, com pista totalmente molhada antes do treino de classificação da Fórmula 1. E quem se aproveitou das condições traiçoeiras foi Jamie Whincup, o atual campeão da categoria, para conquistar sua primeira vitória em 2018.

A terceira etapa do fim de semana foi igualmente no sábado, com a luz dos faróis no Albert Park, um espetáculo sem igual. Vitória de Scott Pye e a primeira da associação entre a equipe Walkinshaw com Michael Andretti e a United Autosports de Zak Brown e Richard Dean.

E no domingo, horas antes do GP da Austrália, o vencedor foi David Reynolds – um belo triunfo para a equipe Erebus, chefiada por uma mulher, Betty Klimenko. Com a vitória, Reynolds subiu para 3º no campeonato.

Porém, com os quatro pódios que conquistou em Melbourne – sendo assim o piloto que mais pontos marcou no fim de semana – o Larry Perkins Trophy, ofertado àquele com os melhores resultados do fim de semana, parou nas mãos do campeão Whincup. Ele era o 15º na classificação após Adelaide. Subiu para sexto, a 91 pontos de Van Gisbergen.

A única penalização com perda de pontos no campeonato durante todo o fim de semana foi cortesia da suíça Simona de Silvestro. Ela foi penalizada com o decréscimo de 25 pontos na classificação do Supercars Series por ter provocado uma colisão evitável com o adversário Jack Le Brocq na prova #3 de Melbourne. Também a Tickford Racing, nova equipe da Ford na categoria, levou uma punição de 3 mil dólares australianos e a perda de 30 pontos no campeonato de equipes, por infringir o procedimento de pit stop durante uma das corridas.

A próxima rodada será após a Páscoa, no circuito Symmons Plains em Launceston, na Tasmânia. Nessa oportunidade e em outro evento do campeonato, em Barbagallo, haverá nocaute nos treinos de classificação – que serão divididos em Q1, Q2 e Q3. Foi um pedido dos pilotos, que se cansaram de perder voltas rápidas com congestionamentos nas pistas – que têm extensão curta. Symmons Plains tem 2,413 km e Barbagallo um pouquinho menos: 2,411 km.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *