Às armas!

À
IMSA WeatherTech Sports Car Championship
Vitoriosos: João Barbosa/Filipe Albuquerque triunfaram em Long Beach entre os Protótipos; Oliver Gavin/Tommy Milner levaram a Corvette à conquista na GTLM (Foto: IMSA/Reprodução)

RIO DE JANEIRO – Na vida de qualquer piloto de competição, existe o dia em que você sonha com uma loira daquelas esculturais e chove gorila na sua cabeça. E há dias em que chove a loira, a vitória, a liderança do campeonato e tudo com o que você jamais imaginou.

Foi o que aconteceu com Filipe Albuquerque e João Barbosa neste sábado no GP de Long Beach, a 3ª etapa do IMSA Weather Tech SportsCar Championship.

Porque a dupla portuguesa não tinha – nem de longe – o carro mais rápido da pista. Não tinha um equipamento 100%. Mas dentro das circunstâncias da corrida, tudo funcionou a contento. E por ter dado tão certo, Barbosa e Filipe foram premiados com a vitória – a segunda em três corridas – e, melhor ainda, com a ponta da classificação, somando agora 91 pontos.

Tem mais: Christian Fittipaldi, que dividiu a pilotagem com os parceiros lusos em Daytona e Sebring, apareceu em Long Beach do outro lado do “balcão”. Foi a primeira corrida da temporada em que o brasileiro desempenhou uma função importante de bastidores. Como novo diretor esportivo da equipe Action Express, Christian foi muito útil, aconselhando seus pilotos e definindo a questão da estratégia com os engenheiros e o Team Manager. E para uma primeira experiência pra valer, deu muito certo. O time comemorou seu 20º triunfo na série.

Foi uma corrida legal, animada, divertida. O início foi um show com o duelo à parte entre Juan Pablo Montoya, o pole position, com o brasileiro Felipe Nasr, que chegou a Long Beach com a moral elevada pela liderança do campeonato. Uma primeira bandeira amarela – cedo demais – aumentou a expectativa pela disputa e quando a coisa pegou fogo, Nasr simplesmente passou e despachou o colombiano, com uma autoridade poucas vezes vista.

Só que o carro #85 de Robert Alon provocou uma segunda bandeira amarela e essa intervenção do Safety Car trouxe novo colorido à disputa. Principalmente porque todos os demais protótipos pararam – menos os dos dois líderes. Trocas de pilotos, pneus e reabastecimentos foram efetuados. As mudanças na classificação apontavam os portugueses no páreo depois de um início de corrida apenas mediano.

E a dupla do #5 finalmente emergiu para a linha de frente quando, cansados de esperar por novas bandeiras amarelas que não vieram no momento em que precisavam, Nasr e Montoya pararam e trocaram com seus companheiros. Aí, meus amigos, a corrida de ambos foi para o vinagre. Eric Curran, o parceiro de Nasr, ainda passou por um esfrega-esfrega com um Porsche da GTLM na tentativa de ultrapassagem, o carro bateu no muro e provavelmente o alinhamento, o ajuste fino se perdeu aí.

Dane Cameron substituiu Montoya e também não descontou a diferença – pior, se enrolou com os GTLM, carros cerca de quatro segundos mais lentos que os Protótipos. Ao mesmo tempo, os rivais pararam a pouco menos de 45 minutos para o final, só para repor gasolina. Além de se salvarem na questão do combustível, seguiram competitivos e foi assim que Albuquerque/Barbosa rumaram para a vitória, pouco mais de quatro segundos à frente de Scott Sharp/Ryan Dalziel.

“A estratégia foi perfeita”, comentou Albuquerque. “Após o pit stop, acreditei na possibilidade da vitória. Tínhamos tudo sob controle e a corrida foi muito boa para nós. A equipe esteve maravilhosa hoje, além de ter nos dado um ótimo carro”, disse o português.

Renger Van der Zande e o “Metralha II” Jordan Taylor ficaram com o último lugar do pódio, enquanto a Mazda salvou um bom quarto posto com Oliver Jarvis/Tristan Nunez. Depois de tudo isso, Hélio Castroneves ainda acabaria como o melhor brasileiro, finalizando na sexta posição. Para Nasr, 7º colocado e não mais líder do campeonato com o resultado do GP de Long Beach, restou marcar a melhor volta da corrida em 1’13″492 e se tornar o novo recordista do traçado da Califórnia para a IMSA.

O Nissan Onroak DPi de Pipo Derani acabou quebrando: o piloto já estava a bordo quando a transmissão foi para o vinagre e ele teve que abandonar após quase 50 minutos de disputa e 32 voltas completadas.

Na GTLM, também venceu quem tinha o carro menos rápido, mas a estratégia mais eficiente e uma boa dose de sorte, também: o britânico Oliver Gavin chegou ao seu 50º triunfo como integrante da Corvette Racing, dividindo o carro #4 com Tommy Milner. Os problemas alheios também ajudaram, especialmente com os freios do Porsche de Earl Bamber/Laurens Vanthoor – que caminhava para a vitória – e o acidente da BMW de Alexander Sims/Connor De Philippi, que se arriscaram noutra estratégia, parando mais cedo que todo mundo no primeiro pit stop, foi igualmente decisivo.

Sem contar que Bamber e Sims foram também protagonistas de uma briga campal pela liderança da categoria de Grã-Turismo, que quase deixou o escriba aqui – que fez as vezes de narrador hoje – sem fôlego.

Ryan Briscoe/Richard Westbrook conseguiram um importante 2º posto, resultado que manteve a dupla da Ford Chip Ganassi Racing como líder do campeonato com 95 pontos, contra 88 de Gavin/Milner. Briscoe, inclusive, fez uma linda manobra de ultrapassagem sobre o companheiro de equipe Dirk Müller.

Antonio Garcia/Jan Magnussen superaram uma falha no carro numa das relargadas para terminar em 4º lugar na classe, à frente dos únicos sobreviventes de BMW e Porsche, respectivamente Jesse Krohn/John Edwards e Nick Tandy/Patrick Pilet.

E no fim das contas, ficamos com o gosto de ‘quero mais’. A próxima etapa é no dia 5 de maio em Mid-Ohio, no circuito localizado em Lexington. E será no mesmo dia da estreia do FIA WEC, o Mundial de Endurance, em Spa-Francorchamps.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

1 Comentário

  • Não fosse os freios, quase, quase a segunda seguida no campeonato. Tudo bem. Os dois carros, tanto o 911 quanto o 912, percebo que seguem em sua evolução, começam já a andar no miolo dos GTLMs e liderava com folga até a bandeira amarela. Seguem confiantes para o maior desafio do ano, e serão 4, 4 911 RSRs em LE MANS. Força PORSCHEEEEE!
    Parabéns à dupla lusitana pela vitória. Excelente prova da Corvette também. Mais uma vex a FOX nos agraciou com uma transmissão a altura da prova. Parabéns aos envolvidos.

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames