WRC: Tanak volta a vencer e entra na briga pelo título

W
14458_Tanak-Germany-2018_837_896x504
Ao ataque em meio às videiras na região do Saarland: Ott Tänak começa a se engraçar no WRC e a querer brigar pelo título mundial de 2018. O líder Thierry Neuville e o pentacampeão Sébastien Ogier passam a ter companhia…

RIO DE JANEIRO – O Mundial de Rali tem uma personagem nova na disputa pelo título da temporada 2018. O estoniano Ott Tänak teve mais uma performance superior a seus adversários e chegou não só à segunda vitória seguida, como também a três triunfos em nove etapas já disputadas no WRC.

O piloto da Toyota e seu navegador Martin Jarvejoja foram soberanos do início ao fim do Rali da Alemanha, disputado em asfalto na região do Saarland, com 18 especiais e pouco mais de 325 km de trechos cronometrados. Com os 25 pontos da vitória, mais os quatro pelo segundo melhor tempo do Power Stage, Tänak chegou a 136 pontos na tabela e com quatro eventos por fechar o calendário, está vivo na batalha.

Mas o belga Thierry Neuville não quer deixar escapar a chance mais límpida que surgiu em toda sua trajetória no WRC: o belga da Hyundai conquistou o 2º lugar na nona etapa do campeonato e segue sólido na ponta. Abriu mais alguns pontinhos de vantagem para Sébastien Ogier – dois, para ser mais exato, subindo a vantagem de 21 para 23 pontos (172 a 149).

E poderia ter sido muito pior para o piloto da M-Sport Ford, pois o pentacampeão chegou ao terceiro e último dia de provas cronometradas como o nono colocado após um incidente em que teve uma das rodas de seu carro quebrada, enquanto Neuville era apenas o quarto. À frente deles, além de Tänak, estavam Dani Sordo – um especialista em provas de asfalto – e Jari-Matti Latvala. Porém, o espanhol e o finlandês capitularam no domingo – o primeiro por acidente, o segundo por quebra de câmbio – e acabaram por dar adeus à disputa.

Ogier guiou como nunca no domingo (inclusive levou os cinco pontos extras pelo melhor tempo no Power Stage) e subiu incríveis cinco posições  – é bem verdade que beneficiado por dois abandonos. De repente, é um resultado que poderá fazer a diferença para a reta final da competição.

Para a Toyota, o Rali da Alemanha foi importante por três motivos: além da vitória de Tänak e por ser a prova de “casa” da Toyota Motorsport, que tem sede em Colônia, Esapekka Lappi chegou em 3º lugar e o construtor japonês superou a M-Sport Ford no campeonato de marcas, chegando ao total de 241 pontos contra 254 da líder Hyundai.

De resto, a destacar o 5º posto de Teemu Sunninen, que sobreviveu com o terceiro Ford Fiesta oficial (Elfyn Evans também desistiu) e o oitavo lugar do local Marijan Griebel, com um Citroën modelo 2017. No WRC2, além de terminar com a nona colocação e somar mais dois pontos no Mundial de Rali, o tcheco Jan Kopecky alcançou a marca de quatro vitórias em quatro etapas que disputou, somando agora 100 pontos para ultrapassar o sueco Pontus Tidemand, que tem 93. O jovem Kalle Rovanperä alcançou seu primeiro ponto no WRC e seu primeiro pódio no WRC2 em 2018, superando o italiano Fabio Andolfi.

Classificação final do Rali da Alemanha:

1 – Tanak-Jarveoja (Toyota Yaris WRC) – 3.03’36”9
2 – Neuville-Gilsoul (Hyundai i20 WRC) + 39”2
3 – Lappi-Ferm (Toyota Yaris WRC) + 1’00”9
4 – Ogier-Ingrassia (Ford Fiesta WRC) + 1’34”5
5 – Suninen-Markkula (Ford Fiesta WRC) + 2’02”9
6 – Mikkelsen-Jaeger (Hyundai i20 WRC) + 2’13”8
7 – Breen-Martin (Citroen C3 WRC) + 2’39”1
8 – Griebel-Rath (Citroen DS3 WRC) + 10’41”2
9 – Kopecky-Dresler (Skoda Fabia R5) + 13’12”8
10 – Rovanpera-Halttunen (Skoda Fabia R5) + 13’16”8

Mundial após a 9ª etapa:

1. Thierry Neuville – 172 pontos
2. Sébastien Ogier – 149
3. Ott Tänak – 136
4. Esapekka Lappi – 88
5. Andreas Mikkelsen – 65
6. Dani Sordo – 60
7. Jari-Matti Latvala – 55
8. Elfyn Evans – 52
9. Mads Østberg – 48
10. Craig Breen – 47
11. Kris Meeke – 43
12. Teemu Sunninen – 42
13. Hayden Paddon – 34
14. Sébastien Loeb – 15
15. Pontus Tidemand e Jan Kopecky – 11
17. Bryan Bouffier e Marijan Griebel – 4
19. Gus Greensmith e Lukasz Pienaziek – 2
21. Kalle Rovanperä, Yoann Bonato, Pedro Heller e Stéphane Lefévbre – 1

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

1 Comentário

  • Estou pra conhecer campeonato mais disputado que o WRC… A organização e a FIA acertaram nas mudanças ano passado, mesmo que Ogier tenha vencido no final com a Ford (título inédito, há de se notar), dá prazer até de LER os relatórios das etapas do campeonato.

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames