MENU

29 de setembro de 2018 - 17:26Automobilismo Nacional, Endurance

Domínio e triunfo do AJR Honda Turbo no Endurance Brasil

42707512_2017240228297654_3952574770905612288_n

P1: César Ramos, Fernando Fortes (de capacete) e Emílio Padron comemoram a vitória na primeira prova do AJR Honda K24 Turbo (Foto: Bruno Terena)

RIO DE JANEIRO – As 3h de Santa Cruz do Sul disputadas na manhã e no começo da tarde neste sábado no Autódromo Oswaldinho de Oliveira viram um domínio dos mais acachapantes já mostrados na temporada 2018 do Endurance Brasil. Sem oposição, o protótipo AJR Honda K24 Turbo que estreou neste fim de semana conquistou logo em sua primeira aparição uma vitória que não se pode contestar.

A disputa que teve um total de 123 voltas percorridas pelo traçado de 3,531 km de extensão foi uma das mais tranquilas de todo o campeonato – especialmente para a direção de prova – apesar do grid de quase 30 carros (foram 29 os que largaram). O Safety Car entrou uma única vez na pista, o que é raro. E o nível técnico foi excelente, com poucos abandonos.

Isso valoriza o que fez o trio do carro #11, formado por Emílio Padron, Fernando Fortes e César Ramos, que contribuiu muito com sua experiência na pista gaúcha e por ser um piloto de nível internacional, ao longo da disputa. A trinca foi líder desde a primeira curva e somente nas janelas de troca de pilotos e abastecimento perdeu pontualmente a dianteira.

Ninguém ficou surpreso, portanto, que o AJR Honda K24 Turbo vencesse com uma volta inteira de vantagem e com direito à melhor volta da prova, com César Ramos a bordo – 1’16″819, na 94ª passagem.

Pole position, o AJR Chevrolet V8 de Sérgio Jimenez/Oswaldo Scheer acabou fora da disputa após pouco mais de uma hora – e não foi o único dos principais carros a ficar pelo caminho: a Mercedes-AMG GT3 de Guilherme Figuerôa e Júlio Campos ficou somente 20 minutos na pista, completando só 14 voltas. O #65 de Nílson e José Roberto Ribeiro também não completou a prova – o que é uma pena, pois têm um carro muito rápido, mas ainda pouco confiável.

Também o #88 de Carlos Kray/Vicente Orige/David Muffato não recebeu a quadriculada: o protótipo vencedor em Tarumã enfrentou problemas quando vinha em segundo na classe P1, o que já seria um ótimo resultado porque o importante – sempre – no Endurance é terminar.

A segunda posição na geral significou para Xandy e Xandinho Negrão a terceira vitória seguida entre os carros da subclasse GT3. Os pilotos do Mercedes-AMG GT3 #9 da Scuderia 111 conseguiram impor seu melhor ritmo e terminaram com uma volta inteira para Ricardo Maurício/Marcel Visconde, que faturaram o 3º posto na geral e segundo na divisão com o Porsche #70.

Daniel Serra voltou ao Endurance Brasil e ao Lamborghini Huracán #19 que divide com Chico Longo e o resultado ficou abaixo da expectativa de performance do bólido italiano, que perdeu três voltas em relação ao AJR vencedor, conquistando assim o quarto posto geral e terceiro na GT3.

Com a desistência do #88, o caminho ficou aberto para o ótimo segundo lugar na P1 para Ian Jepsen Ely/Daniel Claudino, na segunda corrida dos guris com equipe própria (ECR). Eles chegaram em quinto na geral, resultado excepcional para os pilotos que largaram da 27ª e antepenúltima posição. A terceira posição da principal categoria de protótipos – sexta na geral – ficou com a Mottin Racing e o MCR Grand-Am Lamborghini do trio Cláudio Ricci/Beto Giacomello/Fernando Poeta.

347376_829367_bt1x2834

Fortes e Padron TAMBÉM ganharam na P2 junto a Fernando Ohashi e Henrique Assunção. Eles são cada vez mais líderes do campeonato na temporada e na categoria…

Na P2, o MRX Cosworth #75 da Satti Racing não teve nenhuma oposição na pista gaúcha, vencendo com uma volta de vantagem para Aldoir Sette e Jansen Bueno, que tiveram muito mérito em conseguir largar e principalmente em terminar a prova num belo nono posto geral. A equipe conseguiu um câmbio compatível com o protótipo, depois da quebra da caixa de marchas na sexta-feira. Após trabalharem quase a madrugada inteira, os mecânicos foram premiados com uma boa corrida da dupla do MRX Honda #7.

347376_829371_bt1x0193

Motorcar de novo no topo do pódio da P3: mais uma vitória de Rafael e Gustavo Simon em 2018

Gustavo e Rafael Simon ampliaram a liderança no campeonato com mais uma vitória entre os protótipos P3, na etapa que marcou o retorno do protótipo MC Tubarão V alinhado para Marcelo Vianna/Hardy Kohl Jr. – e a dupla não só terminou em segundo na categoria como na mesma volta dos vencedores da divisão. O Spyder de Ricardo Furquim/José Vilela, devagar e sempre, foi ao pódio com o 3º posto.

E na GT4, Arthur Caleffi navegou em voo solo e levou sua Mercedes CLA45 AMG ao 20º lugar geral, significando a vitória em sua categoria, já que o Audi RS3 LMS TCR de Henry Visconde ausentou-se da disputa. João Lemos/Júnior Victorette não acompanharam o ritmo de Caleffi, chegando em segundo na divisão, mas oito voltas atrasados.

A sexta e penúltima etapa do Endurance Brasil, válida como quarta prova do Gaúcho, será no Velopark, em Nova Santa Rita, no dia 27 de outubro.

Resultado final das 3h de Santa Cruz do Sul:

1º #11 Fernando Fortes/Emílio Padron/César Ramos
Protótipo AJR Honda K24 Turbo – categoria P1
123 voltas em 3h01min17seg506

2º #9 Xandy Negrão/Xandinho Negrão
Mercedes-AMG GT3 – categoria GT3
a 1 volta

3º #70 Ricardo Maurício/Marcel Visconde
Porsche 911 GT3-R – categoria GT3
a 2 voltas

4º #19 Chico Longo/Daniel Serra
Lamborghini Huracán GT3 – categoria GT3
a 3 voltas

5º #71 Ian Jepsen Ely/Daniel Claudino
Protótipo MCR Volkswagen Turbo – categoria P1
a 7 voltas

6º #18 Cláudio Ricci/Beto Giacomello/Fernando Poeta
Protótipo MCR Grand-Am Lamborghini V10 – categoria P1
a 7 voltas

7º #155 Peter Ferter/Ricardo Mendes
Ferrari 458 Italia GT3 – categoria GT3
a 8 voltas

8º #75 Henrique Assunção/Fernando Ohashi/Emílio Padron/Fernando Fortes
Protótipo MRX Cosworth – categoria P2
a 10 voltas

9º #7 Aldoir Sette/Jansen Bueno
Protótipo MEX Honda – categoria P2
a 10 voltas

10º #63 Sérgio Ribas/Guilherme Ribas
Aston Martin V12 Vantage GT3 – categoria GT3
a 11 voltas

Compartilhar

2 comentários

  1. LUIZ ALBERTO LOMANDO disse:

    Com o Chico Longo de parceiro não há Daniel Serra que possa fazer milagre numa prova de endurance…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *