Título em aberto para a última rodada do GT Open

T
Teo-Martin-BMW-2018-GT-Open-Monza-Race-1
Andrés Saravia e Fran Rueda venceram a prova de sábado e continuam com chances claras de título no International GT Open

RIO DE JANEIRO – Equilíbrio em Monza na penúltima rodada dupla do International GT Open: cada um dos postulantes ao título venceu uma corrida na sexta etapa da temporada 2018, o que faz a decisão do campeonato ficar para a última prova, marcada para Barcelona, nos dias 27 e 28 de outubro.

No sábado, a BMW Teo Martín obteve um importante resultado, com o espanhol Fran Rueda e o guatemalteco Andrés Saravia conquistando a pontuação máxima na disputa com duração de 70 minutos. Os pontos conquistados deram à dupla a liderança provisória do campeonato, contra o dinamarquês Mikkel Mac Jensen (Luzich Racing), que por ter corrido com pilotos diferentes, vem sozinho na batalha pelo título.

Porém, o nórdico deu o troco neste domingo e, na parceria com o campeão mundial da LMGTE-PRO no WEC, Alessandro Pier Guidi, chegou à quarta vitória no campeonato, abrindo três pontos importantíssimos sobre Rueda/Saravia. Uma batalha que promete na Catalunha!

A corrida #1 teve vários incidentes que provocaram entradas do Safety Car, começando por uma saída de pista do Audi R8 LMS de Bradley Ellis/Oliver Wilkinson e desaguando num problema da Ferrari 488 GT3 da Rinaldi Racing, da dupla David Perel/Rinat Salikhov. Uma terceira intervenção se fez necessária quando o Lamborghini de Giovanni Venturini/Jeroen Mul falhou e não voltaria mais à disputa.

Além das constantes intervenções de bandeira amarela em toda a pista, o handicap de paradas de box foi decisivo. Quem teve de fazer paradas com o tempo mínimo de 80 até 100 segundos, se deu mal e perdeu posições. Andrés Saravia e Fran Rueda nada tinham a ver com isso. Herdaram a posição que no início ficou com a Ferrari #11 da RS Racing, da dupla italiana Daniele Di Amato/Andrea Montermini, vencendo a disputa com 0″633 de vantagem após 36 voltas completadas.

A dupla Riccardo Agostini/Rik Breukers salvou o dia depois de um toque na primeira chicane e ainda conquistou um lugar no pódio, mas a quase 16 segundos dos vencedores, seguidos por Stefano Gattuso/Damiano Fioravanti e Alessandro Pier Guidi/Mikkel Mac Jensen – que por ordem da equipe superaram a Ferrari de Eddie Cheever III/Nicklas Nielsen na última volta. A dupla do #52 da Luzich Racing levou a vitória na Pro-Am.

O Honda NSX GT3 de Bertrand Baguette/Esteban Guerrieri estreou com um razoável 7º lugar, enquanto o melhor brasileiro na disputa foi o carioca Nicolas Costa, regressando às pistas com a décima posição no Lamborghini Huracán da Vincenzo Sospiri Racing, ao lado do chinês Kang Ling. Já Guilherme Salas e Márcio Basso levaram a vitória na subclasse Am, com um excelente 12º posto ao final da disputa, duas posições à frente de Giulio Borlenghi/Andrzej Lewandowski.

Alan Hellmeister/Marcelo Hahn chegaram em 13º geral e quarto na Pro-Am, enquanto Duarte Félix da Costa/Ricardo Baptista completaram a disputa em quarto na classe Am e 19º na geral.

Para a prova #2, Fran Rueda levou a pole com a BMW vencedora na véspera, por apenas 0″044 para Alessandro Pier Guidi, cabendo a Jeroen Mul a terceira colocação. O espanhol e seu companheiro Andrés Saravia largaram sabendo que teriam um handicap de 90 segundos a cumprir no pit obrigatório, contra o mínimo de 75 de Mac e Pier Guidi – o que novamente se revelou decisivo.

Ao parar na 15ª volta da disputa, uma após a abertura da janela de pit stops, Fran Rueda entregou a BMW a Andrés Saravia e o guatemalteco voltou 15 segundos atrás de Mikkel Mac, que assumiu a Ferrari da Luzich Racing. A diferença foi neutralizada já perto do fim da disputa, quando o Audi de Oliver Wilkinson sofreu seu segundo despiste no fim de semana e foi obrigado a desistir, fazendo com que o Safety Car entrasse na pista para segurar o pelotão.

Logo após a relargada, um novo incicente na segunda perna de Lesmo levou ao abandono do Lamborghini de Bernard Delhez/Stefano Costantini e da Mercedes-AMG de Martin Konrad/Alexander Hrachowina, na sequência de uma colisão entre ambos os carros, o que provocou novo Safety Car.

Num último restart, para um sprint de apenas uma volta, Andrés Saravia nada pôde fazer contra Mikkel Mac, que chegou à sua quarta vitória na temporada, sempre em dupla com Pier Guidi. Giovanni Venturini resistiu à violenta pressão do compatriota Loris Spinelli e faturou mais um pódio para a Imperiale Racing na pista de Monza.

Nicolas Costa/Kang Ling terminaram em 6º na pista, mas foram penalizados em 10 segundos por não respeitar o procedimento de largada, sendo despromovidos para o 18º posto final e sem direito a pontos na prova #2. Assim, no resultado final os melhores brasileiros foram Marcelo Hahn/Alan Hellmeister com o 11º posto.

2918-37-374
Alan Hellmeister foi vítima de um possível toque provocado por outro adversário e sofreu um terrível acidente em Monza, APÓS A CHEGADA. O brasileiro recebeu fraturas em ambas as pernas, uma delas, infelizmente, exposta

Mas aí veio o drama: APÓS A QUADRICULADA, de forma inexplicável, Hellmeister pareceu ter levado um toque na traseira, cortesia do italiano Fabrizio Crestani, da Daiko Lazarus Racing. O carro do piloto brasileiro derivou para o lado direito da reta, onde bateu violentamente no muro, rechaçado para a pista e, completamente destruído, parou próximo ao guard-rail no lado oposto do traçado.

O saldo foi péssimo para Hellmeister: imediatamente socorrido, o piloto foi levado ao Hospital San Gerardo, onde foram constatadas fraturas nas duas pernas – uma delas exposta, segundo informações procedentes do jornalista Bruno Vicaria. Alan esteve o tempo todo consciente da gravidade de suas lesões.

E fica aqui o registro: se tiver havido mesmo o contato, uma molecagem como esta perpetrada por Fabrizio Crestani não poderia ficar impune, como ficou no resultado final, onde o italiano e o português Miguel Ramos fecharam a corrida em 12º na geral e quarto na Pro-Am. Crestani deveria não só ser excluído da disputa pela atitude  – caso confirmado o contato – como também excluído do campeonato e do automobilismo. Uma vergonha!

Enfim, com toda a razão, a equipe Drivex não compareceu ao pódio para receber o troféu do 3º posto na classe Pro-Am e nem poderia.

Guilherme Salas/Márcio Basso fizeram a festa de novo na classe Am e venceram de novo com a BMW #7 da Teo Martín Motorsport, com o 15º lugar na classificação geral.

Restando a rodada de Barcelona, a situação do campeonato é a seguinte: Mikkel Mac lidera com 107 pontos, três a mais que Andrés Saravia/Fran Rueda, com Alessandro Pier Guidi em terceiro, somando 91. Giovanni Venturini/Jeroen Mul têm 82 – e ainda reúnem chances remotas de título, porque a diferença para o líder é de 25 pontos.

Na Pro-Am, Fabrizio Crestani/Miguel Ramos somam 70 pontos, dez a mais que Valentin Pierburg/Tom Onslow-Cole, enquanto Marcelo Hahn ainda tem chances de ser campeão, chegando a 55. Resta torcer para que a Drivex consiga reconstruir no espaço de 30 dias o carro, para que ele e Allam Khodair tenham condições de chegar a um final de temporada digno em Barcelona, casa da escuderia dos brasileiros.

Giulio Borlenghi/Andrzej Lewandowski saem de Monza ainda líderes da subdivisão Am, com a dupla da Vincenzo Sospiri Racing levando 72 pontos contra 61 do eslovaco Miro Konôpka e 54 de Márcio Basso, que matematicamente ainda reúne chances de título.

A final do campeonato promete! E a gente encerra esse post desejando pronto restabelecimento ao Alan Hellmeister após o forte acidente em Monza.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

5 Comentários

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames