ELMS: United Autosports vence outra e títulos da LMP3 e LMGTE são definidos

E

United-2018-ELMS-Portimao-22-Ligier-Race
Mudar faz bem: a United Autosports trocou os pneus Dunlop pelos Michelin e emplacaram duas vitórias nas últimas corridas do ELMS

RIO DE JANEIRO – Numa 4h de Portimão cheia de alternativas do início ao fim, a United Autosports triunfou pela segunda vez seguida no ELMS, fechando o an em alta – um alento para o time de Zak Brown e Richard Dean e para a Onroak Automotive, que voltou a ser superior à Oreca pelo menos no campeonato continental.

O carro guiado pelo ídolo local Filipe Albuquerque e pelo britânico Phil Hanson foi o responsável pelo triunfo, após percorrer 140 voltas pelo Autódromo Internacional do Algarve e cruzar com apenas meio segundo de vantagem para o #23 da Panis-Barthez Competition do trio Julien Canal/Will Stevens/Timothé Buret. Pelo visto, a mudança dos pneus Dunlop para os Michelin compensou plenamente nos chassis construídos pela empresa de Jacques Nicolet.

Tanto que o 3º posto foi do outro carro da United Autosports, com Hugo De Sadeleer/Wayne Boyd/Will Owen fechando o ano com um pódio bastante meritório – embora herdado da G-Drive Racing. A equipe já campeã da categoria – e que fez de Jean-Éric Vergne o vice – perdeu 10 segundos no resultado final porque o carro #26 abusou dos limites da pista.

Já entre os times, o vice foi da Racing Engineering, em seu ano de estreia no Endurance. Sem dúvida um belo trabalho do time de Alfonso de Orleans e Borbon, com um 5º posto na corrida final. A equipe espanhola foi beneficiada por uma quebra de suspensão no #29 da Duqueine Engineering, que se destacou nos treinos com a pole position e liderou por um bom tempo a disputa, de forma bastante convincente.

Quem também chegou à dianteira – no início da disputa – foi Felipe Nasr, com o carro da Cetilar Villorba Corse. Mas penalizações e demais problemas minaram a corrida dele e de seus parceiros. Eles acabaram por ficar em 24º na geral, perdendo onze voltas em relação aos vencedores.

Na classe LMP3, a trinca John Farano/Job Van Uitert/Rob Garofall fez o suficiente para conquistar o título da temporada para eles e a equipe britânica RLR MSport, que fez um belo trabalho ao longo do ano. O 15º posto geral rendeu a quinta posição e mais 10 pontos para a conta, já que os únicos que ainda podiam reverter o quadro – Ross Kaiser e Terrence Woodward, da equipe 360 Racing, se debateram com problemas de câmbio e só completaram 105 voltas.

A vitória na etapa derradeira e o vice-campeonato geral ficaram com Martin Hippe/Kuba Smiechowski, em bela apresentação da dupla da Inter Europol Competition. Eles derrotaram a Ecurie Ecosse/Nielsen, que ficou em 2º na divisão e também a United Autosports, que buscava bisar o título do ano passado e desta vez teve que se contentar com o 3º posto entre pilotos e equipes na classe.

E entre os modelos de Grã-Turismo, a Proton Competition venceu e consagrou campeã a dupla Giorgio Roda Jr. e Gianluca Roda, que terminaram em 3º lugar neste domingo. Dennis Olsen/Marvin Dienst/Christian Ried foram os vitoriosos no Porsche #77, selando a festa completa do time de Ummendorf. O pódio teve ainda a guerreira equipe JMW Motorsport, que sobreviveu a uma penalização por contato com um protótipo LMP3 para ser também vice-campeã da temporada.

Sendo assim, os convites automáticos das 24h de Le Mans já estarão nas mãos da G-Drive Racing e da RLR MSport (LMP2) e também da Proton Competition e JMW Motorsport – possivelmente na LMGTE-AM. A Kessel Racing tinha sido a detentora da primeira vaga oficialmente confirmada para a campeã da Michelin Le Mans Cup nos carros GT3. Se vai competir em La Sarthe, aí já é outra história.

Agora é esperar o próximo ano. Esse acabou pro ELMS, não tem mais.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

1 Comentário

  • Assisti uma pequena parte da prova pela internet, mas a péssima conexão e o compromisso obrigatório de ir às urnas ontem logo abreviaram minha diversão…legal ver os protótipos Ligier prevalecerem, porque há uns dois anos ao menos são tidos como o pior equipamento para quem vai competir de LMP2 em qualquer das categoria e viraram praticamente um patinho feio tanto que no WEC praticamente nenhum time corre com eles.
    Pena que o Nasr e sua trinca tiveram problemas, porque pareciam rápidos na parte inicial da prova.
    O ELMS tá legal e numeroso (até demais…) nas classes de protótipos, mas deixa a desejar na GTE, com 6 carros de somente 2 modelos…será que teremos previsão de mais times e carros ano que vem?

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames