Oficial: Signatech-Alpine e André Negrão campeões das 24h de Le Mans na LMP2

O
24h-mans-2018-alpine-a470-36-02
Demorou, mas saiu: vitória da Signatech-Alpine Matmut é confirmada após quase quatro meses, o que faz de André Negrão o quarto brasileiro a triunfar em La Sarthe

RIO DE JANEIRO – Quase quatro meses após a clássica disputa das 24h de Le Mans, e a poucos dias do início dos treinos para a 4ª etapa do Campeonato Mundial de Endurance no Japão, alívio para a Signatech-Alpine Matmut. A equipe francesa, segunda colocada na pista e que herdou a vitória após a desclassificação da G-Drive Racing foi confirmada hoje em caráter oficial como campeã da prova na classe LMP2.

Tudo porque os dois carros da TDS Racing – e nisto se incluiu o bólido vencedor da G-Drive Racing – tiveram descoberta uma grosseira irregularidade que foi a confecção de uma peça usinada, portanto fora do regulamento, para permitir uma vazão maior nos reabastecimentos dos dois protótipos Oreca 07 Gibson do time de Xavier Combet. A vantagem sobre a concorrência era no mínimo absurda – de seis a sete segundos. A falcatrua foi apontada, a vistoria mudou o resultado, a equipe recorreu mas o resultado está mantido.

Isso faz enfim com que André Negrão seja o quarto brasileiro a triunfar em La Sarthe em subcategorias, juntando-se neste seleto rol ao bicampeão da LMP2 Thomas Erdos, que foi o primeiro a vencer na França, seguido por Jaime Melo, igualmente bicampeão, só que na hoje extinta LMGT2. E Daniel Serra triunfou na LMGTE-PRO ano passado.

A Graff Racing-SO24 ficou então com o 2º lugar na categoria, com o carro guiado por Jonathan Hirschi/Tristan Gommendy/Vincent Capillaire, enquanto a United Autosports fechou o “pódio” da LMP2 com seu Ligier conduzido pelos pilotos Hugo de Sadeleer/Will Owen/Juan Pablo Montoya.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

Adicione um Comentário

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames