MENU

17 de novembro de 2018 - 22:22Automobilismo Nacional, Endurance

Endurance Brasil: família Negrão vence a última; campeões são definidos

HURACAN

Com o 2º lugar na última etapa do campeonato, o título da classe GT3 do Endurance Brasil foi de Chico Longo, revezando o volante do Lamborghini Huracán com Daniel Serra e Marcos Gomes ao longo da temporada

RIO DE JANEIRO – A decisão do Endurance Brasil neste sábado em Tarumã foi marcada pela imprevisibilidade de sempre nas corridas da categoria. Os protótipos AJR mostraram a força de sempre, foram rápidos, marcaram a melhor volta do traçado de 3,039 km de extensão em ritmo de prova – sem contar o novo recorde para a categoria, registrado ontem, mas novamente os modelos GT3 mostraram força e dominaram a última batalha do campeonato.

Xandy e Xandinho Negrão triunfaram com o Mercedes-AMG GT3 #9 da Scuderia 111 ao longo de 151 voltas e pouco mais de três horas – mas não foi o suficiente para evitar que Chico Longo, competindo mais uma vez ao lado de Daniel Serra, levasse o título. Mesmo com o descarte do pior resultado ao longo de sete provas, o piloto do carro #19 chegou aos mesmos 705 pontos que os adversários. Durante o campeonato, foram três vitórias, uma a menos que os vencedores da última etapa – que por esse critério teriam sido campeões. Mas foi levado em consideração justamente o fato de que Longo teve mais pontos somados sem os descartes, o que lhe conferiu o título.

A corrida deste sábado teve um problema no início envolvendo alguns pilotos que bateram na hora da largada, provocando inclusive bandeira vermelha e a interrupção da disputa porque a pista se encontrou bloqueada. O Aston Martin de Sérgio e Guilherme Ribas foi um dos que não teve como continuar.

Quando a disputa finalmente recomeçou, o protótipo AJR pole position guiado por José Roberto e Nílson Ribeiro esteve líder e só perderia a ponta para o carro #117 de Henrique Assunção/Emílio Padron/Marcelo Vianna/Fernando Ohashi, que eventualmente pegou o primeiro lugar. Mas ambos tiveram problemas – o segundo, com um furo lento de pneu e também uma quebra de suspensão traseira e o primeiro, após marcar a melhor volta da disputa em 58″895, teve uma falha de rolamento de roda – o que impediu a dupla do #65 de conquistar a primeira vitória na classe P1.

Na classe principal de protótipos, com a falha enfrentada pelos sul-matogrossenses, a vitória ficou com Emílio Padron/Fernando Fortes, mesmo com a dupla tendo uma falha no motor de arranque do AJR Honda K24 Turbo durante um período de Safety Car. Mesmo perdendo quatro voltas, terminaram em 4º na geral e com a vitória na P1, Padron conquistou o título da temporada 2018.

Outra categoria com título definido neste sábado foi a P2, em que o MRX Tubarão com motor Ford Duratec 16V de aspiração normal guiado por Mauro Kern/Paulo Sousa, um dos envolvidos na confusão inicial, chegou ao fim quase inteiro e em 7º na geral – segundo na classe, o suficiente para a conquista.

Para 2019, ainda não há nada definido, mas a Associação dos Pilotos de Endurance (APE) planeja um calendário com oito etapas – quatro delas com três horas, três com quatro e uma (novidade absoluta e em estudo) com seis horas. Também existe a possibilidade de modificações no portfólio de categorias – a aguardar.

Resultado final das 3h de Tarumã:

1. #9 Xandy Negrão/Xandinho Negrão
Mercedes-AMG GT3 – categoria GT3
151 voltas em 3h00min42s005

2. #19 Chico Longo/Daniel Serra
Lamborghini Huracán GT3 – categoria GT3
a 1min03seg702

3. #70 Ricardo Maurício/Miguel Paludo
Porsche 911 GT3-R – categoria GT3
a 1 volta

4. #11 Emílio Padron/Fernando Fortes
Protótipo AJR Honda K24 Turbo – categoria P1
a 4 voltas

5. #117 Henrique Assunção/Marcelo Vianna/Fernando Ohashi
Protótipo AJR Chevrolet V8 – categoria P1
a 6 voltas

6. #75 Marcelo Vianna/Emílio Padron/Fernando Ohashi/Henrique Assunção
Protótipo MRX Cosworth – categoria P2
a 6 voltas

7. #32 Mauro Kern/Paulo Sousa
Protótipo MRX Tubarão Ford Duratec 16V – categoria P2
a 8 voltas

8. #155 Ricardo Mendes/Cláudio Ricci
Ferrari 458 GT3 – categoria GT3
a 9 voltas

9. #25 Ney Faustini/Ney de Sá Faustini
Protótipo GeeBee Chevrolet V8 – categoria P1
a 10 voltas

10. #89 Renato Stumpf/Matheus Stumpf
Protótipo Radical Hayabusa – categoria P2
a 10 voltas

3 comentários

  1. MARCOS A FERREIRA disse:

    Fantástico a transmissão pelo YouTube. A Stock Car deveria adotar…

  2. José Guedes disse:

    Fui ao autódromo ver a prova. Os AJR são muito velozes, mas vão “abrindo o bico” ao longo das provas. Quando tiverem a resistência dos GTs, serão imbatíveis

    • Gustavo disse:

      Os protótipos nacionais chegaram lá definitivamente em termos de performance, mas a confiabilidade ainda é um fator a ser trabalhado.

      De qualquer forma, a Endurance Brasil firmou-se como uma das categorias mais interessantes de se acompanhar no automobilismo brasileiro, e fico na torcida para que mais pilotos e equipes adiram ao campeonato.

      Que 2019 chegue tão rápido quanto nossos protótipos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *