O pavor!

O

RIO DE JANEIRO – Domingo, dia da corrida final do Grande Prêmio de Macau de Fórmula 3. Para quem não conhece o Circuito da Guia e não tem noção do perigo desse traçado, imagine correr por 6,12 km, subidas e descidas, esquinas e hairpins, entre guard rails por todos os lados, tendo como pano de fundo um trecho de mais de um quilômetro e meio, infernalmente veloz, antes da frenagem para a curva do Hotel Lisboa.

E o vídeo acima mostra o brutal acidente sofrido pela menina Sophia Flörsch, a bordo de um dos carros da Van Amersfoort Racing.

Naquele ponto da pista, um dos mais críticos de todos, os carros de Fórmula 3, que têm uma relação peso-potência bem razoável, chegam a incríveis 276 km/h de velocidade final antes da redução e posterior contorno de uma curva, quase uma esquina. Era mais ou menos essa a velocidade de Flörsch quando acabou sofrendo o grave acidente que marcou a 65ª edição do clássico evento oriental.

Pela imagem em câmera lenta, dá pra perceber que ela perdeu o carro em algum momento e ele dispara como um bólido, de costas para o sentido original do traçado. Ela atinge a toda velocidade o carro do japonês Sho Tsuboi e depois bate contra um palanque de fotógrafos, que absorve o impacto. O público naquele ponto do circuito assiste a tudo, entre chocado e estarrecido.

Foram cinco os feridos, incluindo Sophia Flörsch, em situação mais grave, embora consciente. A garota fraturou a coluna e será operada.

Apesar da gravidade do incidente, impressiona que o Dallara de Fórmula 3 tenha resistido ao impacto de tal forma que a célula de sobrevivência não se desintegrou, o que teria provocado a morte da piloto alemã.

Em tempo: Daniel Ticktum venceu, conquistou o bicampeonato consecutivo do GP de Macau, mas diante de um negócio tão pavoroso quanto este, qualquer notícia positiva que seja fica em segundo plano.

À Sophia Flörsch, todos os nossos desejos de restabelecimento.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

7 Comentários

  • Rodrigo, pelo que vi nos vídeos, a estrutura aonde o carro bateu não é bem um alambrado, e ainda, segundo relatos, ela só sobreviveu pq a cabeça passou num vão dessa estrutura. Tem um outro vídeo que mostra o toque dela com o Daruvala na aproximação da curva, segundo um piloto que vinha atrás, uma confusão com as luzes de indicação de trecho com bandeira amarela pode ter causado o Daruvala a frear de repente e assim a pilota alemã não teve tempo hábil para reagir. Pavoroso o acidente. Visto na velocidade normal é de arrepiar. Tomara que ela e os demais envolvidos se recuperem prontamente

  • Allan Mcnish na edição 2011 das 24 Horas de Le Mans, Scott Dixon na penúltima 500 Milhas de Indianápolis e agora Sophia Flörsch. Três tragedias evitadas pelo construtor italiano.

  • A decolagem foi causada por um ressalto arredondado que agora vem sendo colocado por dentro das zebras internas das curvas para evitar que cortem caminho. Aí ela bate de ré no alambrado que faz o carro virar, com a traseira pra baixo. Ela bate na verdade numa espécie de palanque fechado para fotógrafos. A sorte que a estrutura é de chapa, que reformou com o impacto. Agora, se ela nao decola, ela ia pegar o carro do japonês pelo meio

    • Sim, eu vi as imagens que hoje surgiram do acidente. Ela bateu em um outro competidor, pegou a zebra, decolou, acertou o carro de Sho Tsuboi e acertou o palanque porque havia um espaço mínimo onde dava para o Dallara passar. O carro é muito bem construído.

  • A Van Amersfoort Racing divulgou que a operação correu bem e ela não corre risco de ficar paralítica. Coisa boa, fico feliz!
    Tomara que ela continue nas pistas.

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames