MENU

11 de janeiro de 2019 - 21:52Rali Dakar

Dakar 2019: Cavigliasso confirma liderança e domínio argentino

Nicolas-Cavigliasso-Dakar-2019-Quad-Day-5-777x437

Só um desastre pode tirar de Nicolás Cavigliasso a taça de campeão do Rali Dakar 2019 nos Quads e os argentinos devem fazer o pódio completo em Lima no próximo dia 17

RIO DE JANEIRO – É domínio que fala, né? Os argentinos deitam e rolam na categoria dos Quadriciclos na edição 2019 do Rali Dakar e chega até a ser covardia com os outros países que têm pilotos na disputa. Daqui a pouco, não sobrará espaço para mais ninguém da Europa e outros continentes, porque hoje chegou a ser um massacre: foram cinco “hermanos” nas cinco primeiras posições da 5ª etapa entre Moquegua e Arequipa, encerrando a fase Maratona, em que os pilotos tiveram que se virar sozinhos e consertar se desse jeito os seus equipamentos.

Líder absoluto com quatro especiais ganhas e comandante da classificação desde o primeiro dia, Nicolás Cavigliasso foi mais uma vez o destaque. O piloto vice-campeão em sua estreia na competição ano passado caminha célere para o título. Nesta sexta, ele venceu com o tempo de 5h08min11seg e, com a vantagem que abriu em relação a Jeremías González Ferioli, o ponteiro já está com quase 50 minutos de frente – e ainda restam mais cinco etapas.

Só uma catástrofe tira de Cavigliasso o título.

O domínio argentino se traduziu também no terceiro posto de Gustavo Gallego, também 3º colocado geral, antecedendo os compatriotas Santiago Hansen, que corre com um Quad Honda e Manuel Andújar. Só aí veio o primeiro não-hermanito, o francês Alexandre Giroud – distante 52min54seg de Cavigliasso. E ainda houve Martín Sarquiz fechando o top 10 que contou ainda com o polonês Wisniewski, o peruano Choy e o chileno Barahona, que vêm disputando qual dos dois será o melhor novato da competição – por enquanto, a vantagem é de Barahona, 10º na geral.

A única mudança substancial na classificação foi por conta do tcheco Tomas Kubiena: ele teve o motor de seu IBOS quebrado durante a etapa e não pôde mais dar sequência à sua razoável participação na prova. Kubiena era o 5º colocado na geral antes da pane que o afasta do Dakar, até porque quebras de motor na etapa Maratona são imperdoáveis.

Etapa #5 – Moquegua-Arequipa (Maratona)
Ligação: 431 km
Trecho cronometrado: 345 km
Total: 776 km

Resultado – quadriciclos:

1. #240 Nicolás Cavigliasso (Yamaha) – 5h08min11seg
2. #241 Jeremías González Ferioli (Yamaha) – a 14min27seg
3. #257 Gustavo Gallego (Yamaha) – a 16min07seg
4. #264 Santiago Hansen (Honda) – a 22min33seg
5. #273 Manuel Andújar (Yamaha) – a 27min47seg
6. #250 Alexandre Giroud (Yamaha) – a 52min54seg
7. #255 Kamil Wisniewski (Can-Am) – a 1h20min39seg
8. #262 Emilio Choy (Yamaha) – a 1h43min34seg
9. #269 Luis Barahona (Yamaha) – a 1h51min59seg
10. #254 Martín Sarquiz (Can-Am) – a 1h54min13seg

Classificação geral extra-oficial:

1. Nicolás Cavigliasso – 20h57min30seg
2. Jeremías González Ferioli – a 49min30seg (+1min de penalização)
3. Gustavo Gallego – a 1h05min26seg (+2min de penalização)
4. Alexandre Giroud – a 2h01min53seg (+7min de penalização)
5. Santiago Hansen – a 2h41min15seg (+1min de penalização)
6. Kamil Wisniewski – a 4h29min46seg (+21min de penalização)
7. Julio Estanguet – a 5h31min08seg (+1min de penalização)
8. Manuel Andújar – a 5h31min59seg (+2min30seg de penalização)
9. Martín Sarquiz – a 5h35min26seg
10. Luis Barahona – a 5h42min18seg

Comentários encerrados.