Billy Monger

B

mong-1

 RIO DE JANEIRO – Seria exagero de minha parte dizer que Billy Monger é o Alessandro Zanardi de sua geração?

Creio que não.

Enquanto temos o costume frequente de nos queixar da vida, o menino de 19 anos que perdeu ambas as pernas num assustador acidente em Donington Park numa prova de Fórmula 4 britânica, há exatos dois anos, mostra que é possível fazer o que se mais gosta e se ama.

É muito bom ver que ainda tem quem acredite nele e principalmente que Billy segue acreditando em si mesmo. Não existe impossível para o britânico – como também não existiu para Zanardi, que nos ofertou várias lições de superação e de formação de caráter.

Por isso, a notícia de que Monger vai disputar a temporada 2019 do EF Open, merece a citação. Ele já guiara um monoposto da categoria na temporada de inverno, em fevereiro e hoje foi confirmado pela Carlin, a poucos dias do início dos trabalhos para o fim de semana que terá ainda o International GT Open e a estreia da GT Open Cup Europe.

Aliás, registre-se que a lista de entradas da competição de monopostos ganhou o considerável reforço de equipes que debandaram do Formula European Masters, que seria um dos eventos-suporte do DTM.

Numa prévia bem otimista, pelo menos 20 nomes estão garantidos para disputar pelo menos uma rodada dupla do EF Open neste ano – afora que duas equipes, a tradicional Campos e a britânica CF Racing, tida como participante deste ano, não confirmaram ninguém até o momento em que eu publicava esta postagem.

O plantel do EF Open, cuja lista de inscritos deve ser divulgada no máximo até quinta-feira – com Christian Hahn e Guilherme Samaia novamente como os representantes brasileiros na competição, está no seguinte patamar para a prova de Paul Ricard.

Carlin Motorsport
Dallara Volkswagen Spiess

Christian Hahn (Brasil)
Billy Monger (Grã-Bretanha)
Teppei Nattori (Japão)
Nicolai Kjærgaard (Dinamarca)

D. Tsimpris Motorsport
Dallara Toyota Piedrafita

Dimitris Tsimpris (Grécia)

Double R Racing
Dallara Mercedes-Benz HWA

Jack Doohan (Austrália)
Linus Lundqvist (Suécia)

Drivex
A confirmar

Rui Andrade (Angola)

Fortec Motorsports
Dallara Mercedes-Benz HWA

Cameron Das (EUA)
Calan Williams (Austrália)

Motopark
Dallara Volkswagen Spiess

Julian Hanses (Alemanha)
Marino Sato (Japão)
Yuki Tsunoda (Japão)
Liam Lawson (Nova Zelândia)

RP Motorsport
A confirmar

Artem Petrov (Rússia)
Pierre-Louis Chovet (França)
Javier González (México)

Teo Martín Motorsport
Dallara Mercedes-Benz HWA

Lukas Dunner (Áustria)
Aldo Festante (Itália)
Guilherme Samaia (Brasil)

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

7 Comentários

  • Esse garoto, é, sim, o Zanardi da nova geração.
    Não importa se ele tiver ou não os mesmos resultados.
    Mas alguém, tão jovem, que toma um baque desses e dá a volta por cima, já é vencedor.
    Eu torço por ele, sem dúvida.

  • Sem palavras com esse garoto! É o meu herói.

    Ele já é um ganhador, independente de que lugar ele chegue.

    Torço para ele ganhar agora na pista, porque na vida ele é um Vencedor com “V” maiúsculo.

    Parabéns garoto!

  • mattar, esse petrov é parente do vitaly petrov ex piloto de f1?e esse marino sato anda, correu de f4 italiana com o giuliano raucci e o mick schumacher em 2016 e de f3 européia em 2017, japonês voador esse menino é

  • Tem cada uma. . .
    Li um comentário em um site de notícias que publicou o fato, dando conta de que o Monger levaria vantagem por causa do menor peso. . .
    Foi contestado por alguém que disse que, por conta do peso mínimo do conjunto, ele obrigatoriamente deverá usar algum lastro.
    Treplicou o “especialista”, dizendo que, ainda assim, o lastro poderia ser aplicado em qualquer parte do carro, de forma a otimizar a distribuição de peso.
    Fala sério!

    • Zé, isso é um absurdo sem tamanho. O peso mínimo do carro será respeitado, sem piloto e sem combustível. E qual seria o tipo de ganho do Monger por não ter as duas pernas? O mesmo do Zanardi quando guia?

      As pessoas são muito sem noção, camarada.

    • A mentalidade de quem fala um tipo de asneira dessas como a desse site aí é a mesma de quem acha que deficiente tem “privilégio” por ter atendimento preferencial ou tem vaga reservada (que não é respeitada) em estacionamento.
      Vai. Senta numa cadeira de rodas ou faz as coisas sem as pernas e depois a gente conversa.
      Eu falo isso de cadeira. Não a minha. Mas estou há quase vinte anos com uma cadeirante. Sei a barra que é ter limitações e conviver com quem tem. E sei a quantidade de asneiras que são ditas e escritas sobre esse tipo de situação.

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames