MENU

9 de abril de 2019 - 21:24Túnel do Tempo

Direto do túnel do tempo (441)

1986-CAR-6

RIO DE JANEIRO – O piloto que posa sorridente dentro de seu March da Alex Morales Motorsports em Indianápolis, no ano de 1986, foi um dos grandes nomes das competições de Midgets, popularíssimas nos EUA, onde existem pequenos ovais de terra do jeito que  existiram um dia campos de futebol no Brasil.

É Rich Vogler, pentacampeão da série, bicampeão de Sprint Cars e campeão do Chill Bowl em 1987, que por várias vezes se classificou para a maior prova de circuitos ovais dos monopostos estadunidenses.

Nascido em Chicago e apelidado “Rapid Rich”, Vogler não foi um piloto de resultados espetaculares em Indy. Pelo contrário: conseguiu um 8º lugar em 1989, na prova vencida por Emerson Fittipaldi, como melhor resultado e seu melhor grid foi um mais do que bom 11º lugar em 1987.

Mas seu maior feito na Indy 500 aconteceu em dois anos consecutivos – 1988 e justamente 1989, quando teve seu melhor resultado.

Vogler participou do “Bump Day”, o último dia de classificação para a prova (no antigo formato) nessas duas ocasiões. Na primeira, com o carro #29 da Jonathan Byrd/Machinists Union, um March Cosworth, teve a audácia de eliminar do grid de 33 carros ninguém menos que o campeão de 1973 e 1982, Gordon Johncock. Foi a primeira – e única – vez que “Gordy” não se classificou para a Indy 500.

Outro campeão teria o mesmo gosto amargo em 1989, quando Vogler novamente estava na equipe do Sindicato dos Maquinistas dos EUA: Johnny Rutherford (por sinal, companheiro de Vogler na Alex Morales na Indy 500 de 1986), vencedor em 1974, 1976 e 1979, foi ‘barrado no baile’ por “Rapid Rich”. E em condições absolutamente dramáticas.

No dia 21 de maio de 1989, Vogler entrou na pista com o carro reserva de Kevin Cogan e conseguiu a média de 213.239 mph para as quatro voltas, superando a marca de Rutherford (213.097 mph). Bernard Jourdain ficou na ‘bolha’ e Rutherford, a dois minutos do fim, entrou na pista numa tentativa suicida de qualificação a bordo de um carro reserva cedido pelo antigo rival e amigo A.J. Foyt.

Sua volta de aquecimento já tinha ritmo suficiente para ofertar a Johnny a 33ª e última vaga e assim tirar Jourdain do grid, mas tão logo abriu sua primeira tentativa de volta rápida, o motor do carro se entregou, ao mesmo tempo em que era disparado o tiro de encerramento – e de misericórdia contra Rutherford.

Vogler morreu relativamente jovem e fazendo o que mais gostava: em 1990, no dia 21 de julho, ele participava de uma prova de Sprint Cars no circuito Salem Speedway, na Califórnia, quando sofreu um acidente. Ele era o líder da corrida e faltava uma volta para o final. Seu capacete se desprendeu no impacto e Vogler recebeu severas lesões na cabeça, que lhe foram fatais. Ele faria 40 anos cinco dias depois do acidente.

Há 29 anos, direto do túnel do tempo.

9 comentários

  1. Paulo Torres disse:

    Grande Rodrigo.
    Se a foto é de 1986, então, o correto não seria “Há 33 anos….”?

    Parabéns pelo seu trabalho, tanto na TV quanto no blog.
    A paixão pelo automobilismo te faz ser um super profissional.

    Abraços

  2. Danilo disse:

    Bem interessante esse relato sobre ele,infelizmente morreu novo demais mas ao menos foi feliz,se é que dá para dizer. Quanto mais histórias vejo no automobilismo mais me surpreendo

  3. José Eduardo Avila disse:

    “Turco”olá.! Muito legal essa história do Vogler, acredito que pelo fato de ter sido Campeão com os Midget, tenha lhe proporcionado um diferencial que no asfalto fazia a diferença. Aliás o Mario Andretti é oriundo dos Midget.
    Grande abraço

    • Rodrigo Mattar disse:

      Não só ele, né Avila? O Tony Stewart, campeão da IRL e da Nascar, também é oriundo dos Midgets. Inclusive, apesar do físico um pouco desfavorável, ainda corre neles de vez em quando.

  4. Toni Righi disse:

    Muito boas as estórias do túnel do tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *