MENU

14 de abril de 2019 - 09:53Fórmula 1

Ha1000ton

2019414615443_000_1FM98M_II

Troféu da vitória numa mão e garrafa de champagne na outra: Lewis Hamilton comemora o triunfo em Xangai no GP #1000, o mais sem graça dos GPs centenários que tive a chance de acompanhar (Foto: AFP/Reprodução Grande Prêmio)

RIO DE JANEIRO - Antes de qualquer coisa, peço perdão pelo trocadilho infame e pouco criativo que titula este post. Mas a Fórmula 1 também deveria pedir desculpas pelo GP da China, o milésimo da história da categoria. Como espetáculo, falhou clamorosamente. Dos GPs centenários que assisti a partir do 400º (Áustria, 1984) esse foi disparado o pior.

Porque não teve a menor graça: Lewis Hamilton largou muitíssimo bem, superando o pole position Valtteri Bottas. E não houve nada, nem ninguém, que o impedisse de chegar à 75ª vitória na carreira. Triunfou de ponta a ponta e tornou-se o primeiro piloto na história a ganhar GPs centenários duas vezes. O inglês vencera a prova #900 no Bahrein, em 2014.

Esta foi mais uma corrida em que o pole não venceu. Foi assim com Lewis na Austrália e com Charles Leclerc na etapa barenita. E agora com Bottas, que ficou mesmo em segundo, na terceira dobradinha da Mercedes-Benz nas três primeiras corridas. Quando isso aconteceu pela última vez? Vocês não queiram nem saber… foi naquele campeonato dos ‘carros de outro planeta’ da Williams Renault, em 1992.

Quer dizer: não é bom para a categoria que isso esteja acontecendo. Ainda mais num ano em que as decisões acerca do regulamento técnico para 2021 devem vir à tona e a Fórmula 1 passa por momentos não muito favoráveis no que diz respeito ao envolvimento de fábricas. Na era híbrida, são apenas quatro os construtores de momento. Uma diferença gritante com a Fórmula E – mas isso é assunto de discussão noutra hora, no momento devido.

O que precisa também ser dito é que a Ferrari novamente cometeu seus desatinos. Para privilegiar Sebastian Vettel e devolver o alemão ao pódio em 2019, os vermelhos sacanearam Charles Leclerc. O garoto de Mônaco já disparou sua munição contra as decisões que Mattia Binotto tem tomado. Desobedeceu no Bahrein e fez uma grande corrida. Em Xangai, decidiu não discutir e entregou a posição ao colega – mas é óbvio que uma situação constrangedora já na terceira corrida de um campeonato com mais 18 etapas pela frente deve ser de seu mais completo desagrado.

E por que? Porque a equipe impede que ele roube pontos da Mercedes. É um raciocínio lógico: se Vettel se mostra em princípio incapaz de bater de frente com Hamilton e Bottas, por que não deixar Leclerc fazer seu papel, correr livre e desafiar os adversários? O mais engraçado é que a gente olha pra classificação do campeonato e constata que Max Verstappen tem mais pontos que os dois pilotos da Casa de Maranello, ocupando no momento a 3ª colocação.

201941443246_AP-1Z1D2H3NS2111_news_II

Verstappen chegou a rodar na volta de apresentação, mas depois lutou com a garra de sempre e chegou em quarto, em meio às duas Ferrari. O holandês é o terceiro do campeonato (Foto: Red Bull Content Pool/Reprodução Grande Prêmio)

Verstappen continua um caso à parte. Rodou sozinho na volta de apresentação (não foi o único, Kubica também) e meio que salvou o domingo. Fez uma ótima corrida e terminou em quarto. Na Red Bull, o clima era melhor que nas provas anteriores, principalmente com Pierre Gasly, que mesmo num distante 6º no resultado final, fez a melhor volta e levou o ponto extra.

O resto, como a gente costuma falar em outros posts, foi o resto. Pelo menos tivemos o prazer de ver “Risadinha” Daniel Ricciardo nos pontos, ainda que uma volta atrasado. E a ótima corrida de Alex Albon (olho nele!), que veio dos boxes para salvar o último ponto disponível. Aliás, registre-se que tivemos mais uma apresentação sofrível da Haas – o VF19 parece padecer de falta de ritmo de corrida – e da Williams, o que é lugar comum. E as patacoadas de Daniil Kvyat no início da corrida, que lhe renderam um inédito drive through. O russo acabaria por desistir.

Pois é… num chocho GP da China, com título infame de post, a Mercedes nadou de braçada e o placar do Mundial de Construtores já mostra 130 x 73 a favor dos prateados contra os vermelhos. Haverá reação da Ferrari na próxima?

É o que saberemos nas ruas de Baku, onde acontecerá dia 28 o GP do Azerbaijão. A ver…

17 comentários

  1. Wesley Andrade disse:

    Caro, Rodrigo.

    Ao contrário do que o senhor pensa, o título que deu no seu post foi sensacional! E realmente reflete no incrível momento que Lewis Hamilton tem vivido atualmente.

    E eu concordo contigo, tirando ele e o Verstappen, a corrida 1000 da F1 não fez nada por merecer. Fico feliz por não ter perdido o meu sono com isso.

    • Claudio disse:

      Foi duro de assistir, o horário do GP da China é o pior da F1, bem no meio da madrugada. Para mim um dos motivos para a prova ruim tem relação com os pneus escolhidos pela Pirelli esse ano para a prova, só tinham desempenho no início do stint, depois de algumas voltas, mesmo que o piloto estivesse mais rápido, não conseguia fazer a ultrapassagem. Acho uma pena terem abandonado a construção utilizada até 2013, aonde ocorria degradação acelerada e o projeto dos carros beneficiava aqueles que conseguiam o melhor compromisso entre velocidade e desgaste. Desde então está tudo muito igual. Na F2, aonde o mesmo conceito construtivo dos pneus é usado até hoje, as corridas são muito mais movimentadas.

  2. Ricardo disse:

    Impressionante como o Vettel parece que perdeu a confiança depois da Alemanha em 2018, desde aquela corrida em que ele jogou a chance de brigar pelo título fora em um erro bobo sozinho ele não tá pilotando nada, terminou 2018 tomando pau do Raikkonen e vai tomar do Lecrec esse ano, sou fã desse cara desde a vitória dele com a Toro Rosso em 2008 mas tá ficando difícil defender ele hahaha

    • WESLEY ISAIAS DE ANDRADE disse:

      Tenho essa mesma impressão sobre o Vettel desde a metade do ano passado.

      E diante de tantos erros operacionais da Ferrari, chegará uma hora que a Scuderia não poderá mais blindá-lo, diante de um récem-chegado Leclerc que está mostrando serviço desde o ano passado.

    • André Fonseca disse:

      Também gostava do Vettel, mas aí ele foi pra “Ferrada” e quero mais que ele se lasque…

      HE HE

  3. Igor Fonseca disse:

    Quando li e saquei o título do post, foi impossível evitar que o meme do Carlos Alberto de Nóbrega viesse a mente hahahahahahaha

    Quanto a uma corrida tediosa, o que ficou de destaque mesmo foram a atuação de Max Verstappen (não muita coisa fora a grande recuperação e o breve ataque em cima de Vettel) e os impropérios e o contrariamento do Leclerc com as ordens de equipe ferrarista. Assino embaixo tudo que vc disse Rodrigo, aliás causar constrangimentos nesse estilo é outra das tradições da Ferrari: foi assim com Villeneuve e Pironi em San Marino 82 (ainda que um caso peculiar com o atrevimento de Pironi), com Schumacher e Barrichello na Áustria em 2002 (me dá náuseas só de lembrar), Alonso e Massa na Alemanha em 2010… não que esse caso da China se compare a esses casos históricos de repercussão imensurável, mas reforça o quão ordens de equipe sempre foram e são prioridade na Ferrari (parece não importar quais sejam as circunstâncias) e ao mesmo tempo evidencia cada vez mais a cegueira e a petulância dos envolvidos em pensar em outras formas de combater a Mercedes, são incapazes de abrirem mão dessa política estúpida de trabalharem por um só piloto: o Tião. Não é atoa que não ganham um título sequer a mais de dez anos e tem tomado um banho em termos de eficiência tática e estratégica da Mercedes nesses últimos anos. O legado do velho Enzo pelo jeito é mesmo absoluto, até mesmo a resistência a mudanças se vê presente na equipe vermelha… quero é novidade. E esperem deitados por qualquer resquício de mudança seja de mentalidade ou modus operandi vindo dos italianos.

  4. Zé Maria disse:

    Discordo totalmente do escriba em relação ao título do post, achei D+!
    Vettel, esquece!
    Esse aí nunca mais fatura nada, os títulos de um passado cada vez mais longínquo, servem apenas para mostrar que ele sente saudades do Newey até hoje.
    Albon é surpreendente, quem diria que, na 3ª corrida, o tailandês que chegou de última hora para substituir o morto vivo do Hartley, já teria pontuado por 2 vezes, isso depois de haver dado uma panca homérica e saído de último.
    Olho no rapaz, vai fazer história.

  5. Wedson disse:

    Assistir fórmula 1 hj e como apostar em um jogo entre Barcelona x time da minha rua . Graças ao meu bom Deus existem corridas de turismo. O ano na fórmula 1 já começa acabando!

  6. Claudio disse:

    Aquela lenda urbana que volta a ter destaque toda pré temporada desde 2016, de que a Ferrari está mais rápida, de que esse ano vai, bem, mais uma vez vai sim, caindo por terra. O carro da Mercedes é melhor. Nesses 30 anos acompanhando essa brincadeira, acho muito seguro dizer que Hamilton vai ser mais uma vez campeão e que a chance de termos uma temporada aborrecida é gigante.
    Que vergonha a Ferrari. Não preciso falar mais nada, as ações mostram por si só. Que continue não ganhando nada. Não merece. Verstappen guiando demais esse ano, zera as dúvidas de quem ainda pensa o pq de o Ricciardo ter dado o fora de lá. Nosso sorridente discípulo de Webber seria massacrado, mas fez boa corrida com essa Renault completamente suspeita, sendo o melhor do resto. Aliás, terceiro vencedor diferente da F1 B em três corridas, ele, Magnussen na Austrália e Hulkenberg no Bahrein. Será a disputa mais legal do ano, não tenho dúvida, essa do campeão do “resto”. Perez também foi bem acima da média. Se a Racing Point evoluir da mesma forma que ocorria com a Force India, podem pontuar com bastante frequência.
    Reconheço que esperava a Alfa Romeo mais rápida, acho que assim com a RP vai depender muito do desenvolvimento ao longo do ano e também de Raikkonen, pq Giovinazzi é bem ruim

    • Claudio disse:

      Complemetando, discordo de você Rodrigo e dos comissários na culpa do Kvyat no acidente da primeira volta. Revi diversas vezes e para mim é nítido que Sainz é quem começa a bagunça, tocando no companheiro de equipe e depois no russo, fazendo esse perder o controle e acertar o Norris. Uma pena, fiquei curioso para ver qual seria o ritmo de corrida da Mclaren.

    • André Fonseca disse:

      Renault suspeita????

      Como assim???

  7. Eduardo Cardoso da Silva Junior disse:

    E ainda teve o semblante “vibrante” do Prost dando a bandeirada no final da prova. Quanta “alegria”!
    O título do posto foi show Rodrigo!

  8. João Ferreira de Souza Neto disse:

    Pois é, não se faz corridas como antigamente, uma corrida que foi extremamente emocionante para mim, foi um GP de Monaco que quase todo mundo bateu, devido a chuva e se não me engano ganhou uma Ligier, não lembro quem era o piloto, nem o ano, desculpe.

    Quanto a corrida 1000, não assisti ao vivo, acho que não vale a pena ficar acordado para a Formula 1 atualmente,

    Enquanto manter este formato, sem disputa, sem ultrapassagens, sem brigas, dando valor mais para bastidores ou mesmo ordens de equipe, não assistirei as corridas da madrugada.

    Se a Formula 1 não agir de forma mais dura e mudar o regulamento já neste ano, a Formula 1 vai perder mais fãs.

    Algo que podiam mudar já, seria na limitação de RPMs para os carros dos líderes do campeonato, desligar ou limitar o uso do DRS ou tirar um jogo de pneu dos vencedores da última corrida.

    A estratégia de corrida precisa ser mais variada, com isso desobrigar o Pit Stop para aqueles que não chegam no Q3 seria interessante testar.

    Tem coisas que a Formula 1 precisa aprender com as outras categorias, somos a favor de manterem a essência, sem artifícios e querer mudar com formulas novas.

    • Igor Fonseca disse:

      Suspeito que o GP caótico que vc se referiu no início vencida por uma Ligier foi o GP de Mônaco em 1996, guiada por Olivier Panis, primeira e única vitória dele na categoria.

  9. André Fonseca disse:

    Mattar,

    Eu gostei do título!!!

    HUAHAUHAUHAUAHUA

    E mesmo sendo um porre, é corrida, aí tem que assistir, né?

    Final de semana é na frente da TV, procurando até onde tem corrida de rolemã pra assistir. E o FOX Sport 2 é o primeiro canal que olho, pesquisando na grade os horários das corridas.

    Só teria uma forma desse GP 1000 ter sido mais movimenta, que seria Leclerc pulando na frente de uma das Mercedes e dando um aperto no ponteiro. Fora isso, só restou acompanhar o que vimos…

    E está ficando cada vez mais difícil defender Vettel como um dos grandes da História da F1. Só falta reclamar de tudo e de todas pra “alonsar” de vez…

    HE HE

Deixe uma resposta para André Fonseca Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>