MENU

12 de abril de 2019 - 14:15IMSA

IMSA: AX Racing impede dobradinha da Penske em Long Beach

31caddy

RIO DE JANEIRO – O horário foi absolutamente ingrato, mas num fim de semana com a Fórmula Indy e outras categorias no circuito urbano de Long Beach, acabou sendo necessário abrir os trabalhos para os treinos livres da 3ª etapa do campeonato ainda cedinho. Nem eram oito horas da manhã na Califórnia e já tinha carro na pista, começando a fazer quilometragem e ajustes visando uma das etapas mais curtas – apenas 1h40min – de todo o campeonato.

E a Action Express começou bem: com a pista ganhando emborrachamento e aderência, o Cadillac DPi-V.R de Felipe Nasr e Pipo Derani voou baixo pelo circuito citadino de quase 2 milhas de extensão. Com 1’12″394 – novo recorde para protótipos da IMSA – o piloto brasileiro superou os dois Acura ARX-05 DPi do Team Penske e os team-mates do carro #5, os portugueses João Barbosa e Filipe Albuquerque, que chegaram a liderar a folha de tempos durante os 90 minutos da sessão.

Nasr foi 0″141 mais rápido que Ricky Taylor, parceiro do também brasileiro Hélio Castroneves, que persegue sua primeira vitória em 2019. A dupla Dane Cameron/Juan Pablo Montoya, que largou da pole ano passado, pescou a terceira posição a 0″175 de Nasr, enquanto Barbosa – o quarto mais rápido, ficou a menos de dois décimos do colega de escuderia.

Com dez dos onze protótipos DPi inscritos em Long Beach dentro do mesmo segundo, foi até com surpresa que se viu o Nissan DPi da CORE Autosport à frente dos Mazda RT24-P, que foram sensação em Daytona e Sebring. Os carros do Team Joest ficaram em sexto e oitavo: de recheio, o Cadillac da Wayne Taylor Racing, que quase ficou desfalcada de Jordan Taylor – o “Metralha” não estava bem fisicamente, mas mesmo assim andou hoje e meteu tempo no holandês Renger Van der Zande.

Se Jordan não pudesse competir na Califórnia, Kamui Kobayashi estava de sobreaviso. Mas pelo visto, não será necessário. E outra: apenas cinco minutos de pista já bastam para qualquer piloto inscrito no GP de Long Beach cumprir o tempo mínimo de guiada e assim somar pontos no campeonato da IMSA.

Para a equipe JDC-Miller Motorsports, dos Cadillac amarelos, foi um treino livre a ser esquecido. O #85 foi o que menos andou – somente 28 voltas – e um contato com as barreiras de proteção provocou uma interrupção da sessão e o fim prematuro dos treinos para Tristan Vautier e Misha Goikhberg. O #84 de Simon Trummer e Stephen Simpson também deu no muro, igualmente interrompeu o treino – mas pôde terminar seu trabalho e fechar a sessão com 57 giros percorridos.

Na GTLM, domínio dos Porsche 911 RSR: Nick Tandy virou em 1’17″549 e o neozelandês Earl Bamber cumpriu sua melhor volta em 1’17″793. Os dois foram os únicos a baixar de 1’18” – enquanto Oliver Gavin foi o terceiro com o Corvette C7-R. Jesse Krohn fez a quarta marca com a BMW e num último esforço, a quinta colocação foi de Antonio Garcia no outro Vette.

Desfalcada de Joey Hand e com Sébastien Bourdais substituindo o experiente piloto californiano, a Ford Chip Ganassi ficou com as posições seguintes, enquanto o #25 de Connor De Philippi/Tom Blomqvist fechou a raia. Apenas 1″136 separou os oito carros da GTLM neste primeiro treino.

A definição do grid será ainda hoje, mas um pouco mais tarde que o habitual. A IMSA programou um segundo treino livre, de curta duração, a partir de 20h45 de Brasília, 16h45 locais. O treino oficial, com 15 minutos de pista aberta para GTLM e DPi em sessões separadas, terá início às 21h40 de Brasília, 17h40 locais. Com temperatura certamente mais baixa e sem interrupções ou tráfego atrapalhando, decerto teremos registrado hoje o novo recorde de Long Beach para Esporte-Protótipos.

O site da IMSA transmitirá o treino classificatório via streaming. O Fox Sports 2 exibe o GP de Long Beach neste sábado às 18h de Brasília com o escriba aqui na narração e o mestre supremo Edgard Mello Filho nos comentários.

Compartilhar

1 comentário

  1. Silvio disse:

    Confesso que ainda não entendo bem os regulamentos das categorias de endurance, principalmente quando falamos de LMP1, LMP2 e os DPi que acho até parecidos visualmente. Neste prova em questão temos 10 DPi enquanto que no WEC, o grid pequeno tem a Toyota reinando (equipe de fábrica) e os outros brigando pelo terceiro lugar.
    Existe alguma previsão de mudança no regulamento pra tentar trazer mais competidores para o WEC? Li algo sobre um torneio com super carros, procede?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *