MENU

25 de abril de 2019 - 17:50Clip da Semana

Roundabout

RIO DE JANEIRO – Há uns dois anos (precisamente em 7 de abril), o Yes foi indicado ao Hall da Fama do Rock and Roll e quem subiu ao palco para apresentar o grupo, tecendo loas aos integrantes de todas as formações, foram Geddy Lee e Alex Lifeson, do Rush.

O grupo de rock progressivo que se lançou no ano de 1968 – e que com diferentes formações conseguiu sobreviver ao passar do tempo – foi inclusive uma das influências musicais de Lee para o Rush e o baixista jamais escondeu que tinha como ídolo Chris Squire, considerado por ele um dos três maiores do instrumento na música – os outros dois, opinião de Geddy, eram John Paul Jones, do Led Zeppelin e Jack Bruce, do Cream.

Squire faleceu em 2015 e outro membro fundador, Peter Banks, também não está mais entre nós (morreu em 2013). Mas Jon Anderson, Steve Howe, Alan White, Trevor Rabin e – surpresa das surpresas – Rick Wakeman, estavam no recinto (Bill Bruford, o primeiro batera, também – sem tocar, no entanto) e  se reuniram a Geddy Lee no palco montado no Barclays Center, em Nova Jersey, e tocaram “Roundabout”, música que abre o álbum Fragile, lançado em 1971.

Quase como nos velhos tempos, Yes no clip da semana. Apreciem!

Compartilhar

5 comentários

  1. Paulo Moita disse:

    Excelente banda. Teve seus altos e baixos como todos tem, mas nesse disco (digo bolachão mesmo) estavam no auge da criatividade!

  2. Rubergil Jr disse:

    Ah, maravilhoso ver o Geddy tocar Roudabout. Belíssima homenagem.

  3. Alex disse:

    gosto de “Soon” apesar de soar muito melancólica

  4. Reinaldo Rodrigues disse:

    Eu estava lendo a transcrição de uma parte da entrevista em que o Geddy Lee fala sobre os baixistas preferidos dele alguns minutos antes acessar seu blog. Posso dizer, eu toco (ou tento) contrabaixo e, concordo com cada palavra do Geddy Lee. Além de ser um monstro sagrado desse maravilhoso instrumento, o cara sabe o que diz. Gênio!

  5. WESLEY ANDRADE disse:

    Que apresentação genial! Eles continuam bons mesmo depois de muitos anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *