Argentinos ainda lideram no WTCR; Alfa renasce na Eslováquia

A
ma
De repente, não mais que de repente, os Alfa Romeo Giulietta acordaram para a vida no FIA WTCR, com uma vitória e pódios nas três provas da Eslováquia

RIO DE JANEIRO – A terceira rodada tripla do FIA WTCR, disputada neste domingo na Eslováquia, mostrou que com uma pista de fato, as disputas dos carros de Turismo podem ser espetaculares. E foram três grandes corridas realizadas na pista de 5,922 km de extensão, cada uma com uma história diferente, apresentando uma grande reviravolta na temporada.

A começar pelo renascimento dos Alfa Romeo Giulietta. Os simpáticos carros da marca de Milão tinham aparecido muito pouco neste ano nas etapas do Marrocos e na Hungria. De repente, no Slovakia Ring, houve uma transmutação e os bólidos da Romeo Ferraris simplesmente voavam. Como efeito, em cada uma das corridas houve pelo menos uma das Alfas no top 3.

E veio também a primeira vitória da marca em 2019 com o chinês Ma Qing Hua, que ganhou a prova #3 após luta ferrenha com o húngaro Norbert Michelisz – que mais uma vez contava com o apoio dos torcedores, já que a população de Orechová Poton, cidade eslovaca onde se localiza o circuito, é 93% composta por etnia magiar.

Antes, o oriental já tinha terminado em 2º lugar na prova #1 e em nono na corrida #2, ganhando também o troféu de “Most Valuable Driver”, oferecido a quem conquista mais pontos no fim de semana.

Kevin Ceccon também foi muito bem. Zerou na primeira prova, mas fez dois terceiros lugares nas seguintes, dando à Alfa um pódio duplo na prova #3. Com esses pontos, os dois subiram bastante na classificação do campeonato: Ma passou ao 9º posto com 70 pontos; Ceccon é o 15º colocado, com 39.

Outros exemplos de recuperação foram Fréderic Vervisch, que venceu a corrida #1 vindo de nono lugar a bordo do Audi RS3 LMS TCR da Comtoyou Racing e as sensacionais atuações do brasileiro Augusto Farfus, que minimizou as más posições de largada com atuações muito competitivas.

03719004__GOO4467-800x533
“Melhor corrida em carros de Turismo”, assim descreveu o brasileiro Augusto Farfus a etapa da Eslováquia em que chegou no quinto lugar após o 19º lugar no grid de largada

O piloto da Hyundai alcançou o 5º posto na prova #1 após partir do décimo-nono lugar, naquela que considerou a “melhor corrida da vida” ao volante de um carro de Turismo. “Essas corridas são importantes desde a primeira volta. Conseguir se posicionar é importante e você tem que ter alguma dose de sorte. Funcionou e eu tive como progredir. Ninguém poderia pensar que eu pudesse chegar em quinto vindo da P19”, comentou Farfus.

A sorte não veio na prova #2, quando um contato causou um furo de pneu, que o relegou à 21ª posição com uma volta de atraso no final da disputa. Mas com o carro ainda inteiro, Augusto fez outra boa corrida de recuperação, vindo de 17º no grid para sétimo na prova #3.

E tão notável quanto o piloto da Hyundai foi Tom Coronel vindo de último no grid para ser 10º colocado na etapa #2, tudo isso numa corrida com apenas nove voltas disputadas.

Ressalve-se também que o “wild-card” Luca Engstler foi o primeiro dos convidados a terminar em zona de pontuação: o alemão foi décimo em duas das três corridas. No entanto, o regulamento não permite mais que os convidados somem pontos e quem veio abaixo dele conquistou pontinhos importantes para a classificação.

Num fim de semana repleto de alternativas – e onde os modelos Lynk & Co tiveram desempenho muito abaixo do esperado – Thed Björk e Yvan Muller salvaram apenas um 11º lugar, cada um, como melhor performance – os argentinos Néstor Girolami e Estebán Guerrieri seguem no comando da classificação do campeonato a bordo de seus Honda. E tendo conquistado mais uma dobradinha: foi na corrida #2, ganha por “Bebu”, trazendo a tiracolo o compatriota e companheiro de equipe na All-Inkl.com Münnich Motorsport.

Entretanto, “Bebu”, que tem três vitórias em nove provas, só marcou pontos na prova #2 e Guerrieri, que na Hungria poderia ter saído líder, fez 32 na Eslováquia e descontou a diferença. Tanto que, a menos de uma semana da etapa de Zandvoort, na Holanda, ambos estão separados por apenas dois pontinhos na classificação do campeonato.

Classificação do FIA WTCR após três rodadas:

1. Néstor Girolami – 125 pontos
2. Estebán Guerrieri – 123
3. Norbert Michelisz – 102
4. Gabriele Tarquini – 96
5. Thed Björk – 87
6. Jean-Karl Vernay – 85
7. Mikel Azcona – 82
8. Fréderic Vervisch – 72
9. Ma Qing Hua – 70
10. Yvan Muller – 65
11. Nicky Catsburg – 56
12. Augusto Farfus – 50
13. Yann Ehrlacher e Rob Huff – 44
15. Kevin Ceccon – 39
16. Daniel Haglöf – 31
17. Aurélien Panis – 29
18. Tom Coronel – 24
19. Niels Langeveld, Andy Priaulx e Gordon Shedden – 22
22. Tiago Monteiro – 20
23. Attila Tassi – 16
24. Johan Kristoffersson – 9
25. Benjamin Leuchter – 8
26. Mehdi Bennani – 7

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

Adicione um Comentário

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames