MENU

13 de maio de 2019 - 10:17WTCR

Argentinos ainda lideram no WTCR; Alfa renasce na Eslováquia

ma

De repente, não mais que de repente, os Alfa Romeo Giulietta acordaram para a vida no FIA WTCR, com uma vitória e pódios nas três provas da Eslováquia

RIO DE JANEIRO – A terceira rodada tripla do FIA WTCR, disputada neste domingo na Eslováquia, mostrou que com uma pista de fato, as disputas dos carros de Turismo podem ser espetaculares. E foram três grandes corridas realizadas na pista de 5,922 km de extensão, cada uma com uma história diferente, apresentando uma grande reviravolta na temporada.

A começar pelo renascimento dos Alfa Romeo Giulietta. Os simpáticos carros da marca de Milão tinham aparecido muito pouco neste ano nas etapas do Marrocos e na Hungria. De repente, no Slovakia Ring, houve uma transmutação e os bólidos da Romeo Ferraris simplesmente voavam. Como efeito, em cada uma das corridas houve pelo menos uma das Alfas no top 3.

E veio também a primeira vitória da marca em 2019 com o chinês Ma Qing Hua, que ganhou a prova #3 após luta ferrenha com o húngaro Norbert Michelisz – que mais uma vez contava com o apoio dos torcedores, já que a população de Orechová Poton, cidade eslovaca onde se localiza o circuito, é 93% composta por etnia magiar.

Antes, o oriental já tinha terminado em 2º lugar na prova #1 e em nono na corrida #2, ganhando também o troféu de “Most Valuable Driver”, oferecido a quem conquista mais pontos no fim de semana.

Kevin Ceccon também foi muito bem. Zerou na primeira prova, mas fez dois terceiros lugares nas seguintes, dando à Alfa um pódio duplo na prova #3. Com esses pontos, os dois subiram bastante na classificação do campeonato: Ma passou ao 9º posto com 70 pontos; Ceccon é o 15º colocado, com 39.

Outros exemplos de recuperação foram Fréderic Vervisch, que venceu a corrida #1 vindo de nono lugar a bordo do Audi RS3 LMS TCR da Comtoyou Racing e as sensacionais atuações do brasileiro Augusto Farfus, que minimizou as más posições de largada com atuações muito competitivas.

03719004__GOO4467-800x533

“Melhor corrida em carros de Turismo”, assim descreveu o brasileiro Augusto Farfus a etapa da Eslováquia em que chegou no quinto lugar após o 19º lugar no grid de largada

O piloto da Hyundai alcançou o 5º posto na prova #1 após partir do décimo-nono lugar, naquela que considerou a “melhor corrida da vida” ao volante de um carro de Turismo. “Essas corridas são importantes desde a primeira volta. Conseguir se posicionar é importante e você tem que ter alguma dose de sorte. Funcionou e eu tive como progredir. Ninguém poderia pensar que eu pudesse chegar em quinto vindo da P19”, comentou Farfus.

A sorte não veio na prova #2, quando um contato causou um furo de pneu, que o relegou à 21ª posição com uma volta de atraso no final da disputa. Mas com o carro ainda inteiro, Augusto fez outra boa corrida de recuperação, vindo de 17º no grid para sétimo na prova #3.

E tão notável quanto o piloto da Hyundai foi Tom Coronel vindo de último no grid para ser 10º colocado na etapa #2, tudo isso numa corrida com apenas nove voltas disputadas.

Ressalve-se também que o “wild-card” Luca Engstler foi o primeiro dos convidados a terminar em zona de pontuação: o alemão foi décimo em duas das três corridas. No entanto, o regulamento não permite mais que os convidados somem pontos e quem veio abaixo dele conquistou pontinhos importantes para a classificação.

Num fim de semana repleto de alternativas – e onde os modelos Lynk & Co tiveram desempenho muito abaixo do esperado – Thed Björk e Yvan Muller salvaram apenas um 11º lugar, cada um, como melhor performance – os argentinos Néstor Girolami e Estebán Guerrieri seguem no comando da classificação do campeonato a bordo de seus Honda. E tendo conquistado mais uma dobradinha: foi na corrida #2, ganha por “Bebu”, trazendo a tiracolo o compatriota e companheiro de equipe na All-Inkl.com Münnich Motorsport.

Entretanto, “Bebu”, que tem três vitórias em nove provas, só marcou pontos na prova #2 e Guerrieri, que na Hungria poderia ter saído líder, fez 32 na Eslováquia e descontou a diferença. Tanto que, a menos de uma semana da etapa de Zandvoort, na Holanda, ambos estão separados por apenas dois pontinhos na classificação do campeonato.

Classificação do FIA WTCR após três rodadas:

1. Néstor Girolami – 125 pontos
2. Estebán Guerrieri – 123
3. Norbert Michelisz – 102
4. Gabriele Tarquini – 96
5. Thed Björk – 87
6. Jean-Karl Vernay – 85
7. Mikel Azcona – 82
8. Fréderic Vervisch – 72
9. Ma Qing Hua – 70
10. Yvan Muller – 65
11. Nicky Catsburg – 56
12. Augusto Farfus – 50
13. Yann Ehrlacher e Rob Huff – 44
15. Kevin Ceccon – 39
16. Daniel Haglöf – 31
17. Aurélien Panis – 29
18. Tom Coronel – 24
19. Niels Langeveld, Andy Priaulx e Gordon Shedden – 22
22. Tiago Monteiro – 20
23. Attila Tassi – 16
24. Johan Kristoffersson – 9
25. Benjamin Leuchter – 8
26. Mehdi Bennani – 7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *