MENU

22 de maio de 2019 - 23:59IMSA

IMSA: 23 carros para o GP de Detroit

https___api.thedrive.com_wp-content_uploads_2018_06_gettyimages-966543726

Felipe Nasr, atual campeão, comemora a vitória conquistada no ano passado: será que ele será capaz de repetir a dose, agora na parceria com Pipo Derani? (Foto: Getty Images)

RIO DE JANEIRO – Segundo e último evento Sprint da temporada, com duração de apenas 1h40min, o Chevrolet SportsCar Classic é o GP de Detroit da IMSA. A quinta etapa do campeonato, segunda do Weather Tech Sprint Cup para a classe GTD, contará com apenas duas classes na pista do Belle Isle Park.

Além dos já citados modelos dentro do regulamento GT3, vão andar os protótipos DPi. Assim, serão 23 os inscritos para a disputa marcada para o dia 1º de junho, um sábado.

Algumas equipes preferiram não arriscar seus equipamentos intramuros: a Riley-AMG é uma delas, já que o resultado em Mid-Ohio não foi dos melhores – penúltimo, entre 15 carros. Assim, Ben Keating e Jeroen Bleekemolen podem ir com calma para La Sarthe e participar do Journée Test.

No mesmo dia, Felipe Fraga estará na disputa dos 1000 km de Paul Ricard do Blancpain GT Series Endurance, mas como de Bandol para Le Mans a viagem é bem menos estressante, o piloto brasileiro não terá problemas para se juntar aos colegas de time no treino apronto para as 24 Horas deste ano.

As outras duas equipes que ficaram fora do GP de Detroit são a Pfaff Motorsports e a Moorespeed. Por questão de custos, nenhuma das duas vai arriscar levar os carros e vê-los destruídos a troco de perder parte da temporada.

Em contrapartida, a Lone Star Racing e a Compass, que anunciaram presença nas provas nesse formato, estarão em Detroit com Gar Robinson/Lawson Aschenbach e Paul Holton/Matt Plumb, respectivamente.

Quem ameaçou ficar fora do evento foi a Meyer Shank Racing com seus dois Acura NSX-GT3 EVO. Porém, há uma liderança em jogo e Mario Farnbacher/Trent Hindman comandam o campeonato com 84 pontos somados na GTD, quatro à frente de Townsend Bell/Frankie Montecalvo e sete de avanço sobre os vencedores da última etapa – Richard Heistand/Jack Hakwsworth.

Entre os protótipos DPi confirmados – seis Cadillac, dois Acura, dois Mazda e um Nissan – a única dúvida é quem estará a bordo do #50 da Juncos Racing junto a Will Owen. De resto, serão os suspeitos de sempre na luta pela vitória e pela liderança do campeonato.

Que, por sinal, continua com Felipe Nasr e Pipo Derani: os brasileiros da Whelen Engineering/AX Racing somam 120 pontos – quatro a mais que a dupla do Acura Team Penske formada por Hélio Castroneves/Ricky Taylor. Renger Van der Zande/Jordan Taylor vêm em terceiro com 113 e há um empate no 4º lugar entre Dane Cameron/Juan Pablo Montoya e Filipe Albuquerque/João Barbosa.

Após a prova, uma legião de pilotos deixará o circuito rumo a França, para o Journée Test do domingo: Filipe Albuquerque, Ricky Taylor, Renger Van der Zande, Pipo Derani, Will Owen, Harry Tincknell, Oliver Jarvis, Cooper MacNeil, Toni Vilander e Patrick Long.

3 comentários

  1. Jonny'O disse:

    Espero que o time Core tenha melhor sorte dessa vez, os resultados do time estão pífios comparados com ano passado, isso me preocupa porque pode desanimar os lados da Nissan , em nome da multimarca!

  2. Ivair disse:

    Rodrigo. Essas provas sprint são um porre! Muito curtinhas para esses tipos de carros de endurance. O que vc acha?

    • Rodrigo Mattar disse:

      A IMSA não tem outra saída. Ela precisa fazer corridas assim porque não são o evento principal, tanto em Long Beach quanto em Detroit.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *