MENU

1 de maio de 2019 - 08:20Mundial de Endurance

Por “novos desafios”, Alonso deixa WEC e Hartley é da Toyota para 2019/20

9d0c759678f84c73bde2590d25afc3e7

Adeus ou até breve?: Fernando Alonso deixa o FIA WEC após as 24h de Le Mans e seu lugar será de Brendon Hartley na temporada 2019/20

RIO DE JANEIRO (atualizado às 10h45) - Véspera de 6h de Spa-Francorchamps e a bomba cai no paddock do Mundial de Endurance: Fernando Alonso não seguirá com a equipe Toyota Gazoo Racing na temporada 2019/20 da competição de resistência.

O anúncio foi feito nesta quarta-feira, sem muitas explicações de ambas as partes.

Alonso alegou querer ‘novos desafios’ dentro do programa de motorsport da própria montadora. O bicampeão mundial de Fórmula 1, vencedor das 24h de Le Mans do ano passado e líder do Mundial de Pilotos do WEC junto a Sébastien Buemi e Kazuki Nakajima, não descarta a possibilidade de encarar o Rali Dakar, que em 2020 será na Arábia Saudita.

“Eu gostei de fazer parte da Toyota Gazoo Racing no WEC, mas este capítulo está terminando. Ganhar as 24 Horas de Le Mans (em 2018) é um dos destaques da minha carreira como parte do meu desafio da tríplice coroa e vou sempre lembrar a vitória que conseguimos juntos no ano passado. Agora é um bom momento para enfrentar novos desafios e há muitas oportunidades interessantes para explorar dentro da Toyota Gazoo Racing”, afirmou o espanhol.

A direção da equipe japonesa também se manifestou. “Estou triste por dizer adeus a Fernando e gostaria de agradecer muito a sua contribuição para esta fantástica temporada, durante a qual ele escreveu seu nome na história do automobilismo da Toyota. Sua paixão, desejo de vencer e vontade de perseguir seus sonhos é verdadeiramente impressionante”, afirmou o presidente da equipe, Hisatake Murata.

Com uma vaga em aberto, a Toyota não perdeu tempo e chamou para o lugar de Alonso um piloto com intimidade no WEC, conquistando vitórias e o título mundial: escalado como reserva para as 24h de Le Mans deste ano, Brendon Hartley será titular na temporada 2019/20. O neozelandês de 29 anos ganhou 12 provas como piloto oficial de fábrica da Porsche e tem o triunfo alcançado de forma inacreditável em La Sarthe, no ano de 2017.

“Eu sei o quão profissional e motivada é esta equipe, então estou animado e muito feliz por me juntar a eles. Acredito que estou voltando ainda mais forte como piloto, seguindo minha experiência na F1 e estou ansioso para construir um forte relacionamento com meu novo time”, comentou Hartley.

Os demais pilotos – Kazuki Nakajima, Sébastien Buemi, José María López, Mike Conway e Kamui Kobayashi – estão mantidos, mas as formações ainda não estão 100% definidas. Portanto não se pode afirmar com clareza que Hartley será o substituto direto de Alonso. Apenas que está ocupando a vaga do espanhol – que, algumas horas após o comunicado oficial, afirmou aos jornalistas já presentes na Bélgica que não se trata de um “adeus”, mas sim de um “até breve”.

“Eu tomei a decisão de parar este programa agora, a curto prazo. Eu acho que a médio, longo prazo, voltarei ao WEC com 100% de certeza. É uma série que eu realmente gosto. Eu gosto do tipo de corrida aqui. Eu gosto das corridas imprevisíveis que você enfrenta, com todo o tráfego e as coisas que você precisa perseguir.”

“Eu gosto do espírito de equipe, compartilhando o carro com os colegas de equipe. Definitivamente, acho que é apenas uma pequena pausa que farei no WEC”, completou Alonso.

Que não demore…

6 comentários

  1. Diogo disse:

    Provavelmente o próximo passo dentro da Toyota é o Rally Dakar. Ele já esteve testando um picape Hilux há pouco tempo atrás.

    • Rodrigo Mattar disse:

      É no que acredito, também. Acho que o Alonso vai querer repetir Freddy Kottulinsky, Jacky Ickx e Jean-Louis Schlesser que, salvo engano, foram os únicos pilotos de asfalto que ganharam o Dakar até hoje. Embora ache que esses nomes não signifiquem nada ou muito pouco pra ele.

  2. Felipe Fugazi disse:

    Se ele realmente for pro Rally Dakar (se…) só posso dizer que ele tá é certo.
    Estará correndo por prazer e diversão.
    Uma hora ele ganha a Indy 500.
    O Dakar com todo respeito tirando a exaustão fisica não parece tão intangivel.
    Qual seria o desafio seguinte?

  3. Jorge Miranda disse:

    É…deve estar empolgado com a melhora da McLaren…já que os dois carros foram aos pontos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>