Cinco anéis para os Quatrargólicos

C
XT3A5134
A equipe certa na hora certa: a penalização aplicada ao Porsche da Manthey Racing, líder das 24h de Nürburgring, custou-lhes a vitória. A Phoenix Racing não tinha nada a ver com isso e foi a vencedora da clássica disputa alemã neste fim de semana

RIO DE JANEIRO – Os Senhores dos Anéis acabam de faturar mais um neste fim de semana: pela 5ª vez, a Audi chega à vitória nas 24 Horas de Nürburgring, uma das mais difíceis e emblemáticas provas de longa duração do mundo.

O quarteto formado por Fréderic Vervisch (que deu duplo expediente no WTCR), Dries Vanthoor, Pierre Kaffer e Frank Stippler completou quase 4 mil km pelo Nordscheleife, num total de 157 voltas percorridas diante de um público superior a 230 mil torcedores espalhados pela região do Eifel ao longo dos 25,378 km do lendário traçado alemão.

Registre-se que em nenhum momento pareceu que a Audi e a Phoenix Racing seriam capazes de alcançar o triunfo obtido neste domingo. Por mais de 21 horas, o domínio foi de equipes das casas rivais – Porsche e Mercedes-AMG – que estiveram quase esse tempo todo na frente, com a Porsche tendo mais possibilidades de vitória face a ótima prova da tripulação do #911 da Manthey Racing, formada inclusive por dois campeões do WEC (Michael Christensen e Kévin Estre), junto a Laurens Vanthoor e Earl Bamber, igualmente vitoriosos em Le Mans noutros anos.

Porém, uma penalização de 5min32seg, aplicada por desrespeito da equipe Manthey Racing a duas zonas de neutralização por bandeiras amarelas (passaram em 172 km/h quando deveriam estar em 120), pôs um fim definitivo ao sonho de mais uma vitória do construtor de Stuttgart, abrindo caminho aos rivais para que vencessem a disputa. A Black Falcon, que teve uma de suas Mercedes-AMG partindo da pole position, ainda fechou em 3º lugar graças a Maxi Bühk/Hubert Haupt/Luca Stolz/Thomas Jäger.

Uma das surpresas da disputa foi o desempenho consistente do SCG 003C #705 da Scuderia Cameron Glickenhaus, que em boa parte da prova andou entre os cinco primeiros, naquela que é a despedida do bólido da competição alemã – já que em 2020 vem um carro novo para substitui-lo. O carro só não chegou no top 5 e até mesmo no pódio porque uma colisão com um carro mais lento causou danos e foi necessário um reparo mais longo. A nona posição não pode ser considerada tão ruim assim…

Para outro construtor germânico, as 24h de Nürburgring foram quase que um desastre absoluto. A BMW só teve um carro no top 10: sexto lugar para o #44 do Team Falken guiado por Stef Dusseldorp/Alexandre Imperatori/Peter Dumbreck/Jens Klingmann, enquanto as outras M6 GT3 ficaram pelo caminho – incluindo a do brasileiro Augusto Farfus, vítima de um acidente prematuro com Timo Scheider ao volante.

Tirante as três marcas já citadas, além do carro da SCG, a única a figurar entre os dez primeiros foi a japonesa Nissan, 10ª colocada geral com o #45 alinhado pelo time de Masahiko Kondo para Tom Coronel/Mitsunori Takaboshi/Tomonobu Fujii/Tsugio Matsuda.

A participação brasileira não foi mesmo auspiciosa: o carro #38 da KCMG que tinha João Paulo de Oliveira estreando na mítica disputa junto a Josh Burdon, Phillip Wlazik e Christian Menzel abandonou após pouco mais de seis horas de disputa, com 40 voltas percorridas.

De um total de 158 inscritos, largaram 155 para a prova e nada menos que 102 foram classificados. E eram mais de 20 subcategorias em disputa na 47ª edição das 24h de Nürburgring. Que venha a próxima!

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

7 Comentários

  • Tal qual as 24 Horas de Le Mans, eu acompanhei essa prova de perto. E que corridaça, meus caros! O que vou dizer aqui pode assustar alguns, mas essa prova consegue ser até melhor que as 24 Horas de Le Mans. Explico: pista muito mais complexa, muito mais carros de vários, tamanhos, potências e sabores diferentes, competição muito mais acirrada com mais de 50 carros com equipamento para andar na frente e ainda por cima é uma prova que ainda permite que o “average guy” junte uma galera e participe da prova… enfim, sensacional é uma palavra que subestima as 24 Horas de Nürburgring.

    Sobre a prova, torci para a Glickenhaus, mas fiquei feliz com o desempenho. Poderiam ter feito história vencendo a prova caso não tivessem que trocar o radiador após o contato que os fez perder 16 minutos no box durante a madrugada. A Manthey fez uma prova quase perfeita, fiquei de boca aberta com os caras andando 19 horas em um ritmo impecável, pena terem cometido um erro besta desses. Pelo menos a ultrapassagem que eles deram pra tomar a liderança foi coisa pra entrar na história sendo espremidos pela Mercedes e colocando duas rodas na grama a 300km/h. Na outra ponta, como você disse a BMW teve uma prova pra esquecer, perdendo, entre outras, as duas ROWE M8’s em questão de momentos e ficando apenas a M6 da Falken até o final.

    Quem cometeu um erro muito mais grave foi o piloto do Porsche que não viu a sinalização do “código 60” e carimbou na traseira do Nissan GTR. Não sei como sairam ilesos… https://www.youtube.com/watch?v=D8JsQKzJKEo

    Menção honrosa para a presepada do piloto que ficou andando com o capô aberto e acertou em cheio a entrada do pitlane. Assim como os mecânicos da equipe, eu dei risada… https://www.youtube.com/watch?v=6Yf-Muq04Ys

    Bem que você podia pedir pra produção te mandar pra lá ano que vem!

    • É a maior. Ímpar, principalmente se comparada com Le Mans no atual regulamento.
      BMW azarada,
      SCG andando muito, mas perdendo deles mesmos, dada a complexidade construtiva do bólido, como uma donzela com 3 cintos de castidade.
      Maxi Gotz pensou que estava no Gran Turismo, não contaram pra ele que era Assetto Corsa.
      Porsche sendo Porsche e Estre sendo Estre.. Sabine Schmitz antes da prova, ressaltou seu velho mantra, de que nurburgring, por sua sinuosidade e complexidade, precisaria de o dobro de fiscais de bandeiras… Imagino que a Porsche tenha provado desse fel, dando a vitória à, há muito, insossa Audi.
      Mais uma corrida memorável. Rodrigo, #ficaadica para o ano que vem.

  • Segundo fim de semana consecutivo que a madrugada virou dia para mim. E assim como em LE MANS, em NURBURGRING, o melhor da carro da prova, não venceu. Na primeira, o sistema de exaustão e depois, “procedimentos de segurança” tiraram 0 911 de brigar pela vitória. Já na Alemanha, o regulamento ceifou a chance da PORSCHE ratificar o seu total domínio da prova. Num cirtcuito com mais de 23 km, em meio a floresta, “achar” um bandeirinha acenando a “amarela”, realmente ficou difícil LAURENS VANTOOR não ser penalizado, mas regulamento é regulamento.
    Das 24 categorias que alinharam seus carros em Nordschleife, a PORSCHE venceu em 8, e pelo segundo final de semana consecutivo, subiu ao pódio. Mais uma vez, a BMW decepcionou.
    Parabéns ao time AUDI, que começou mesmo a por as “manguinhas” de fora quando o dia começou a clarear. Excelente corrida dos “quatroargólicos”.
    Mais uma vez, uma corridassa em NURBURGRING.
    Faltam 29 dias para as 24 HORAS de SPA-FRANCORCHAMPS…força PORSCHEEEE!

  • Cheguei a ver mais de 48mil pessoas assistindo as últimas horas da corrida, provavelmente deve ter sido a maior audiência no youtube quando assunto é automobilismo, espero que esses números sejam ainda maiores nas próximas edições e que provas como 24hrs de Le Mans e ate mesmo a FIA WEC passe ao vivo e de graça. Antigamente o WEC passava de graça no próprio site da categoria. Blancpain quando a prova é do endurance também recebe mais de 8, 12mil pessoas ao vivo, o que é muito bom.
    Mattar, as 24hrs de Nürburgring faz parte de algum campeonato ou é uma prova isolada?

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames