MENU

9 de junho de 2019 - 23:08Fórmula 1, Opinião

Faltou bom senso

aa353841bd5361dbb368b6080d457c0c

Esta é a imagem de Vettel à frente de Hamilton após a manobra que deu o que falar neste domingo. E o que os comissários queriam? Gentilezas? Tapete vermelho? Francamente…

RIO DE JANEIRO - O GP do Canadá de Fórmula 1 teve um desfecho que, sem dúvida, desagradou enormemente a grande maioria que assistiu à corrida deste domingo realizada em Montreal no Circuito Gilles Villeneuve.

Hoje não pôde ser posta para jogo a galhofa de meio mundo que garante que FIA é a sigla para Ferrari International Automobile. Porque o que foi feito com a equipe italiana e principalmente Sebastian Vettel beira o absurdo.

Quer dizer: o alemão, pole position, tem uma atuação praticamente perfeita – e por conta de um único erro os comissários desportivos decidem puni-lo com um time penalty de cinco segundos? É inacreditável que o destino do GP do Canadá tenha sido decidido por três cabeças e seis mãos – sendo que uma dessas cabeças é de um antigo piloto da categoria.

Há quem crucifique o italiano Emanuele Pirro pelo ocorrido a Vettel, que deu a Lewis Hamilton mais uma vitória na temporada – o que faz da Mercedes-Benz invicta em sete corridas neste campeonato. Mas é preciso dizer que Pirro não estava sozinho.

É claro que todos os holofotes estavam no homem que disputou duas temporadas e meia na Fórmula 1 e fez seu nome nas 24h de Le Mans, afora outras provas importantes do Endurance mundial. Mas vocês pararam para pensar que ele pode ter sido voto vencido na decisão?

Pode ser que tudo esteja nas mãos do alemão Gerd Remmser e do belga Mathieu Remmerie, que igualmente atuaram como comissários na corrida deste domingo e podem ter levado à risca o artigo 38.1 do Regulamento Desportivo.

De acordo com o comunicado na página da Fórmula 1, o piloto do carro #5 (Vettel) saiu da pista na curva 3 e voltou ao traçado na curva seguinte “de maneira insegura”, forçando o piloto do carro #44 (Hamilton) a sair da pista. De acordo com o mesmo comunicado, Hamilton “fez uma manobra evasiva para evitar a colisão”.

Em primeiro lugar, o que esperavam os egrégios comissários? O traçado do circuito Gilles Villeneuve não possui áreas de escape na altura das curvas 3 e 4. Vettel cometeu um erro, passou pela grama e voltou. Não creio que tenha sido ilegal da parte do alemão e muito menos que ele tenha forçado ao voltar à pista, para cima da Mercedes de Hamilton. Caso eu, que estou opinando neste post, estivesse no papel de comissário, jamais puniria o piloto da Ferrari.

Queriam afinal o que, os senhores Remmser e Remmerie – e talvez Pirro, já que como não sei o voto do piloto-comissário, não posso o isentar de culpa, embora eu tende a acreditar que jamais passou pela cabeça do italiano cogitar a punição ao piloto da Ferrari? Que fosse estendido um tapete vermelho para que Lewis ganhasse a primeira posição?

64259537_2151506794967425_5258809509714853888_n

Fulo da vida – com todos os motivos – Sebastian Vettel perdeu a linha e inverteu as placas de identificação do Parc Fermé: a Ferrari promete recorrer da decisão dos comissários, usando como precedente um incidente semelhante, que por coincidência tinha Lewis Hamilton como uma das personagens

O efeito da celeuma foi o pior possível no pós-prova. Hamilton foi vaiado – injustamente. Vettel, puto da vida – e com toda razão – parou a sua Ferrari num canto qualquer e, para não quebrar o protocolo do pódio, quebrou outro: no Parc Fermé, inverteu as placas de identificação dos dois primeiros colocados.

Entendo a raiva do alemão. Qualquer um que estivesse ali, faria o mesmo. Talvez, até, pior. Quem venceu a corrida, moral e esportivamente, foi ele. Não Hamilton.

Foi uma mancada da FIA e de seus Stewards. A pior decisão, tomada de forma errada, do jeito errado, jogando na lama a credibilidade da Fórmula 1 e também facilitando ainda mais as coisas para Hamilton – que segue líder disparado do campeonato – e para a Mercedes, que sem merecer, segue sem ser derrotada.

Esse foi um fim de semana em que tudo dava certo para a Ferrari – até a grande patacoada dos senhores que, de uma salinha, acham que são semideuses que podem mudar tudo.

Quer dizer que, se os comissários de hoje fossem os mesmos em 1º de julho de 1979, quando Gilles Villeneuve e René Arnoux protagonizaram, com fechadas de porta, totós e tudo o mais que vocês puderem imaginar, uma das maiores batalhas de todos os tempos por uma posição – e nem era a primeira colocação! – ambos sairiam presos do autódromo com focinheira e de carrocinha.

Essa mentalidade de monsieur Jean Todt de punir tudo e todos por um automobilismo “seguro” tira a graça do esporte como conhecemos. Vocês lembram do que já foi feito a Max Verstappen de outras vezes, não é? Agora, mexeram com Vettel e a Ferrari.

Os italianos, aliás, já recorreram da punição e têm um precedente para contra-argumentar: uma manobra bem semelhante a que aconteceu hoje, e numa pista bem mais difícil – Mônaco – envolvendo o próprio Hamilton e também o australiano Daniel Ricciardo, na época na Red Bull.

Esportivamente, foi um domingo triste. Como é que a Fórmula 1 pretende alcançar um público novo se acontece uma situação como esta, justamente num dia onde a então líder invicta do campeonato perderia pela primeira vez, o que daria um novo fôlego à disputa.

Sinceramente, não sei nem o que pensar. E fico por aqui. Afinal, o que mais dizer desta corrida? Qualquer outra análise perde o senso e o sentido.

Não sei se mais do que os comissários da FIA, que também perderam o senso crítico e o sentido de análise numa situação em que, repito, Vettel não teve nenhuma intenção de dolo e Hamilton não tinha o que fazer naquela hora.

29 comentários

  1. Claudio disse:

    Pelos padrões atuais, Villeneuve e Arnoux sairiam presos de Dijon em 1979.
    Só mais uma demonstração da força da Mercedes nos bastidores. Hamilton não precisa disso, está mais que claro que vai vencer o campeonato com o pé nas costas

  2. Alvaro Ferreira disse:

    Caro Rodrigo,
    Permita-me discordar. Hoje tentei fazer isso educadamente, como sempre (e vc sabe como ajo), via rede social, em relação ao Flavinho, mas ele me respondeu curta e debochadamente. Erro meu, pensei que ele aceitava e era dado ao diálogo…
    Mas como acho que vc aceita e gosta, volto ao assunto. É uma questão interpretativa. E a minha interpretação é que o Vettel errou e voltou para a pista disposto a jogar tudo contra a banca. Ele não cobriu a trajetória, a meu ver. Jogou pra cima mesmo. Se o Hamilton não aliviasse, poderia ter havido um acidente de graves proporções. A gente já viu o que acontece quando carros decolam e ricocheteiam na cerca. O último episódio foi com o Robert Wickens…
    Então o Vettel errou duas vezes, a meu ver. Não acontecer nada beneficiaria o infrator.
    Repito, essa é a MINHA forma de ver. Se a imensa maioria não pensa assim, respeito. Mas exijo respeito tb pela minha opinião. Discordar é da natureza humana. Conversar sobre isso também. É saudável. Pelo menos eu acho.

    • Rodrigo Mattar disse:

      Tanto sua opinião será respeitada, mesmo discordando, já que a minha está no texto, que ela está aqui na área de comentários. O que não aceito é falta de educação e comentários de baixo nível.

      • Alvaro Ferreira disse:

        Obrigado, um abraço e vamo que vamo pra Le Mans!

      • Antonio Vidal disse:

        Sobre Flávio Gomes, concordo com Alvaro Ferreira. FG não aceita opiniões contrárias às suas. Sobre o incidente no GP do CANADÁ, fico com a opinião do RODRIGO.

    • Luiz Alberto Ferreira disse:

      Pega o seu automóvel que deve ter uma altura do solo entre 12 a 18 cm , saia de um piso asfaltado e entre em um gramado acima de 100 km /H e tente fazer um S , e veja o que acontece ,depois emita a opinião , Lembrando que seu pneu tem ranhuras é muito mais estreito (se você conhecer um pouco de rally saberá que para pisos de pouca aderência como pedriscos ,lama , neve e até grama o pneu mais estreito é mais indicado ) pois não precisa ser um profundo conhecedor de física para saber que na velocidade que entrou na grama , com enormes pneus Slick´s que na grama e com altura e peso do carro (muito leve) tem quase que a mesma aderência de um cubo de gelo sobre uma superfície lisa, então ele não teria condição de precisar onde iria parar quando conseguisse sentir as rodas novamente ( a grande habilidade de Vettel foi não ter freado e nem tirado o pé do acelerador ,pois isso causaria frenagem pela ação regenerativa das MGU e outras tranqueiras eletro/eletrônicas) , e isto em frações de segundo em que aconteceu a ação , pare de assistir “Velozes e Furiosos ” e aplique-se ao estudo da física , principalmente no Movimento Retilíneo Acelerado e Momento Vetor , É muito melhor para uma pessoa que se diz educada, antes de manchar a moral e o caráter de uma pessoa que sequer conhece pessoalmente.
      Nota : Não sou Ferrarista , até torço contra pela forma antidesportiva que trata seus pilotos . E se não fosse a extrema idiotice de Mattias Binotto , a Ferrari poderia ter ganho co Leclerc se este Mattias não estivesse empenhado em prejudicar o segundo piloto do time , pois não posso acreditar que ele faça estratégias completamente erradas por simples incapacidade pessoal e isso repetidas vezes . E lembre-se isto é comum na F 1 ( prejudicar um piloto) , em 84 para o Prost ter uma vitória a mais na carreira ele ficou com um campeonato mundial a menos . Parece que o deus da velocidade não vê com bons olhos atitudes desleais de equipes , competidores e dirigentes.

      • Alvaro Ferreira disse:

        Luiz Alberto, onde foi que eu manchei a moral e o caráter de alguém? Eu disse que, na minha opinião, o Vettel errou. Ponto. Todo mundo erra.
        Respeito a sua opinião. Mas fui piloto de kart por 15 anos, mais de 300 largadas, fiz algumas incursões pela grama com pneus slick. Posso te dizer que o controle ê bem mais possível do que parece, a não ser que a grama esteja molhada. Mas é uma questão de fração de segundo mesmo para decidir e reagir. A meu ver a decisão e a reação do Vettel levaram a uma infração do regulamento. Na sua visão, não.
        Tudo bem. Vida que segue.

      • Alvaro Ferreira disse:

        Ah, Luiz Alberto, só pra complementar algumas coisas que você pontuou::
        - estudei física na faculdade de engenharia, no início dos anos 70, talvez antes de você ter nascido. E meu professor de pilotagem na época, o Bob Sharp, sempre ressaltou essas questões de aderência;
        - nunca vi ‘Velozes e Furiosos’. Não tenho idade nem paciência para essas bobagens;
        - não torço por ninguém, vejo corridas há mais de 50 anos por amor ao esporte, só. O único piloto por quem torci na vida foi o Jim Clark.

  3. MarcioD disse:

    Independentemente da decisão dos comissários ter sido correta ou não, as atitudes circenses protagonizadas por Sebastian Vettel no pós corrida foram indignas de um tetracampeão de F1, de um homem de mais de 30 anos que se pressupõe possuir certo grau de amadurecimento. Parecia um destes meninos mimados donos da bola que não sabem perder uma peladinha. E para piorar, contraditoriamente a tudo que havia feito anteriormente, compareceu ao pódio. Como forma de protesto, apesar de também ser passível de punição, era preferível um não comparecimento ao pódio, o que seria um tapa de luva de efeito muito maior na FIA.
    A FIA, atualmente dirigida pelo ex ferrarista Jean Todt, pode até mudar a decisão dos comissários, mas se não punir o Vettel por toda aquela comedia pastelão estará desmoralizada e coisas piores poderão acontecer no futuro.
    A F1 é um dos esportes com maior projeção global e tudo aquilo que aconteceu foi um mau exemplo para o esporte em geral e para os pilotos mais jovens.

  4. Jorge Miranda disse:

    Concordo com o Álvaro…
    Mas a punição foi totalmente desnecessária e imbecil…
    QUALQUER PILOTO FARIA O MESMO QUE VETTEL…
    Faz parte das corridas…
    Hamilton não precisa disso…
    E a F1 está afundando pior que o Titanic…
    Já tivemos várias equipes dominantes, mas foi na pista…
    PS: o Rodrigo Mattar com certeza respeita seus leitores…

  5. wilson carpini disse:

    A punição foi injusta e o Vettel não deveria ser punido.
    É uma corrida, uma disputa e sim, se o hamilton não aliviasse bateriam, mas ele esperava o quê? um tapete vermelho pra assumir a liderança?
    O Hamilton bloqueou não só o Ricciardo em 2016 como o Verstappen também no mesmo ponto em anos diferentes e o que foi feito? Nada.
    diz o dito popular que “Pau que dá em Chico dá em Francisco”, então Vettel não deveria ser punido e a F-1 deve voltar a ter disputas como a de Villeneuve e Arnoux na França em 1979.
    A f-1 tá muito nutella hoje em dia e quando aparece um cara “mais raiz” vem esses comissários e ferram tudo….

  6. Ivair disse:

    Rodrigo.
    1- Se fosse comissário não teria punido. Mas é uma questão interpretativa, portanto, as pessoas interpretam uma mesma situação de maneiras diferentes.
    2- Que a atual F1 está um porre isso está. Segurança sempre! Mas automobilismo é esporte de risco. Se não quiser correr riscos jogue gamão!
    Sim se fosse hoje Villeneuve e Arnoux estariam banidos da F 1 e presos!

  7. ags disse:

    Ainda bem que temos esse Blog para manifestar..e viva a liberdade..kkk..
    Não tenho nenhuma experiência de competição automobilista…
    Mas, essa trajetoria do alemão foi um Fator de risco…
    Vce nota claramente.que ele sabia da distancia do Hamilton, e ele ainda vigia no retrovisor a mega Gagada que ele ia ser a mãe…
    Uma panca naquela velocidade…e sem espaço..ia sobrar para os dois…
    Ficou no bolso 5 seg… deveria ser bandeira preta… ele literalmente mudou a trajetoria do carro….Ferrari…
    Vce tbm nota que, ele é altamente perigos quando tem pressão…
    Perdeu feio… é um perdedor de nivel alto…

  8. zé clemente disse:

    O Vettel ficou raivoso e com muita razão. Esbravejou, trocou placas de lugar, etc etc
    Se fosse o Nelson acho que ele sairia do carro direto pra sala dos comissarios para quebrar alguns deles ou computadores ou tudo.
    Foi ridículo. Quem já pilotou qualquer coisa no asfalto algum dia, já rodou e entendeu como é a dinamica da coisa. O Vettel deveria ser aplaudido por ter conseguido controlar o carro sem bater em nada.

  9. Roberval disse:

    A crediblilidade da F1 já anda na lama a décadas…..

  10. Antonio Seabra disse:

    Eu não puniria, mas entendo que não se pode criticar demais os comissários… a situação foi bastante discutivel.
    Não acho que eles “roubaram” a vitoria do Vettel, mas certamente eles ROUBARAM DE NÓS um provável final eletrizante, com o Hamilton fazendo de tudo pra passar a Ferrari do alemão. E cá entre nós, do jeito que o inglês se aproximou e até tentou (sem fé), nas ultimas voltas, acho que conseguiria….

  11. Jonny'O disse:

    Achei injusto a punição , ali foi um momento de erro, o cara saiu da pista e voltou por uma area de escape diminuta , praticamente um pequeno canteiro , Vettel voltou e fechou a porta a meu ver, mas a regra garante uma manobra ,oque fazer? Nao faria nada em caso de julgamento.
    E acho também que querem regular muito as açoes dos pilotos fora a pista, aquilo tudo é bobagem e vai do gosto do fregues, muita choradeira depois ,creio, nem posso imaginar aquela foto do James hunt cheio de mulher com os peitos de fora ao redor de seu Mclaren!!!!

    Hoje em dia é muita frescura!!!! AH…claro, frescura pode!

  12. Danir disse:

    Correção: Punição decidida por três cabeças e 12 patas.
    Acompanho F1 desde o Jim Clark (é verdade, estou ficando velho) e estou começando a perder o interesse, tendo em conta o nível atual dos que detem o poder no esporte. Quando acontecem disputas no limite aparece um “drag comissário’, para ensebar. Não defendo que as pessoas se matem ou que prartiquem violência, mas este esporte é um esporte viril que implica certos riscos, que todos que o praticam sabem que existem, e a disputa é sempre num nível de altissima competitividade, pois a adrenalina rola solta dentro dos cockpits. Querer ver mocinhas guiando bólidos de 900+ cavalos é uma piada. Pelo que vi do incidente, se o Vetel tivesse tentado corrigir quando entrou na pista novamente, teria levado ele e o Hamilton para o muro. É o que eu penso.
    Começo a dar mais atenção para a motovelocidade (espero que os comissários que atuam na F1 fiquem longe) e outras modalidades automobilísticas que não sejam F1. Qual é a graça em ver motoristas de madame guiando um F1.

  13. LBacelar disse:

    A Mercedes colocou muito dinheiro na F-1

    De 2014 pra cá já tivemos o episódio das rodas traseiras que “esterçavam”, o modo “festa”, as rodas aerodinamicamentes incorretas, a asa dianteira desse ano…

    Sem contar a estória do motor ter sido concebido muito antes do regulamento de motores hibrido ser conhecido!

    Mas nem isso nos tirou a esperança de que seria possível uma reviravolta na pista!

    Infelizmente estou abandonando o esporte que eu acompanhei religiosamente por 30 anos, parafraseando o Vettel, dominações a parte, “Essa não é a Formula 1 por qual eu me apaixonei”

  14. Alan Ambrosini disse:

    Olha, Rodrigo Mattar, eu seria um dos que teriam vaiado (e vaiei de casa) se estivesse por lá, não pela decisão em si dos comissários, mas sim pelo fato de logo na curva 5 o Hamilton ja ter chamado a equipe no rádio dizendo que o Vettel voltou de forma insegura pra pista e pedindo pra que a equipe mostrasse aquilo para a direção de prova. Ao meu ver, foi uma maneira acintosa de botar pressão de quem de santo não tem nada na situação, quis se aproveitar da situação e nisso ja perdeu meu respeito.

    Acho triste ver a F1 “regredindo” aos tempos de Alain Prost onde as decisões de comissarios e diretores de prova era politica para prevalecer um piloto especifico.

  15. Leonardo Silva Conrado disse:

    Infelizmente, o politicamente correto da cabeça do senhor Jean Todt, está acabando com a graça da F1. O automobilismo “raiz”, como era a F1 nos 70 e 80, somente existe, ainda, em categorias como a Nascar e a Indy, categorias que não seguem esse regulamento ridículo de regras da FIA.

  16. ags disse:

    Sr Rodrigo…parece que o Sr Luis ficou de toco nessa.. desculpe sr Luis.. não sabia que o sr era assim delicado..rss..opsss.. o Sr Rodrigo é o responsa do blog..viu..vai com calma… olha a pressão.. calma… vai rezar um pouco Sr Luis..

  17. Farid Salim Junior disse:

    Caro Rodrigo, creio que este tipo de precedente venha a ser fator de descrédito da categoria, diante de seu público. Ao contrário do que afirmam os comissários – o ex piloto Emmanuelle Pirro entre eles – a decisão deles, sim, é que foi anti esportiva!
    O próprio Pirro sabe o que é escorregar pela grama, após uma saída de pista e, retornar com pleno controle de uma máquina potente com o carro do Vettel. Teria sido pior se o alemão tivesse desacelerado e tentado consertar o despiste. Poderia ter rodado e, aí sim, causado um acidente envolvendo o Hamilton…
    Perde o Vettel, perde a Ferrari, perde o automobilismo e, pior, perde a F1 – categoria que vem em lenta agonia, por conta desse excesso de regras subjetivas e lesivas ao andamento da categoria… Lamentável!!!

  18. rafael da cruz reis disse:

    Olá muito bom dia.
    Essa tá sendo uma das provas mais polêmicas dos últimos anos. O ocorrido, de certa forma esta´sendo muito bom, pois a discussão em torno desse assunto está sendo muito boa. Gostaria de convida-los à fazerem parte do meu grupo no WhatsApp para trocarmos conhecimentos.
    Obrigado.

  19. Antonio Vidal disse:

    A tal “categoria máxima” sendo minimamente conduzida por seus dirigentes. Triste, insossa, inodora e insípida…assim está a F1 em 2019…não tem gosto, nem cheiro. Novamente esqueci de assistir ao vivo a prova, vi o VT….
    Ainda bem que posso assistir no domingo, corridas de verdade. Lá é “pé no porão” o tempo todo e o penúltimo, tem grandes chances de vencer a prova.
    Falta pouco para LE MANS!

  20. Juruna disse:

    A punição foi injusta e, de fato, estragou a corrida, pois eliminou a expectativa de um grande duelo nas voltas que restavam.
    E, caro Rodrigo, pelo que li por aí a decisão foi unânime. Então, se for verdade, nem isso salva o Pirro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>