Pequenas maravilhas – especial 24 Horas de Le Mans: Chaparral 2D (1966)

P

IMG_0989

RIO DE JANEIRO – Poucos carros foram tão lendários quanto os Chaparral, o que faz do texano Jim Hall – ainda vivo, aos 83 anos – um dos grandes gênios da história do automobilismo. Muitas das contribuições que o esporte teria pelas últimas décadas, como o uso de transmissão automática e de artefatos aerodinâmicos móveis, foram testadas e introduzidas numa geração de Esporte-Protótipos que encantaram toda uma geração de entusiastas e continuam até hoje impressionando aos que nunca os viram de perto.

E o Chaparral não poderia faltar não só nas 24 Horas de Le Mans, como na série especial de miniaturas de modelos que correram em La Sarthe.

O primeiro carro com que Jim Hall decidiu encarar a maior prova de Endurance do planeta foi este da foto: o protótipo 2D, concebido com motor Chevrolet V8 5,4 litros, que tinha 420 HP de potência e era equipado com uma transmissão de três marchas apenas. Aliás, o Chaparral era incrivelmente leve para os padrões da época, com peso mínimo de 892 kg, facilitado também pelo monobloco construído em fibra de vidro e resina epóxi.

E antes da corrida francesa, vencera os 1000 km de Nürburgring exatamente com Phil Hill e Joakim Bonnier a bordo, numa atuação monumental do carro ianque contra os construtores europeus, Ferrari e Porsche, por exemplo.

Largando da 10ª posição entre 56 carros com o tempo de 3’35″1 (média acima de 225 km/h para a época), o Chaparral passou em sétimo na primeira hora de prova. Mas acabaria por cair na classificação, com problemas técnicos. Figurou entre o décimo-sexto e o décimo-oitavo lugares nas horas seguintes, evoluindo para a 14ª posição ao fim da hora #4. O carro chegou ao 12º posto e não melhoraria além disso – uma falha elétrica insolúvel tirou o protótipo da disputa após 111 voltas completadas, com um terço de disputa.

A Chaparral Racing Cars voltaria às 24 Horas de Le Mans em 1967 – mas aí o carro já era o 2F, outra lenda do Endurance.

E quem matou a pau com a miniatura do 2D foi o Caio Gruber, de Curitiba. A réplica dele é em escala 1/43, fabricada pela Minichamps – com o requinte da reprodução do estepe na traseira e das fitas que conservavam mais ou menos inteiros os faróis dianteiros.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

4 Comentários

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames