MENU

2 de junho de 2019 - 12:08Rali

Tänak conquista Rali de Portugal e volta à briga pelo título do WRC

201962165813

Festa: Ott Tänak e Martin Jarvejoja se abraçam para comemorar a vitória no Rali de Portugal, que deixa a dupla estoniana mais próxima da liderança do campeonato do WRC

RIO DE JANEIRO – A luta pelo título do Mundial de Rali está mais acirrada do que nunca. Três pilotos estão separados por apenas dez pontos, quando chegamos ao término da primeira metade da competição. O Rali de Portugal, disputado neste fim de semana, pôs fogo no parquinho e deixou mais um nome forte nessa disputa.

O estoniano Ott Tänak tornou-se o primeiro a vencer três etapas na temporada e o segundo a ganhar dois eventos consecutivos, depois que Thierry Neuville triunfou no Tour de Corse e também na Argentina. Após o difícil Rali do Chile, o piloto da Toyota foi às terras portuguesas para chegar ao seu nono triunfo da carreira no WRC.

No princípio, pareceu que não seria assim: o espanhol Dani Sordo começou dominante e deu a impressão que a Hyundai dominaria o evento. Ficou só na impressão, pois um problema técnico não só atrapalhou Sordo como também tirou Sébastien Loeb de esquadro. O construtor sul-coreano perdera dois de seus pilotos – após três especiais – para brigar pela vitória em Portugal.

Ao fim do primeiro dia, a liderança caía no colo de Tänak, com seus companheiros de Toyota no encalço, fazendo antever que os japoneses comemorariam um histórico 1-2-3. Mas havia, ainda, muita coisa por vir…

Enquanto Tänak seguiu líder geral após sobreviver firme às seis especiais de sábado – as Street Stages em Gaia acabaram canceladas – mudanças aconteciam atrás do estoniano. Jari-Matti Latvala de repente despencou na classificação e ao fim da SS13 aparecia em 11º lugar. Kris Meeke estava em segundo a menos de quatro segundos e meio do companheiro de equipe e até Thierry Neuville, em furiosa recuperação, já estava igualmente em condições de discutir o primeiro lugar com o líder.

Na primeira passagem por Montim, neste domingo, Meeke foi o mais rápido e a diferença entre ele e Tänak caiu para 2″4, com o estoniano dando o troco na SS17 (Fafe 1) para abrir de novo vantagem na classificação. A diferença voltou a subir para em torno de oito segundos após a especial de Luílhas e, na segunda passagem por Montim, Kris perdeu quase 18 segundos, dando assim a chance do 2ª posto para Thierry Neuville.

O Power Stage foi dramático para o britânico da Toyota, uma vez que o domingo foi disputado nas últimas cinco especiais sem direito à assistência remota. Com a perda de uma roda, Meeke teve que desistir, abrindo caminho para Sébastien Ogier conquistar um 3º lugar improvável – afora os importantes cinco pontos do Power Stage, pelo melhor tempo no SS20 (Fafe 2).

Com tantos problemas e desistências, os Ford da M-Sport ficaram na quarta e quinta posições ao fim do Rali de Portugal, com Teemu Suninen alcançando seu melhor resultado no campeonato, à frente do galês Elfyn Evans.

A sexta posição foi do vencedor entre os carros do WRC2, o finlandês Kalle Rovanperä, com um Skoda, chegando à frente de um inconformado Jari-Matti Latvala – que ainda subiria mais duas posições na classificação.

Mais outros pilotos do WRC2 fecharam no top 10 final, com o tcheco Jan Kopecky em oitavo, o francês Pierre-Louis Loubet em nono e o sueco Emil Bergkvist alcançando seu primeiro ponto no Mundial de Pilotos.

A classificação do campeonato aponta agora uma diferença de dois pontos apenas entre Ogier e Tänak (viram como os pontos do Power Stage foram importantes?), com Neuville em terceiro a 10 pontos do líder do campeonato.

Veremos se no Rali da Sardenha haverá alguma alteração nos rumos da classificação.

Resultado final do Rali de Portugal:

1. Tänak-Jarvejoja (Toyota Yaris WRC) – 3.20’22″8
2. Neuville-Gilsoul (Hyundai i20 Coupe WRC) – a 15″9
3. Ogier-Ingrassia (Citroën C3 WRC) – a 57″1
4. Suninen-Salminen (Ford Fiesta RS WRC) – a 2’41″5
5. Evans-Martin (Ford Fiesta RS WRC) – a 7’08″3
6. Rovanperä-Halttunen (Skoda Fabia R5 EVO WRC2) – a 10’34″2
7. Latvala-Anttila (Toyota Yaris WRC) – a 11’28″2
8. Kopecky-Dresler (Skoda Fabia R5 EVO WRC2) – a 11’41″9
9. Loubet-Landais (Skoda Fabia R5 WRC2) – a 12’46″3
10. Bergkvist-Barth (Ford Fiesta R5 WRC2) – a 14’28″4

Classificação do campeonato após a 7ª etapa:

1. Sébastien Ogier – 142 pontos
2. Ott Tänak – 140
3. Thierry Neuville – 132
4. Elfyn Evans – 65
5. Kris Meeke – 56
6. Teemu Suninen – 44
7. Sébastien Loeb – 39
8. Jari-Matti Latvala – 38
9. Andreas Mikkelsen – 36
10. Esapekka Lappi – 34
11. Dani Sordo – 26
12. Kalle Rovanperä – 12
13. Benito Guerra – 8
14. Gus Greensmith e Marco Bulacia Wilkinson – 6
16. Pontus Tidemand, Yoann Bonato, Mads Østberg e Jan Kopecky – 4
20. Ole Christian Veiby, Stéphane Sarrazin e Pierre-Louis Loubet – 2
23. Adrien Fourmaux, Janne Tuohino, Ricardo Triviño, Pedro Heller e Emil Bergkvist – 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *