MENU

15 de julho de 2019 - 22:56EF Open

… e só da Sato

2319 31 19

Cena repetida oito vezes em 12 corridas – seis delas, de forma consecutiva: Marino Sato encaminha a conquista do EF Open na temporada 2019 (Foto: Fotospeedy)

RIO DE JANEIRO - O japonês Marino Sato continua imparável na temporada 2019 do Euroformula Open. Na sexta rodada da competição, o piloto da Motopark ampliou seu total de vitórias: em 12 corridas realizadas, venceu oito. Com tamanho apetite, será bem difícil que o piloto perca o título.

A vitória na prova #1 foi bem mais difícil. Jack Doohan, filho da lenda da Motovelocidade Michael Doohan, deu muito trabalho e chegou a apenas 0″611 do rival, com Lukas Dunner completando o pódio – apesar de uma penalização por ter desrespeitado repetidas vezes os limites do traçado do Red Bull Ring.

O piloto da casa não foi o único penalizado: Christian Hahn também tomou um acréscimo de 3 segundos ao seu tempo final de prova – o que não mudou sua situação, já que chegou em décimo de qualquer jeito. A de Julian Hanses poderia ser diferente: o piloto alemão levou um drive through por queimar a largada e cruzou em sétimo,

Sato chegou ao total de cinco triunfos seguidos no campeonato na prova do sábado e ampliou sua sequência para seis no domingo, vencendo em dobradinha com Hanses, bem menos afobado que na véspera. Um triunfo mais tranquilo, posto que 2″963 separaram os dois primeiros. O sueco Linus Lundqvist conquistou seu melhor resultado do ano, com o primeiro pódio no EF Open. Christian Hahn foi de novo 10º colocado: o único representante brasileiro na competição após a saída de Guilherme Samaia está em oitavo na tabela, com 58 pontos somados.

Sem ritmo para poder perseguir os adversários, Lukas Dunner salvou o quarto posto e continua sonhando com vãs esperanças de título: o piloto da Teo Martín Motorsport tem 154 pontos – só que Sato já disparou 262, ainda sem descartes.

As ausências de Liam Lawson e Yuki Tsunoda, por conta do compromisso já assumido com o FIA Fórmula 3 em Silverstone praticamente sepultaram as possibilidades dos dois pilotos da Motopark.

Tudo bem que ainda há 162 pontos em jogo nas próximas três rodadas, sendo 25 da vitória e dois pontos extras de pole e melhor volta a cada etapa. Mas a fase de Marino Sato é iluminada e será bem difícil batê-lo até o fim do campeonato.

Uma pena o grid pequeno (apenas 14 carros) e a oscilação de inscritos por prova – uma amostra de que não é bom para ninguém ter categorias de base em excesso com a mesma proposta. Claro, me refiro não só à Fórmula 3 da FIA como também à Fórmula Regional, onde correm os brasileiros Igor Fraga e Enzo Fittipaldi.

Enfim, agora é tarde pra chorar. Resta esperar por Silverstone e por dias melhores.

2 comentários

  1. Zé Maria disse:

    Você citou o Jack como sendo filho do Michael Doohan.
    E o Marino, tem algum grau de parentesco com o Takuma?
    Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>