GP às 10: qual a dificuldade de se seguir uma fórmula internacional no automobilismo brasileiro?

G

RIO DE JANEIRO – No GP às 10 desta segunda à noite, que gravo quinzenalmente, abordo a importância das 24h de Spa-Francorchamps, que terão participação de cinco pilotos brasileiros, mais de 70 carros na pista e muita competitividade.

E aí pergunto: por que raios o automobilismo brasileiro tem uma absurda dificuldade em seguir fórmulas internacionais de regulamento?

Não só o Brasil. A América do Sul, também. Vide a Fórmula 3 e o Superturismo. Mas é claro que lembro do Brasileiro de GT, certame de curta duração, como talvez o mais mal-acabado exemplo de uma fórmula que tinha tudo para dar certo e deu muito errado no fim das contas, depois de tantos acontecimentos que mancharam a credibilidade do campeonato.

Cabe a reflexão. É por isso que não temos só a competição cujo regulamento é abordado pela SRO como também não se imagina por exemplo trazer o TCR para cá e fazer uma ótima competição de carros de Turismo com tração dianteira.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

3 Comentários

  • (Agora sim sem caps lock e completo, desculpe) Prezado Rodrigo,

    Podemos acreditar que há (forte) lobby da Vicar impedindo uma nova categoria de GT e o TCR no Brasil ? Sobre o finado e saudoso Itaipava GT, em que pese os erros de administração da Loyal Sports, teria havido manobras de bastidor por parte da Stock no intuito de minar a classe concorrente ? Não estranharia, dado o vício administrativo do brasileiro em destruir a concorrência, ao invés de fomentá-la, nos mais diveros setores…

    Um abraço,
    Danilo.

    • Desconheço que a Vicar aja dessa forma. Acho que o Carlos Col não é capaz de uma coisa destas. O automobilismo brasileiro por si só já é autodestrutivo por vaidade. Não acho que a Vicar esteja agindo por debaixo dos panos para sacanear X, Y ou Z. E a questão de impedimento passa por uma série de coisas, que infelizmente resvalam no vil metal. Hoje o Brasil não reúne condições de ter novos campeonatos como o TCR – que é uma fórmula que aqui seria ótima para aqueles pilotos experts em tração dianteira. Estão falando na Fórmula 4, mas prefiro esperar pela oficialização da mesma.

  • Uma pena o campeonato Itaipava GT ter acabado, lembro quando em 2011, eu fui no Anhembi, para assistir a SP Indy 300, e a categoria de GT, fez uma ou duas provas de abertura ( agora não me lembro), e era bem legal, só tinha carrão competindo, lembro que o Otavio Mesquita bateu no final da reta do Anhembi com uma Ferrari, e a torcida tirou o maior sarro ahaha. Uma pena que no Brasil só se vinga a cultura do futebol.

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames