MENU

28 de julho de 2019 - 19:09Blancpain GT Series Endurance, Intercontinental GT Challenge

Porsche amplia domínio germânico e vence em Spa após nove anos

GPXWin

A Porsche deu show nas 24 Horas de Spa-Francorchamps e com atuação magistral de Kévin Estre na disputa, dividindo o carro #20 com Richard Lietz e Michael Christensen, venceu as 24 Horas de Spa Francorchamps via GP Extreme, equipe de Dubai

RIO DE JANEIRO – Desde 2010, tem sido assim. Hino alemão tocado no pódio na cerimônia de premiação das 24 Horas de Spa-Francorchamps. Seja por conta de Audi, Mercedes-Benz, BMW e Porsche. Neste domingo, “Deutschland Über Alles” foi entoado por conta do primeiro triunfo da Porsche em quase uma década – e o terceiro somente em toda a história da disputa, na principal corrida do Blancpain GT Series Endurance.

Não podemos dizer que corrida em Spa com chuva é algo atípico porque o mau tempo na região da Floresta das Ardenas é algo recorrente. Mas o que se viu nas 24 Horas de corrida foi simplesmente surreal. Some-se à chuva inclemente um negócio muito sério chamado falta de visibilidade e a gente entende o porque da direção de prova ter sacado bandeira vermelha e interrompido a disputa às 5h45 da manhã (0h45 de Brasília).

Como efeito, a paralisação durou quase seis horas e a disputa, que ficou em regime de parque fechado, só seria retomada às 11h30 na Bélgica (6h30 de Brasília). Sem surpresas, a 71ª edição da disputa foi também a mais curta em quilometragem percorrida da história no traçado de 7 km de extensão – descontada a corrida de 1993 em que houve interrupção por conta da morte do Rei Balduíno – nos últimos 40 anos.

Apesar dos percalços e dificuldades, louve-se a conquista da GP Extreme, cujo trio profissional de pilotos de fábrica da Porsche fez um belo trabalho. Richard Lietz/Michael Christensen/Kévin Estre (principalmente este último, em atuação monumental) levaram o carro #20 com a icônica pintura Gulf ao topo do pódio, numa corrida que teve de tudo – e que foi decidida nos detalhes. Como o que levou a marca de Weissach a escolher o time de Dubai para alocar três de seus ótimos pilotos num carro que disputa a classe Silver Cup. E vencer a corrida com 363 voltas apenas no total.

Até as paradas técnicas e as muitas entradas do Safety Car ajudaram. Por regulamento, todas as equipes tinham que cumprir pelo menos cinco minutos de pit stop para reparos básicos, como a troca de pastilhas e discos de freio, exigidos exponencialmente numa maratona do gênero. A GP Extreme foi bem mais feliz que as rivais e por isso conquistou a pontuação máxima final – embora houvesse ainda pontos a se oferecer pela classificação da disputa com 6h e também 12h.

A Porsche ainda conquistou 1-2 nas 24 Horas de Spa-Francorchamps, pois o #998 da ROWE Racing chegou em segundo com Nick Tandy/Fred Makowiecki/Patrick Pilet – outros representantes do esquadrão de fábrica. Além, claro, da pontuação no Intercontinental GT Challenge, do qual a corrida deste fim de semana fez parte como 3ª etapa do calendário.

Aliás, falando nisto, ninguém deu mais azar na disputa do que a SMP Racing, cuja Ferrari 488 GT3 liderou a corrida no primeiro quarto e na primeira metade. O time russo, assistido no Blancpain GT Series Endurance pela AF Corse, levou todos os pontos máximos – menos ao final, claro, porque o #72 de Miguel Molina/Davide Rigon/Mikhail Aleshin sofreu um acidente e ficou pelo caminho.

Apesar do revés, a trinca ainda lidera o campeonato restando a etapa final na Catalunha, com 22 pontos de vantagem para o trio Yelmer Buurman/Luca Stolz/Maro Engel, terceiro colocado na geral e em todas as outras fases da disputa, com o Mercedes-AMG GT3 da Black Falcon pintado com o “anime” ao estilo GoodSmile.

Já vencedora da disputa noutras edições, a Saintèloc acabou honrando a casa Audi com um belo 4º lugar da trinca Christopher Haase/Markus Winkelhock/Fréderic Vervisch, beneficiados pelos problemas do #1 de Nico Müller/Robin Frijns/René Rast, que ficaram pelo caminho a menos de 15 minutos para o final.

A Walkenhorst Motorsport foi outra equipe que surgiu com chances na disputa, após uma classificação muito ruim do trio Nicky Catsburg/Christian Krognes/Mikkel Jensen no treino oficial. A BMW #34 teve possibilidade de bisar a vitória do ano passado e inclusive liderou. Mas um pit stop extra por furo do pneu traseiro direito sepultou as chances da equipe de Henry Walkenhorst, concluindo a disputa apenas em 11º lugar.

Inclusive, numa disputa dominada pelos modelos de fabricação alemã, com 12 carros entre os 15 melhores classificados, vale destacar a ótima performance do Honda NSX GT3 EVO guiado por Bertrand Baguette/Mario Farnbacher/Renger Van der Zande, que fizeram uma grande corrida e completaram num espetacular sexto lugar. Para efeito de pontuação no IGTC, o trio do carro #30 ficou em quinto, já que o #998 não marcou pontos para a série.

As 24 Horas de Spa-Francorchamps foram atribuladas e difíceis para o exército brasileiro de pilotos, mas pelo menos um deles sai feliz apesar do resultado final não refletir uma performance tão boa. Mas, considerando que largaram de 71º e penúltimo para terminar em 17º geral e segundo na categoria, Felipe Fraga e seus parceiros Timur Boguslavskiy e Nico Bastian praticamente levaram por antecipação o título do Blancpain GT Series Europe na subclasse Silver Cup.

Os demais não têm muito o que comemorar e deles, só Pipo Derani, junto a Andy Soucek e Lucas Ordoñez, recebeu a quadriculada. Terminou seis voltas atrasado e em 29º lugar na geral, numa corrida em que nada deu certo para a Bentley M-Sport, no ano de seu centenário. Rodrigo Baptista nem andou: o carro #109 que dividiria com Callum McLeod e Seb Morris quebrou após completar apenas seis voltas.

Outro que nem pegou no volante após classificar o carro em 5º no grid foi Daniel Serra. Nick Foster largou mal, perdeu muitas posições na pista molhada e o xará deste, Nick Cassidy, pôs tudo a perder num acidente na 26ª passagem. Também por batida, só que na calada da madrugada, John Edwards jogou fora a ótima corrida feita por Augusto Farfus e Martin Tomczyk, que alcançaram após a metade da disputa o quarto lugar com a BMW #42 do Team Schnitzer. Como salvo conduto, as imagens do acidente mostram que Edwards tinha pouca visibilidade. Atingido por um adversário, ele rodou como se não houvesse amanhã e acabou batendo – depois, por conta dos danos, a equipe jogou a toalha e desistiu.

Aliás, porradas não faltaram nesta 24 Horas de Spa-Francorchamps. Vários carros foram bastante destruídos, entre eles a BMW M6 GT3 da equipe francesa 3Y Technolgy, na freada de Les Combes; o Bentley Continental GT3 do Team Parker Racing, na saída da Courbe Paul Frère; e uma Lamborghini, que acredito ter sido da Orange 1 FFF Racing Team, que deu uma violenta guinada à direita num ponto que não consegui identificar – estava muito escuro – e o carro bateu com vontade nas barreiras de proteção.

Nas demais categorias, além da Pro e da classificação geral, os demais vencedores foram a Barwell Motorsport na Silver Cup com Jordan Witt/James Pull/Sandy Mitchell (15º lugar); a Oman Racing with TF Sport com seu Aston Martin Vantage AMR GT3 – do British GT Championship, aliás e a propósito, na Pro-Am, chegando em 22º geral com Nicki Thiim/Ahmad Al Harthy/Salih Yoluç/Charlie Eastwood; e a Rinaldi Racing, campeã da prova na Am Cup com a Ferrari 488 GT3 #33 guiada por Manuel Lauck/Christian Hook/Hendrik Still/Alexander Matschull, que figuraram no 28º posto final.

Compartilhar

3 comentários

  1. Ivair disse:

    Rodrigo. A maioria das corridas de GT, das séries da Blancpain são muito boas. As pistas escolhidas são bem prazeirosas para esse tipo de carro. Ótimos pilotos e carros excelentes.

  2. Antonio Vidal disse:

    A PORSCHE EM COMPETIÇÕES PELO MUNDO EM 2019:
    12 HS DE BATHURST: 1º
    24 HS DE DAYTONA: 3º e 5º…com recorde na pole para a classe GTLM
    24 HS DE LE MANS: 2º e 3º
    24 HS DE NURBURGRING: 2º e 5º
    24 HS DE SPA-FRANCORCHAMPS: 1º e 2º

    CAMPEÃ FIA WEC – 2018/2019
    ATUAL LÍDER DA IMSA/2019

  3. Sullyvan disse:

    Sem falar no Porsche 16 que também deu uma cassetada no muro. A da Lambo eu não encontrei nos highlights mas você falou que foi no escuro então fica mais difícil identificar. Corrida como sempre muito boa! Pena ter sido de “18” horas, kkk. Boas atuações do farfus, do thiim e especialmente do estre, que fez a corrida da vida dele, do começo ao fim. Dominou na chuva! Essa é a corrida que eu mais gosto no ano. Que venha a 2020!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *