MENU

30 de agosto de 2019 - 15:12Mundial de Endurance

FIA WEC: Toyota se impõe na sexta-feira

WECSilverstoneFP2

RIO DE JANEIRO – A temporada bienal 2019/20 do Mundial de Endurance começa do mesmo jeito que a última se iniciou: favorita absoluta ao título, mesmo com 108 kg de peso mínimo a mais que uma das adversárias da LMP1 em seus carros, a Toyota fez um nada surpreendente 1-2 na sexta-feira de treinos livres para as 4h de Silverstone.

O #7 da trinca Kamui Kobayashi/José María López/Mike Conway terminou como o mais veloz do dia – 1’36″847. Quase tão rápido quanto o tempo de Mike Conway para a conquista da pole position da corrida realizada ano passado lá mesmo na Inglaterra. Pelo visto, em configuração de classificação, os protótipos híbridos japoneses seguirão invencíveis.

A diferença para o #8 de Kazuki Nakajima/Sébastien Buemi/Brendon Hartley ao fim das sessões livres foi de 0″826, enquanto a Rebellion Racing, que fez o melhor tempo do primeiro treino com Norman Nato em 1’38″860, não melhorou tanto quanto a rival. A melhor volta do #1 foi em 1’37″876, a pouco mais de um segundo dos rivais.

“O dia foi positivo. A gente está um pouco mais confortável com o carro, temos mais conhecimento, a pista está mais lisa – o que ajuda a gente”, avalia Bruno Senna. “Ainda tem uma distância considerável entre a gente e a Toyota, que fez um tempo muito forte – considerando que a pista está dois segundos por volta melhor do que no ano passado, a gente está imaginando que a Toyota fez esse tempo de tanque cheio. Vai ser uma briga boa com a Toyota, ainda tem muita coisa pra gente aprender e fazer, mas estamos bem mais confortáveis do que no ano passado e mais confiantes”, comentou o campeão mundial da classe LMP2 em 2017.

O #3 de Pipo Derani/Nathanaël Berthon/Loïc Duval ficou com a quarta marca, seguido dos dois Ginetta-AER. Os dois carros do Team LNT ficaram a mais de dois segundos da melhor volta do dia, com o agravante do #5 ter andado bem menos em comparação ao outro carro da equipe da casa, por conta de problemas na sessão livre matinal.

Assim como no ELMS, a United Autosports também deu as cartas no WEC na classe LMP2. Em sua estreia na competição, a equipe de Zak Brown e Richard Dean já deu mostras de que estará na luta pelas posições de pódio e talvez pelo título. O #22 que terá Filipe Albuquerque/Phil Hanson/Paul Di Resta neste fim de semana fez sua melhor volta em 1’43″059, superando em apenas 0″021 o #33 da surpreendente – e também novata no WEC – High Class Racing, que alinha com pneus Goodyear.

Mesmo retido nos boxes por meia hora no início do FP2 – uma penalização por ter treinado no local da prova menos de 30 dias antes da corrida – o carro de Kenta Yamashita/Anders Fjørdbach/Mark Patterson mostrou bom desempenho no circuito britânico.

Outras equipes que começaram igualmente bem em Silverstone foram o Racing Team Nederland (de carro novo e com uma nova estrutura, da TDS Racing) e os suíços da Cool Racing, que têm o talento de Nico Lapierre. A Signatech Alpine, atual campeã de escuderias e que é o time do brasileiro André Negrão, fez o 5º tempo em ambas as sessões. A melhor volta do carro #36 foi em 1’43″792.

“O problema é que a United e a Cool Racing estão fazendo o Europeu e o Mundial. E eles têm uma vantagem porque entram mais de uma vez na pista, o que não é o meu caso”, disse Negrão. “Mas eu estou confiante: nosso carro está muito bom, fizemos vários long runs com a configuração de corrida e está tudo certo. Não sei o quanto a galera mostrou hoje, mas à tarde todo mundo trocou pneu e só ficamos em P5 porque foi o Pierre Ragues que andou na volta do pneu novo. Se fôssemos eu ou o Thomas Laurent teríamos sido primeiro ou talvez segundo”, finalizou o brasileiro.

A tônica da LMGTE-PRO foi, para variar, o equilíbrio. Mesmo com a redução do grid para três fabricantes e seis carros apenas, a disputa pela pole promete. Na primeira sessão de hoje, prevaleceu a Porsche por três décimos. A Ferrari deu o troco no segundo treino graças ao #51 de Ale Pier Guidi/James Calado e fechou o dia à frente, com o tempo de 1’55″501, contra 1’55″665 da rival germânica via Richard Lietz/Gianmaria Bruni.

O outro carro de Maranello, o #71 de Davide Rigon/Miguel Molina, estabeleceu a terceira melhor volta da divisão, seguido dos campeões mundiais Michael Christensen/Kévin Estre e dos dois Aston Martin – o #95 foi o único a rodar na casa de 1’55”.

Por fim, na mais numerosa das divisões da temporada 2019/20, os Aston Martin Vantage AMR comandaram os dois treinos: de manhã deu TF Sport. À tarde, foi a vez do time oficial com o #98 de Paul Dalla Lana/Darren Turner/Ross Gunn, com 1’56″463, menos de um décimo melhor que o #90 de Charlie Eastwood/Jonathan Adam/Salih Yoluç.

Em seu regresso à LMGTE-AM, a AF Corse ficou com o 3º tempo graças ao #83 do trio François Perrodo/Emmanuel Collard/Nicklas Nielsen, seguida da atual campeã, a Project 1 Racing. Inclusive, um dos pilotos – o dinamarquês David Heinemeier-Hänsson, será pai nas próximas horas e acabou substituído de última hora (por enquanto) por David Kolkmann, um habitué da Porsche Carrera Cup.

Felipe Fraga e os parceiros Ben Keating e Jeroen Bleekemolen não melhoraram em relação à primeira sessão. Mais cedo, fizeram o 5º tempo com 1’57″482. À tarde, o #57 fez sua melhor volta em 1’57″729. Mas amanhã, definitivamente, é outra história.

As 4h de Silverstone terão transmissão AO VIVO do Fox Sports 2 neste domingo. Estarei inclusive nos comentários da atração. Entramos no ar às 7h55 e a largada será 8h de Brasília. Assistam!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *