MENU

13 de agosto de 2019 - 16:19Mundial de Endurance

(Quase) Au complet

5d39aa69c6c9e

O lineup do Team LNT para as 4h de Silverstone mescla veteranos, um russo e pilotos de fábrica da Ginetta: vários outros nomes foram testados no Prólogo em Barcelona e, mesmo assim, foram descartados

RIO DE JANEIRO – Faltam muito poucos nomes – três ou quatro, no máximo. Mas a lista de inscritos para as 4h de Silverstone, abertura da temporada 2019/20 do Mundial de Endurance, está praticamente definida.

A terça-feira foi dia de fechamento de quatro tripulações envolvendo três equipes – duas de LMGTE-PRO e a única de LMP1 que faltava.

O Team LNT testou vários pilotos no Prólogo em Barcelona e descartou pelo menos quatro nomes dentre aqueles que andaram na Espanha. A prioridade foi para pilotos britânicos e o único “alien” da relação é o russo Egor Orudzhev, escolhido por já ter lidado com os motores AER Biturbo na SMP Racing.

O carro #5 terá além dele, o piloto oficial de fábrica da Ginetta Charlie Robertson e também o britânico Ben Hanley, que fez testes com a equipe em Paul Ricard. É até certo ponto uma surpresa a opção por Hanley, uma vez que sua antiga equipe, a DragonSpeed, saiu do WEC.

Já o #6 mescla outro piloto de fábrica – Mike Simpson – com dois nomes experientes e que se conhecem de outros carnavais: Chris Dyson e Guy Smith.

Chris está na Trans-Am dos EUA, recentemente disputou a Xfinity Series em Mid-Ohio e já esteve em três etapas do Mundial de Endurance no campeonato de 2013. A escolha por Guy Smith é outra surpresa: o britânico faz 45 anos em setembro, é um veterano das pistas, mas não perdeu a verve. Foi muito bem nos testes do Prólogo em Barcelona – e tem ainda outro ponto a favor: ganhou as 24 Horas de Le Mans como piloto Bentley, em 2003.

“Foi ótimo voltar ao volante de um carro LMP1, o jogo evoluiu muito significativamente em um curto espaço de tempo”, comentou Smith. “O Ginetta é um carro muito impressionante, o poder do AER e o ritmo que nós tivemos em testes realmente acenderam o fogo em mim para fazer isso de novo”, afirmou o piloto, que chegou a anunciar sua aposentadoria – ele fazia parte da equipe Bentley M-Sport até o ano passado.

Na AF Corse, escolha óbvia: o espanhol Miguel Molina vem para o posto antes ocupado por Sam Bird, que vai priorizar a campanha no ABB FIA Fórmula E, defendendo a equipe Envision Virgin Racing junto a Robin Frijns. Miguel fez uma temporada inteira no WEC em 2017 pela Spirit Of Race (LMGTE-AM) e três provas pela AF Corse na última Super Season.

AMR_98_2-jpg

Darren Turner e Ross Gunn serão os novos parceiros de Paul Dalla Lana na LMGTE-AM em 2019/20

E a Aston Martin Racing confirmou os nomes que irão dividir a pilotagem com Paul Dalla Lana: os britânicos Ross Gunn e Darren Turner estarão nos lugares anteriormente ocupados por Pedro Lamy e Mathias Lauda.

É o fim de uma parceria que durou quatro temporadas e 34 corridas, resultando no World Endurance Trophy da LMGTE-AM em 2017.

Para Turner, significa voltar à competição e se tornar junto a Richard Lietz e Christian Ried os primeiros pilotos da história da categoria a disputar mais de 60 eventos desde 2012. Ross Gunn tem finalmente sua primeira chance. O piloto de 22 anos está vinculado à marca de Gatwick há anos e terá uma primeira e merecida chance numa competição de peso.

Assim, o total de pilotos que farão seu debute no Mundial de Endurance nesta edição das 4h de Silverstone, inclusive o brasileiro Felipe Fraga, chega a 15.

Compartilhar

2 comentários

  1. Rodrigo botana disse:

    Sacanagem.a aston martin dispensar mathias lauda e pedro.lamy,2 pilotos bons a pé,chato isso mattar

    • Rodrigo Mattar disse:

      Pois é. Esse rumor aumentou depois do fim do campeonato. Deve ter havido algum desgaste na relação entre eles ou entre pilotos e equipe.

      Some-se isso à falta de resultados e aí já viu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *