MENU

1 de agosto de 2019 - 18:27Super GT

Tudo pronto para as 500 Milhas de Fuji

4149_19r05_image

RIO DE JANEIRO – Começa no fim de semana a segunda fase do campeonato do Super GT japonês, com a disputa da quinta etapa da temporada – o maior evento de 2019. As 500 Milhas de Fuji vão ter grid completo como já havia acontecido nas três etapas anteriores à visita da série a Chang, na Tailândia. A corrida será disputada em 176 voltas pelo traçado de 4,563 km de extensão.

O plantel de 44 carros será composto como sempre pelos 15 GT500 e 29 GT300 que foram inscritos para todo o ano, com os pilotos dos Lexus (leia-se Toyota) ocupando quatro das cinco primeiras posições da tabela, incluindo os três primeiros. Pela dianteira na classificação, Kazuya Oshima e Kenta Yamashita levam 70 kg adicionais de lastro do sucesso, dois quilos a mais que Ryo Hirakawa e Nick Cassidy. Aliás, à exceção da curta e confusa corrida de Okayama, com pontos ofertados pela metade, os Lexus venceram as demais provas contra uma da Honda, vitoriosa na abertura da temporada.

Não obstante, além do lastro adicional, os Lexus LC500 das principais equipes da classificação têm contra si a diminuição do fluxo de combustível – o que significa que terão que economizar gasolina e tentar mexer com a autonomia e/ou eventuais períodos de Safety Car para poder ter sucesso na quinta etapa do campeonato. Há, porém, equipes Lexus que podem ter suas chances: o time Denso Kobelco SARD de Heikki Kövalainen e Yuichi Nakayama, bem como o #19 da WedsSport de Yuji Kunimoto/Sho Tsuboi, calçado com pneus Yokohama, não estarão tão restritos quanto os outros GT500 da marca dona do circuito de Fuji.

Os Nissan GT-R Nismo não têm problemas com restrição de fluxo de combustível e somente o #23 de Ronnie Quintarelli/Tsugio Matsuda carrega mais lastro que os outros modelos da montadora. Olho no #3 de Fred Makowiecki/Kohei Hirate, que em outros modelos já triunfaram na pista e podem ter boa performance na disputa, já que carregam somente 32 kg extras. A dupla pontuou em todas as quatro etapas anteriores.

Já os Honda NSX Concept-GT esperam por uma convidada: a chuva. Só ela pode amenizar os graves problemas de temperatura que seus carros têm sofrido neste campeonato – em especial os campeões Jenson Button/Naoki Yamamoto, em ano até aqui para ser esquecido. O único ponto alto foi o 3º lugar nos 500 km de Fuji – e olhe lá. Nas demais corridas, em Suzuka e Buriram, incidentes no mínimo estranhos atrapalharam a corrida dos pilotos do Team Kunimitsu.

Na divisão dos GT300, onde 13 diferentes modelos de carros compõem o plantel de participantes, apenas meio ponto separa a liderança de Shinichi Takagi/Nirei Fukuzumi de Morio Nitta/Sena Sakaguchi – estes últimos venceram duas vezes contra nenhuma dos pilotos do Honda NSX GT3 EVO da ARTA, de Aguri Suzuki. Os ponteiros levarão 61 kg extras contra 60 kg dos rivais. Diferença evidentemente de um quilo por conta do meio ponto que os separa.

Dos 29 carros, treze terão três pilotos – com adesões conhecidas do público como Darren Turner, que estará no Aston Martin #7 da D’Station Racing compondo tripulação com João Paulo de Oliveira e Tomonobu Fujii. O evento tailandês foi o melhor deles até agora no ano, mas um furo de pneu perto do final da disputa deitou por terra qualquer chance de marcar pontos. A dupla segue zerada – e não é a única: outros 12 carros não terão igualmente o lastro extra, posto que não pontuaram.

Outro nome bem conhecido do Super GT é o de Björn Wirdheim, que reforçará o #22 da R’Qs Motor Sports, que é um Mercedes-AMG GT3. Vice-campeão da GT300 por duas temporadas seguidas, em 2013 e 2014, ele chegou a disputar provas da divisão GT500, inclusive pela Kondo Racing, onde também correu João Paulo de Oliveira. Ao todo, o sueco conta com 91 participações, 22 pódios e quatro vitórias.

As 500 Milhas de Fuji terão início às 13h30 locais (1h30 da manhã de sábado para domingo, pelo horário de Brasília).

Calendário da temporada 2020 é anunciado

A GTA, organizadora do Super GT, anunciou na terça-feira o calendário da temporada 2020. As datas dependem ainda de aprovação e precisam passar pelo crivo da JAF, a federação local de automobilismo e também do Conselho Mundial da FIA.

Por sinal, as 500 Milhas de Fuji serão suprimidas no próximo ano, por uma boa razão. O circuito será utilizado como instalação de provas dos Jogos Olímpicos de Tóquio, para provas de Ciclismo de Estrada. Será um dos poucos locais inclusive a ser utilizados fora do entorno da capital japonesa.

A prova será substituída por um evento na Malásia, o que deixa o próximo ano com dois eventos fora do país – sem contar o evento extracampeonato em conjunto com o DTM.

Eis as datas:

12 de abril – Okayama
4 de maio – 500 km de Fuji
31 de maio – Suzuka
A confirmar – Chang (Tailândia)
A confirmar – Sepang (Malásia)
13 de setembro – Sugo
25 de outubro – Autopolis
8 de novembro – Twin Ring Motegi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *