MENU

30 de agosto de 2019 - 00:43Rali

WRC: Tänak e Toyota irrepreensíveis

20198280847

Quem pode parar o estoniano? Ott Tänak caminha para se tornar o primeiro piloto não-francês e não batizado Sébastien a vencer uma temporada do WRC desde 2003, quando Petter Solberg foi o campeão naquela oportunidade

RIO DE JANEIRO – O último fim de semana foi o da confirmação de que Ott Tänak é mesmo o “cara” da atual temporada do WRC, o Campeonato Mundial de Rali. Para não deixar nenhuma dúvida, o estoniano e seu copiloto Martin Jarvejoja faturaram a 10ª etapa, disputada na região de Saarland, na Alemanha, com direito ao Vale do Rio Mosel, belas paisagens de vinícolas e a Panzerplatte, por onde passavam os tanques e o material bélico das tropas nazistas de Adolf Hitler na II Guerra Mundial.

Foi o quinto triunfo da dupla nas últimas seis etapas – menos enfático que na Finlândia em termos de resultado, porque na etapa anterior fizeram os pontos máximos, é verdade, mas talvez muito mais significativo para o campeonato em si e principalmente para a Toyota.

A montadora japonesa, cuja sede do departamento de competição é em Colônia (exatamente na Alemanha) conquistou 100% do pódio – o que não acontecia desde o Rali do Safári, no Quênia. Detalhe: isso foi em 1993.

O 2º lugar final do Rali da Alemanha foi de Kris Meeke e seu copiloto Sebastian Marshall, enquanto Jari-Matti Latvala e Mikka Anttila conquistaram o segundo pódio seguido na temporada.

Thierry Neuville e seu navegador Nicolas Gilsoul foram os principais rivais de Tänak/Jarvejoja durante grande parte da disputa, até furar um pneu do Hyundai da dupla numa das especiais de Panzerplatte. As ordens de Andrea Adamo fizeram Dani Sordo/Carlos del Barrio trocar de posição com a dupla belga, para que Neuville não perdesse tanto contato com o rival da Toyota na classificação do campeonato.

Em contrapartida, Sébastien Ogier/Julien Ingrassia tiveram uma performance muito abaixo do esperado, por conta da instabilidade do Citroën C3 WRC no asfalto das estradas teutônicas. Várias saídas de frente no primeiro dia e o mau comportamento do carro #1 foram determinantes para que, ao fim das 19 etapas especiais a dupla figurasse somente com o 8º lugar. Com isso, o hexacampeão baixou para terceiro no campeonato e viu Tänak abrir 42 pontos, uma vantagem bastante sólida, diga-se.

No WRC2 Pro, o vitorioso do Rali da Alemanha foi o tcheco Jan Kopecky com um Skoda Fabia R5, enquanto o local Fabian Kreim ganhou entre os pilotos não-oficiais de fábrica, seguido pelo compatriota Marijan Griebel e pelo polonês Kajetan Kajetanowicz.

O resultado final do Rali da Alemanha:

1 – Tanak-Jarveoja (Toyota Yaris) – 3h 15’29″8
2 – Meeke-Marshall (Toyota Yaris) – 20″8
3 – Latvala-Anttila (Toyota Yaris) – 36″0
4 – Sordo-Del Barrio (Hyundai) – 46″6
5 – Neuville-Gilsoul (Hyundai) – 58″5
6 – Lappi-Ferm (Citroen C3) – 1’42″2
7 – Mikkelsen-Jager (Hyundai) – 1’46″2
8 – Ogier-Ingrassia (Citroen C3) – 1’56″3
9 – Greensmith-Edmondson (Ford Fiesta) – 6’22″2
10 – Katsuta-Barritt (Toyota Yaris) – 8’19″2

Classificação do campeonato:

1. Ott Tänak – 205 pontos
2. Thierry Neuville – 170
3. Sébastien Ogier – 163
4. Kris Meeke – 80
5. Elfyn Evans – 78
6. Andreas Mikkelsen – 77
7. Jari-Matti Latvala – 74
8. Teemu Suninen – 70
9. Esapekka Lappi – 66
10. Dani Sordo – 64
11. Sébastien Loeb – 39
12. Kalle Rovanperä – 16
13. Benito Guerra e Gus Greensmith – 8
15. Marco Bulacia e Craig Breen – 6
17. Jan Kopecky – 5
18. Pontus Tidemand, Yoann Bonato e Mads Østberg – 4
21. Ole Christian Veiby, Pierre-Louis Loubet e Stéphane Sarrazin – 2
24. Nikolay Gryazin, Takamoto Katsuta, Emil Bergkvist, Pedro Heller, Janne Tuohino e Ricardo Triviño – 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *