MENU

24 de setembro de 2019 - 00:36European Le Mans Series

Glória tardia para a United Autosports no ELMS

United-Oreca-2019-ELMS-Spa-Race-22

RIO DE JANEIRO – Antes tarde do que nunca: a United Autosports desta vez não deixou a chance escapar. Phil Hanson e Filipe Albuquerque lavaram a alma da equipe britânica e venceram neste domingo a penúltima etapa do European Le Mans Series. As 4h de Spa-Francorchamps assistiram ao triunfo do carro #22, na primeira vitória com o modelo Oreca 07 desde que trocaram o chassis produzido pelo ateliê de Hughes de Chaunac em detrimento do Ligier JS P217.

Apesar de soar um triunfo fácil já que a diferença para o 2º lugar foi de pouco mais de doze segundos, não foi bem assim que o panorama da corrida nos mostrou. A Duqueine Engineering liderou na primeira metade com o trio Nico Jamin/Richard Bradley/Pierre Ragues e a também francesa Graff surgiu no comando da disputa na 3ª hora com o bólido guiado por Alexandre Cougnaud/Jonathan Hirschi/Tristan Gommendy.

Uma vitória manteria os pilotos do carro #39 no páreo pelo campeonato. Mas eles acabariam penalizados porque não respeitaram o procedimento de Safety Car e também ultrapassaram a velocidade limite no pit lane, sendo ‘premiados’ com um drive-through. Não obstante, a dupla Antonin Borga/Nico Lapierre, da Cool Racing, acabaria igualmente punida – só que por direção perigosa – na tentativa de ultrapassar Gommendy na última curva da última volta.

Alheios a isto, Albuquerque/Hanson tiveram uma vitória redentora, porém tardia. A matemática aponta que somente as equipes G-Drive Racing e IDEC Sport têm condições de brigar pelo título – mas a Graff, terceira colocada entre as escuderias, ainda sonha com uma vaga direta às 24 Horas de Le Mans, desde que a IDEC Sport fracasse na final, em Portimão.

A equipe de Patrice Lafargue, aliás, está de parabéns. Reconstruiu o carro #28 seriamente avariado após um acidente nos treinos livres de sábado e ainda conseguiu – após vir de último entre os 17 LMP2 inscritos – chegar em 6º lugar ao final da disputa. Os líderes Job Van Uitert e Roman Rusinov, mais o bicampeão da Fórmula E Jean-Éric Vergne, também enfrentaram um fim de semana atribulado após uma forte batida de Van Uitert nos testes da véspera do evento. O quarto lugar foi o que melhor puderam conseguir. E também o bastante para chegar ao Algarve com 13 pontos de vantagem – 93 a 80 – sobre Paul-Loup Chatin/Memo Rojas/Paul Lafargue.

Após o 6º lugar no grid, Bruno Senna tinha – assim como os parceiros John Farano e Arjun Maini – boas esperanças ao longo da disputa. Mas logo na primeira hora, um incidente que teve um estouro de pneu como consequência fez o carro #43 perder seis voltas. De último, conseguiram recuperar para 22º na geral e décimo-quarto na categoria. Não fosse o problema que enfrentaram, os pilotos da RLR MSport/Tower Events podiam ter aspirado terminar entre os 10 primeiros na geral.

Na LMP3, o panorama é de absoluta igualdade de pontos antes da final. Um verdadeiro mano a mano entre Eurointernational e Inter Europol Competition na busca por vagas diretas às 24h de Le Mans. No round belga, vantagem de 0″302 de Mikkel Jensen/Jens Petersen sobre Martin Hippe/Nigel Moore e vantagem pelo número de vitórias – três contra uma. Persistindo o empate, os pilotos do carro #11 levam o título e a vaga para La Sarthe, premiando os esforços do time de Antonio Ferrari.

Não muito distante dos rivais, a Nielsen Racing faturou o 3º lugar com Anthony Wells/Colin Noble no melhor Norma M30 à quadriculada, na frente de François Hériau/Jean-Baptiste Lahaye/Matthieu Lahaye e Andrew Bentley/Christian England.

Wayne Boyd/Garett Grist/Thomas Erdos, que na terceira hora estavam em posição de pódio, falharam pontos pela primeira vez no ano. Um problema na última volta tirou o carro #2 da disputa. Com 53 pontos, a trinca da United Autosports não tem mais chance de campeonato.

Já na LMGTE, o panorama está encaminhado: a Luzich Racing é campeã antecipada com a trinca Ale Pier Guidi/Nicklas Nielsen/Fabien Lavergne, fazendo jus a uma vaga direta para a 88ª edição das 24 Horas de Le Mans – à escolha do time – ou na LMGTE-PRO ou na LMGTE-AM. Pode não ser a única possibilidade da equipe de Peter Luzich disputar a clássica prova francesa, pois a chance é grande de título também no Michelin Le Mans Cup.

A trinca do carro #51 alcançou sua terceira vitória em cinco etapas com um ótimo 15º lugar geral, na frente dos vencedores da LMP3 e também do Porsche da Dempsey Racing-Proton, que deixou Christian Ried/Matteo Cairoli/Riccardo Pera com chances de levar a outra vaga em aberto. A trinca do carro #77 soma sete pontos de vantagem para a Kessel Racing com Michele Gatting/Rahel Frey/Manuela Göstner. A trinca feminina ficou em quarto na etapa da Bélgica, atrás da tripulação da Spirit of Race – que não tem mais chance de levar uma vaga para La Sarthe.

Com isso, seis das 62 vagas de titulares já estão automaticamente preenchidas para Le Mans: Toyota Gazoo Racing na LMP1; Signatech-Alpine Elf e Cameron Cassels (via IMSA) na LMP2; Porsche na LMGTE-PRO; Team Project 1 na LMGTE-AM e Luzich Racing, a escolher entre LMGTE-PRO e LMGTE-AM.

Mas cabe lembrar que todos os carros do WEC automaticamente já estão assegurados na última etapa do campeonato, o que já deixa o plantel com pelo menos mais 26 carros garantidos – totalizando 32. O ELMS terá outras quatro vagas a preencher e saberemos quem estará em Le Mans no próximo dia 27 de outubro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *