Super GT: Kovalainen e Nakayama vencem na chuva de Autopolis

S

39-Lexus-Team-SARD-Autopolis-2019-1 (1)

RIO DE JANEIRO – Vitória do Lexus Team SARD na sexta e antepenúltima etapa do Super GT, em prova disputada no circuito de Autopolis – com a presença ‘ilustre’ da chuva. O mau tempo, apesar de tudo, ajudou no espetáculo. A corrida foi muito movimentada em todos os 300 km de disputa e prevaleceu o #39 de Heikki Kovalainen/Yuichi Nakayama, na primeira vitória da dupla na temporada.

Na verdade, podia ter sido pior: havia um alerta quanto à presença de um tufão que poderia varrer a região de Kyushu, onde fica o circuito. A tempestade mais forte dissipou-se rumo a Tóquio, mas a disputa vitimou cedo os atuais campeões: na terceira volta, um acidente tirou qualquer possibilidade de Jenson Button e Naoki Yamamoto sonharem com o bicampeonato da classe GT500.

Quando o Safety Car deixou a pista, outro Honda – este guiado por Koudai Tsukakoshi – liderou a prova, enquanto Takuya Izawa, que vinha em segundo, teve problemas com os pneus. O excessivo desgaste permitiu que Jann Mardenborough e depois Kazuki Nakajima o ultrapassassem. Na sequência, Heikki Kovalainen chegou à quarta posição.

No meio da prova, começou a chover muito mais forte em Autopolis e, com vários carros perdendo o rumo – principalmente o Lamborghini #87 da classe GT300 tripulado pelo português André Couto, a direção de prova lançou mão novamente do Safety Car.

Veio o dilema para equipes e pilotos: manter-se com os pneus slicks ou trocar para os biscoito, próprios para piso molhado. As equipes SARD e ZENT Cerumo optaram pelos pneus com ranhuras. O Honda NSX da Keihin Real Racing trocou para novos compostos lisos – o que revelou-se fatal. Os GT500 que não mudaram para pneus de chuva eram fragorosamente ultrapassados pelos GT300 com pneus próprios para o asfalto molhado.

Na altura da 44ª volta, uma pancada de chuva monumental caiu na pista e foi aí que mais carros da GT300 quase ficaram pelo caminho. Porém, foi uma tempestade momentânea: logo a chuva parou e o calor começou a dissipar a água, deixando a pista rapidamente seca. Novo dilema para pilotos e equipes.

Yuichi Nakayama, que trocou com Heikki Kovalainen, teve o mérito de se manter à frente do Honda #17 já conduzido pelo belga Bertrand Baguette – aquele mesmo que não trocara de pneus na parada anterior. Com a ajuda do tráfego, o japonês cruzou com quase quatro segundos de vantagem e conquistou a quinta vitória em seis provas para a Lexus, marca da Toyota – que poderá igualar em Sugo, na penúltima etapa, um recorde de duas décadas: em 1998 e 1999, a Honda foi a última marca a triunfar em seis corridas seguidas no GT500.

A KeePer Tom’s salvou o pódio com Ryo Hirakawa/Nick Cassidy, que mantém vivas as esperanças de título, enquanto os líderes do campeonato Kazuya Oshima/Kenta Yamashita, com 120 kg extras em seu Lexus, afora as restrições do fluxo de combustível, ainda terminaram em 6º lugar – mais cinco pontos para a conta.

O melhor Nissan no resultado final foi o #24 da Realize Advan Kondo, com a nona posição de Mitsunori Takaboshi/Jann Mardenborough.

60-Syntium-LM-Corsa-Lexus-RC-F-GT3-Autopolis-2019-1

Na GT300, as loucuras do tempo em Autopolis permitiram que a LM Corsa vencesse com o Lexus RC-F GT3 #60 conduzido por Ritomo Miyata/Hiroki Yoshimoto. Nos treinos classificatórios, eles conseguiram apenas o 12º lugar e tiveram um começo de prova pouco auspicioso, conseguindo uma recuperação espetacular no final.

A corrida foi dominada pelo Honda NSX GT3-EVO #55 da ARTA guiado por Shinichi Takagi/Nirei Fukuzumi. Porém, a dupla foi punida após o terceiro Safety Car por ‘unsafe release’ após um pit stop. Depois, o Lamborghini da JLOC com o experiente Takashi Kogure e seu parceiro Yuya Motojima ascendeu à ponta, seguido pelo McLaren 720S GT3 de Seiji Ara/Álex Palou. E o segredo da recuperação da dupla vencedora foi o ótimo rendimento dos pneus slicks Dunlop – que funcionaram de forma espetacular numa pista que já secava, contra os pneus biscoito dos rivais.

Yoshimoto celebrou sua 100ª prova na categoria com a vitória, alcançada com mais de 12 segundos de vantagem para Ara/Palou, no primeiro pódio do novo modelo McLaren no Japão – pelo visto, não disputar as 10h de Suzuka rendeu dividendos à equipe Goh. Kogure/Motojima se contentaram com o último degrau do pódio.

Com o 6º lugar obtido pós-punição em Autopolis, Takagi/Fukuzumi lideram a classificação com cinco pontos de vantagem para Kogure/Motojima.

Classificação do campeonato após a 6ª etapa:

GT500

1. Kazuya Oshima/Kenta Yamashita – 65 pontos
2. Nick Cassidy/Ryo Hirakawa – 55
3. Heikki Kovalainen/Yuichi Nakayama – 40
4. Yuji Tachikawa/Hiroaki Ishiura e Tsugio Matsuda/Ronnie Quintarelli – 38,5
6. Tomoki Nojiri/Takuya Izawa – 31
7. Jenson Button/Naoki Yamamoto – 29
8. Bertrand Baguette/Koudai Tsukakoshi – 26
9. Kazuki Nakajima/Yuhi Sekiguchi – 25
10. Yuji Kunimoto/Sho Tsuboi – 23,5
11. Daiki Sasaki/James Rossiter – 17,5
12. Mitsunori Takaboshi/Jann Mardenborough e Kohei Hirate/Fred Makowiecki – 16
14. Narain Kartikheyan/Tadasuke Makino – 8,5
15. Daisuke Nakajima/Hideki Mutoh – 8

GT300

1. Shinichi Takagi/Nirei Fukuzumi – 41,5 pontos
2. Takashi Kogure/Yuya Motojima – 36,5
3. Morio Nitta/Sena Sakaguchi – 36
4. Kazuki Hiramine/Sacha Fenestraz – 35
5. André Couto/Tsubasa Takahashi – 29
6. Katsuyuki Hiranaka/Hironobu Yasuda – 28
7. Tatsuya Kataoka/Nobuteru Taniguchi – 26,5
8. Hiroki Yoshimoto e Kiyoto Fujinami – 25
10. Hiroki Yoshida/Shigekazu Wakisaka – 24,5
11. Naoya Gamou – 23,5
12. Ritomo Miyata – 23
13. Kazuki Hoshino/Keishi Ishikawa – 22
14. Haruki Kurosawa – 19,5
15. Ryo Michigami/Hiroki Otsu – 19
16. Takuto Iguchi/Hideki Yamauchi e Takamitsu Matsui/Kimiya Sato – 17
18. Natsu Sakaguchi/Yuya Hiraki e Seiji Ara/Álex Palou – 15
20. Takashi Kobayashi/Kosuke Matsuura – 12
21. Shaun Thong – 9
22. Richard Lyons/Ryuchiro Tomita – 6
23. Marchy Lee – 5
24. Shinya Sean Michimi e Togo Suganami – 4
26. Dominik Farnbacher- 2

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

1 Comentário

  • Sou fã do Kovalainen. Tem um aspecto pessoal, dele ter me atendido muito bem quando peguei fotos e autógrafos… e também creio que não deram a ele uma maior oportunidade na f1. Não que viesse a ser campeão, mas é um cara que poderia ter mais vitórias no Curriculum.

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames