MENU

5 de novembro de 2019 - 02:19Mundial de Endurance

4h de Xangai: Toyota de novo com restrições

A Toyota sofre mais restrições de fluxo de combustível nos reabastecimentos e quilos de gasolina a consumir por stint na China: mesmo assim é favorita a mais uma vitória no WEC

RIO DE JANEIRO – O Comitê de Endurance da FIA divulgou há alguns dias, antes da disputa da 3ª etapa da Super Season 2019/20 do Mundial de Endurance (FIA WEC), o boletim de equivalência de performance a ser aplicado para as 4h de Xangai na classe LMP1.

De acordo com a estimativa de desempenho aplicada na comparação entre os dois Toyota TS050 Hybrid e o Ginetta #6 após a etapa de Fuji, haverá restrições no fluxo de combustível e na quantidade de quilos de gasolina consumidos por stint, para deixar os protótipos japoneses quase três segundos mais lentos por volta – 2,74 s – para ser mais exato.

Para a corrida da China, os dois carros estarão em condições idênticas, uma vez que cada um tem uma vitória na temporada – em Fuji, o #8 foi dominante porque o carro vencedor na Inglaterra tinha uma desvantagem de quatro décimos por volta.

E aos que pensam que finalmente a Rebellion terá como bater os dois únicos LMP1 oficiais de fábrica, esqueçam: o carro #1 do time do brasileiro Bruno Senna vai trabalhar com um peso mínimo de 862 kg – trinta e sete a mais que o mínimo aplicado na corrida japonesa. Se bem que os Toyota estão com 932 kg de peso mínimo desde o início do campeonato.

Também a equipe anglo-suíça terá que se virar com um carro quase nove décimos mais lento que o Ginetta #6, usado como parâmetro na equalização. Em contrapartida, o carro #5 terá um acréscimo de peso de cinco quilos em relação à Fuji, tendo que trabalhar com um peso mínimo de 861 kg.

Na LMP2 – que não tem BoP algum de acordo com os parâmetros pré-estabelecidos – a esperança de quem não teve um bom desempenho na corrida anterior é na variação de estratégia dos times que têm pilotos com graduação bronze – e que por regulamento terão de cumprir um tempo mínimo de 45 minutos – o máximo é de 2h45min para todas as graduações.

A notícia de que Frits Van Eerd vai disputar a corrida da China animou o brasileiro André Negrão, que já jogara a toalha ao imaginar que Job Van Uitert pudesse ocupar o cockpit do carro #29, que graças a uma atuação inspirada de Nyck de Vries, venceu as 6h de Fuji.

Os carros da LMGTE-PRO têm poucas mudanças em relação às suas características no novo BoP. Apenas os Aston Martin Vantage GTE têm uma redução de um litro somente no tanque de combustível.

Já na LMGTE-AM, com a aplicação do lastro por desempenho ao longo da temporada, a AF Corse terá o carro mais pesado do plantel na China: a Ferrari #83 do trio Nicklas Nielsen/François Perrodo/Emmanuel Collard vai alinhar com 1310 kg de peso mínimo. Carro mais pesado, mais preocupação com o consumo de pneus.

E a diferença para os demais é grande: a Ferrari #70 da MR Racing guiada pelo trio Kei Cozzolino/Motoaki Ishikawa/Olivier Beretta vai com 1280 kg, incluindo o lastro extra. A TF Sport alinha para Xangai com peso mínimo de 1272 kg.

Trinta e um carros vão disputar as 4h de Xangai, com o plantel da LMGTE-AM apresentando 12 inscritos, por conta da adição de um Porsche da Proton Competition

Na lista oficial de inscritos publicada no site da categoria, faltavam ainda alguns nomes para a 3ª etapa, mas já podemos confirmar que Jordan King é quem estará no Ginetta #5 junto a Ben Hanley e Egor Orudzhev. A equipe britânica mantém inalterado o trio do #6 até a estreia de Chris Dyson, marcada para as 8h do Bahrein, em dezembro.

Larry ten Voorde é quem substituirá Felipe Fraga junto a Ben Keating e Jeroen Bleekemolen – o blog já noticiara antes. No terceiro Porsche da Proton Competition (os outros dois são alinhados em parceria com Patrick Dempsey), o trio deverá ser composto por Vincent Abril e por Philippe e Louis Prette.

Faltariam os companheiros de Thomas Preining no #88 – e a Dempsey Racing-Proton vai se tornar a campeã da temporada em multas pecuniárias por não confirmar seus pilotos a tempo. No Japão, estreou o belga Adrien de Leener e voltou o trapalhão Satoshi Hoshino.

Também, pagando bem, que mal tem?

Os treinos livres começam no Brasil à meia-noite de quinta para sexta-feira, com a sessão #2 acontecendo às 4h30 pelo nosso horário. A largada das 4h de Xangai é na madrugada de sábado para domingo, a partir de 1h da matina.

O Fox Sports 2 exibirá um compacto da disputa no domingo, às 22h.

Compartilhar

2 comentários

  1. Rodrigo botana disse:

    Que pena pensei que vocês exibiriam.ao vivo

  2. Gabriel Medina, O outro disse:

    Daqui a pouco a Toyota vai ser obrigada a correr com o Corolla 2002 SW do meu avô e ainda assim vai dar volta em todo mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *