Lynk & Co varre em Macau e quatro vão pelo título do WTCR

L
Com mais duas vitórias, Yvan Muller está muito no páreo pelo título do WTCR. A final será em dezembro, no circuito malaio de Sepang

RIO DE JANEIRO – Macau é uma antiga possessão portuguesa devolvida à China – a vários quilômetros dali fica a sede do grupo Geely, que deve ter ficado felicíssimo com o que viu neste fim de semana no Circuito da Guia.

É que os Lynk & Co. 03 da equipe Cyan Racing deitaram e rolaram pelo traçado de 6,12 km de extensão. Três vitórias nas três provas da nona e penúltima rodada da temporada 2019 do FIA WTCR, com dois pilotos entrando de vez na batalha pelo título.

Foi o chamado fim de semana perfeito (ou quase) para o veterano Yvan Muller, que emplacou a maior pontuação do fim de semana e ganhou duas vezes. O francês de 50 anos dominou a prova #1 com Norbert Michelisz satisfeito com a 2ª posição e hoje, na prova #2, contou com a ‘colaboração’ do sobrinho Yann Ehrlacher.

Um pequeno erro do jovem piloto francês deu a Muller a chance da liderança e da dobradinha com Thed Björk. Em ambas as etapas, Kevin Ceccon foi ao pódio – na prova #1, numa estranha tirada de pé (não para quem entendeu o jogo de equipe da Lynk & Co.), o britânico permitiu mais pontos para o colega sueco de escuderia.

Andy Priaulx resistiu à enorme pressão de Rob Huff e liderou a prova #3 de ponta a ponta

Na prova #3, que o Fox Sports 2 exibiu ao vivo, a disputa foi um voo solo de quatro pilotos: Andy Priaulx, Rob Huff, Jean-Karl Vernay e Johan Kristoffersson pareciam estar noutro planeta, com um ritmo de prova muito acima dos demais.

E a largada decidiu tudo: o pole Huff deu uma destracionada com seu Volkswagen Golf e Priaulx, com a classe que Deus lhe deu, conquistou uma vitória redentora em seu retorno aos carros de tração dianteira.

Atrás – muito atrás, aliás, Muller contou com a colaboração de Björk para diminuir a desvantagem em relação a Norbi Michelisz e ao argentino Estebán Guerrieri, quarto colocado na prova #2. O piloto sul-americano conseguiu um resultado que o deixa a nove pontos do húngaro da BRC Hyundai antes da decisão em Sepang.

Só que Muller baixou a diferença para 11 pontos com os 65 que conquistou em Macau e Björk, a 28 pontos de Michelisz, também tem chance. Afinal, são 85 pontos no máximo que estarão em jogo na Malásia – 25 por cada vitória nas três provas e cinco pelas poles das provas #1 e #3.

E não será surpresa se Yvan Muller atropelar os adversários na reta final. Os Lynk & Co. gostam de pistas velozes e com retas para despejar potência. A pista da última etapa é à feição dos azuis. Mas tudo pode acontecer na decisão!

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

2 Comentários

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames