8h do Bahrein: treinos livres começam com independentes na frente

8
Deu Bruno Senna e Rebellion no primeiro dia de treinos livres para as 8h do Bahrein (Foto: João Filipe/AdrenalMedia.com/FIA WEC)

RIO DE JANEIRO – A quinta-feira de abertura dos trabalhos para as 8h do Bahrein mostrou um panorama muito parecido com aquele visto em Xangai, na etapa anterior do FIA WEC, o Campeonato Mundial de Endurance. Os protótipos não-oficiais deram as cartas e foram os mais rápidos nas duas sessões do dia em Sakhir.

No primeiro tempo, com a pista ainda sem muito emborrachamento e suja pela falta de aderência gerada pelo vento que leva areia ao traçado, a melhor volta foi de Ben Hanley com o Ginetta #5 do Team LNT em 1’44″791.

Mais tarde, com o traçado em condições bem mais favoráveis, o brasileiro Bruno Senna – vencedor na etapa anterior junto a Norman Nato e Gustavo Menezes – fechou o dia como o mais veloz, conseguindo o tempo de 1’42″471 para os 5,412 km do traçado barenita.

O recorde da pista é de outro brasileiro: em 2016, Lucas di Grassi fez uma volta em 1’38″828.

A vantagem de Senna em relação a Charlie Robertson, segundo mais veloz com o Ginetta no FP2 foi de 1″411. A Toyota continua com o pior handicap por volta em relação às demais equipes, sendo 2″51 para o carro #7 da trinca José María López/Mike Conway/Kamui Kobayashi e 2″72 para o #8 de Brendon Hartley/Sébastien Buemi/Kazuki Nakajima.

A melhor volta dos carros orientais hoje foi 1’44″221, com Conway. Em 2017, Neel Jani fez 1’39″084 no treino classificatório e a melhor volta após os treinos livres naquela oportunidade foi 1’40″095. Com o regulamento mais restritivo, a Toyota tem boas chances de penar no sábado. Pode até ganhar, mas vai ter de lutar muito.

Não obstante, os TS050 Hybrid seguem com o peso mínimo de 932 kg – cinquenta a mais que o Rebellion R13 Gibson, muito embora as regras tenham estabelecido que os carros não-híbridos jamais ultrapassariam o mínimo de 870 kg.

O Ginetta #5 perdeu 18 kg em relação à etapa de Xangai, enquanto o #6 segue sendo a referência com o mínimo de 833 kg – também pudera: dos cinco LMP1 inscritos foi o que menos pontuou até agora no campeonato.

Entre os LMP2, a United Autosports liderou o primeiro treino com Paul Di Resta e o segundo teve a Jackie Chan como a equipe a ser batida em seu carro com pneus Goodyear. Will Stevens fez a melhor volta do dia em 1’46″147, seguido por Jean-Éric Vergne (cuja equipe, é bom lembrar, não corre pelos pontos no Bahrein) e Kenta Yamashita, da High Class Racing.

André Negrão fez um bom trabalho na quinta-feira, estabelecendo o quarto melhor tempo. A Signatech-Alpine tem nesta etapa um momento chave do campeonato. Qualquer bom resultado alcançado no Bahrein segura o time francês na luta pelo bicampeonato mundial.

A Aston Martin liderou em 1-2 os treinos livres de quinta na LMGTE-PRO (Foto: João Filipe/AdrenalMedia.com/FIA WEC)

Na LMGTE-PRO, 1-2 da Aston Martin Racing após as duas sessões: Alex Lynn foi o melhor do dia com 1’55″696 e Marco Sørensen fez 1’56″201. Deram o troco na Porsche, que fez 1-2 na primeira sessão e ficou com terceiro e quinto lugares ao fim do dia. À Ferrari, restou o quarto tempo geral da classe com o britânico James Calado, a quase um segundo do carro líder.

Entre os LMGTE-AM, luta titânica entre TF Sport e Dempsey Racing-Proton pela primazia dos melhores tempos da divisão. Os times se revezaram com cada um à frente do outro, mas a melhor volta ficou mesmo com Thomas Preining, marcando 1’57″266, contra 1’57″460 de Jonathan Adam e 1’57″518 do veterano Giancarlo Fisichella.

O terceiro e último treino livre será nesta sexta-feira, começando 5h15 de Brasília, 11h15 locais. A definição do grid começa às 16h40 em Sakhir, 10h40 de Brasília, começando com os Grã-Turismo e depois com os protótipos, transmitida em streaming pago no site oficial do FIA WEC.

No sábado, o Fox Sports 2 exibe AO VIVO e com EXCLUSIVIDADE a disputa das 8h do Bahrein. Abrimos 8h45 e saímos 11h para a Bundesliga, voltando 13h30 até a quadriculada. No app é direto: desde o pré-corrida até o final. Estaremos juntos a Edgard Mello Filho nos comentários e análises. Thiago Alves narra.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

1 Comentário

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames