MENU

12 de janeiro de 2020 - 09:11Asian Le Mans Series

Nova vitória da G-Drive Racing by APR no Asian Le Mans Series

RIO DE JANEIRO – A edição inaugural das 4h de Tailem Bend, na Austrália, apontou mais uma vitória para a G-Drive Racing by APR na temporada 2019/20 do Asian Le Mans Series.

Períodos de Safety Car e Full Course Yellow foram decisivos para que o Aurus 01 Gibson do trio Roman Rusinov/James French/Leonard Hoogenboom confirmasse o segundo triunfo em duas corridas – e o primeiro conquistado na pista.

A corrida começou com o domínio da Eurasia em seus carros, o “All Black” #1 guiado por Daniel Gaunt e o #36 com Aidan Read a bordo. Pole position, o Dallara #45 da Thunderhead Carlin convivia com um erro de Jack Manchester ao passar um retardatário, com quem colidiu e causou danos. Depois, o carro do time britânico seria punido.

O principal susto da corrida veio após um período de FCY em decorrência de um problema terminal no Norma M30 da Nielsen Racing – que era um chassi reserva da Graff – e era guiado por Charles Crews: o protótipo Oreca 05 Nissan da classe LMP2-AM de repente pegou fogo com John Farano a bordo.

O canadense conseguiu levar o carro já tomado por uma coluna preta de fumaça para uma área mais segura. Felizmente, ninguém se feriu mas o bólido fica bastante danificado. A RLR MSport terá trabalho para recuperá-lo a tempo com vistas às provas finais do campeonato.

Após o susto, a corrida prosseguiu e a Eurasia rumava para a vitória – só que a G-Drive deu as caras na abertura da hora final, quando o #26 então guiado por Rusinov pegou a ponta, mesmo com pneus gastos quando o #1, que liderava, fez um pit de rotina.

Mas um incidente com a BMW #16 da Astro Veloce Motorsports trouxe outro período de FCY. A Eurasia fizera uma última parada faltando 37 minutos para o fim da disputa, numa tentativa de “undercut” sobre a G-Drive – que aproveitou o período de neutralização, fez seu pit derradeiro e voltou à pista na frente.

O #1 guiado por Daniel Gaunt/Shane Van Gisbergen/Nick Cassidy, contudo, se entregaria com um problema terminal de câmbio logo depois que a bandeira amarela foi retirada. Assim, o #36 de Aidan Read/Nick Foster/Roberto Mehri foi promovido à 2ª colocação e a terceira posição final foi de Jack Manchester/Ben Barnicoat/Harry Tincknell.

Na LMP2-AM, a Rick Ware Racing dominou a corrida de forma sossegada após o problema e o fogo do #59 da RLR MSport. Cody Ware e o jovem lituano Gustas Grinbergas conseguiram um excelente 5º lugar geral, quase 40 segundos à frente de Anthony Lazzaro/Guy Cosmo. A ARC Bratislava não teve como lutar à frente e perdeu uma volta, com o carro #4 guiado por Miro Konôpka/Andreas Laskaratos/Garnet Patterson.

Outra equipe que aproveitou – e muito bem – os períodos de FCY nas 4h de Tailem Bend foi a Nielsen Racing, vencedora da divisão LMP3 com Tony Wells/Colin Noble beliscando a 8ª posição geral, a cinco voltas dos vencedores. A dupla britânica derrotou os favoritos Martin Hippe/Nigel Moore, da Inter Europol Competition.

A ACE1 Villorba Corse completou o pódio com o #12 guiado por Gabriele Lancieri/Alessandro Bressan/Davide Fumanell, que fechou o top 10 final da disputa.

Campeã da última temporada em sua categoria, a CarGuy triunfou numa prova de domínio do modelo Ferrari 488 GT3, que fechou a disputa com os quatro primeiros lugares, beneficiados principalmente por um incidente logo no início com a JLOC e a batida de Jack Manchester no Aston Martin da D’Station Racing.

E mesmo o carro #7 de Kei Cozzolino/Takeshi Kimura/Côme Ledogar não passou impune: sobreviveu a um Drive Through e ainda assim levou os pontos da vitória com vantagem de 1min26seg sobre a HubAuto Corsa, de Liam Talbot/Marcos Gomes/Davide Rigon.

“A corrida foi cheia de problemas e o motor perdeu um cilindro com meia hora de corrida. Ficamos sem potência e passamos a andar três segundos mais lento. O piloto bronze (Liam Talbot) largou e abriu 40 segundos. O carro estava bem rápido no início. Mas eu peguei ele já com essa falha”, comentou o piloto brasileiro.

“Também quebrou um macaco no pit stop, tive que fazer um stint com o pneu que o Talbot usou no primeiro trecho da prova, então considerando os problemas que os vencedores na etapa anterior enfrentaram, o segundo lugar foi bom”, disse.

A Spirit of Race, com a pilotagem sempre competitiva de Alessandro Pier Guidi junto ao experiente brasileiro Oswaldo Negri e ao portorriquenho Francesco Piovanetti fechou o pódio, desalojando dele a T2 Motorsports com David Tjiptobiantoro/Rio Haryanto/Christian Colombo.

Depois da alcateia de Ferraris, chegou enfim a BMW #17 da Astro Veloce Motorsports com Max Wiser/Peiwen Qi/Jens Klingmann. Apesar de todas as atribulações, D’Station Racing e JLOC, que foram muito bem em Xangai, salvaram pontos importantes.

A próxima etapa será as 4h de Sepang, na Malásia, no dia 15 de fevereiro.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *